A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

28/08/2013 16:59

Bernal gastou R$ 380 milhões com tapa-buracos, denuncia relator de CPI

Zemil Rocha
Gasto e despesa empenhada de Bernal com tapa-buraco chega a R$ 380 millhões (Foto: Arquivo)Gasto e despesa empenhada de Bernal com tapa-buraco chega a R$ 380 millhões (Foto: Arquivo)

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Calote, vereador Elizeu Dionízio (PSL), considera “absurdo” o valor gasto pela prefeitura de Campo Grande com a operação tapa-buraco nos últimos seis meses, que totalizaria R$ 380 milhões. “A prefeitura pagou de janeiro a junho R$ 83 milhões com tapa-buraco e o que foi empenhado no período chega a R$ 297 milhões”, afirmou Elizeu, que como relator da CPI teve acesso a dados de contratos e gastos da Prefeitura de Campo Grande.

O tamanho do gasto surpreende, segundo Elizeu Dionízio, pelo fato de ter sido realizado em tão pouco tempo. “E não pode justificar com o empréstimo de R$ 420 millhões, que também tem uma parte para pavimentação asfáltica”, enfatizou o vereador. “O gasto é anterior à aprovação dos R$ 420 milhões em junho”, acrescentou.

Com base em informação não oficial, o relator da CPI do Calote aponta que a despesa seria superior até mesmo ao montante gasto pelo governo do Estado no serviço de tapa-buracos realizados nas rodovias.

Diante dessas constatações do vereador, o secretário municipal de Infraestrutura e Transportes da Prefeitura, Semy Ferraz, foi procurado para posicionar-se, mas a informação de seus assessores foi a de que ele estava em reunião e não poderia falar. Até o fechamento desta matéria, não houve retorno ao pedido do Campo Grande News.

Elizeu Dionízio também considera muito elevado e com poucos resultados efetivos para a população os gastos do prefeito Alcides Bernal com a saúde pública. “Foram mais de R$ 300 milhões gastos na área da saúde nos primeiros seis meses do ano”, apontou.

Para ele, não há como justificar esse patamar de despesa. “O que é que foi construído em matéria de unidade de saúde, ampliado. O que foi feito é a implantação da rede móvel de saúde, que não entendi ainda para que serve, e um mutirão”, disse o relator da CPI. “Falam de contratação de médicos, mas quantos tem hoje?”, questionou o vereador, garantindo que seu requerimento não foi respondido pelo Executivo. “Como saber se mais de 400 médicos foram contratados? O que sabemos é que um grupo consegue plantão a mais”, declarou.



olha o upa da vl.leblon,praticamente parado..............vamos terminar estas obras...............e colocar na mídia ..............dar casa para os funcionários públicos q foi prometido,os que não tem moradia própria,estamos esperando.........
 
alex escobar em 10/09/2013 11:48:25
Duvido... Esses vereadores deveriam pedir prá sair. Um bando de sem utilidade para o Município.
 
João André em 29/08/2013 10:38:27
Com esse valor é possível asfaltar algumas vilas inteiras. Não tem problema o povo paga a conta mesmo. Já estão acostumados.
 
jose carlos em 29/08/2013 10:13:05
Como agradar a gregos e troyanos?se não faz criticam,se faz criticam.
 
Teresa Moura em 29/08/2013 09:55:56
Minha opinião: Porque a prefeitura não termina aquela obra que seria a rodoviária perto da Av. Euler de Azevedo, e faça ali a Câmara dos vereadores,ou prefere ficar pagando aluguel?
 
Pedro Joaquim da Silva em 28/08/2013 22:21:17
Então, mas onde que foi tapado buracos? Campo Grande tá um queijo suíço, só se ele re-asfaltou a Afonso Pena...
 
Moacir Cafaro em 28/08/2013 20:34:28
sera que esses vereadores já fizeram um levantamento também dos tapa buracos que o sr nelsinho trad fez durante seus 8 anos de mandato ?
 
paulo eduardo sandim em 28/08/2013 19:21:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions