A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

18/09/2013 19:37

Bernal processa Antônio João e advogado de ex-catadora de lixo atropelada

Zemil Rocha
Bernal quer condenação criminal contra Antônio João e advogado da ex-catadora (Foto: arquivo)Bernal quer condenação criminal contra Antônio João e advogado da ex-catadora (Foto: arquivo)

O prefeito Alcides Bernal (PP) ingressou hoje com uma ação judicial por calúnia, injúria e difamação contra o jornalista Antônio João Hugo Rodrigues, dono do jornal Correio do Estado, e o advogado Rubens Clayton Pereira de Deus, em razão da matéria veiculada, dia 3 de setembro, sobre suposto golpe que o progressista teria dado na ex-catadora de papelão ex-catadora de lixo Dila Dirce de Souza. A queixa crime, assinada pela advogada Jacqueline Romero, está tramitando na 2ª Vara Criminal de Campo Grande.

O assunto teve repercussão nacional, já que Bernal chegou a ser acusado pela revista Veja, no dia 4 de setembro, de ter “se apropriado do dinheiro de indenização” da ex-catadora de papelão, que o contratou como advogado em 1999, após ter sido atropelada por um caminhão de lixo da Vega Engenharia Ambiental.

Na petição inicial, Bernal cita que no dia 3 de setembro o empresário Antônio João fez publicar na capa do jornal Correio do Estado matéria com título: “Prefeito é acusado por golpe de R$ 108 mil”. Informa ainda que, no mesmo dia, na página n.º 03 lançou a manchete: “Apropriação indébita – Além de caloteiro, Bernal é acusado de dar golpe em cliente”.

Ainda no documento endereçado ao juiz criminal, o prefeito cita trechos que atribui a Antônio João: “Bernal é um vigarista”; “Durante a campanha, mostrei de forma clara em artigos que Bernal era um vigarista”; “Que a Justiça sempre esteve ao lado de Bernal para cercear a liberdade de imprensa”.

Quanto ao advogado Rubens Clayton, o prefeito responsabiliza-o pelas seguintes frases que constam na matéria jornalística: “Vou entrar com uma ação contra o advogado (Bernal) porque minha cliente ganhou a causa, com indenização de 160 salários mínimos (cerca de R$ 108 mil) e nunca recebeu o dinheiro”; “No início do processo ele (Bernal) falava que o processo estava em andamento e depois, quando já deputado, falou que o processo foi arquivado”.

Posto isto, verifica-se que os mesmos usaram e abusaram de acusações infundadas e sem provas contra a vítima, sem lhe dar o primeiro, sequer direito de resposta, e o segundo, usando da confiabilidade que possuía da vítima, posto que era seu assessor, trabalhando com este na Câmara Municipal de Campo Grande e na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, não restou alternativa senão as providências aqui ora tomadas, e as demais que já foram providenciadas.

Acostando ao pedido páginas da edição do jornal Correio do Estado do dia 3 e informação judiciária sobre o andamento do processo de Dila Dirce, além de arrolar três testemunhas, a advogada de Bernal pede a condenação de Antônio João e Rubens Cleyton: “Tais condutas praticadas em conluio e concurso de pessoas, sabidamente inverídicas, posto que um dos co-autores é advogado que manuseou os autos, conforme documento em anexo, se amoldam nos tipos penais da calúnia, difamação e injúria, previstas nos arts. 138, 139 e 140, respectivamente, do vigente Código Penal, formando concurso formal de crimes, merecendo rigorosa reprimenda jurídico criminal, especialmente por tratar-se o ofendido de pessoa que exerce elevado cargo político, ou seja, de Prefeito Municipal da Capital deste Estado, e as levianas afirmações macularam sua imagem pública, ofendendo sua honra objetiva e subjetiva”.

Ontem, Bernal já havia ingressado com uma ação de arbitramento de honorários advocatícios para tentar receber parte do valor depositado em juízo a favor da ex-catadora de lixo Dila Dirce de Souza. O pedido foi feito em nome de Bernal e da advogado Jacqueline Romero, que o substituiu na demanda indenizatória de Dila Dirce.

Na briga processual, Antônio João Hugo Rodrigues já tinha ingressado, na segunda-feira (16), com ação de indenização por dano moral contra o prefeito Alcides Bernal (PP), alegando difamação e injúria através das redes sociais. Bernal também já havia processado Antônio João alegando motivos semelhantes e na esfera criminal a ação foi julgada improcedente, por deficiências formais.

 

 



QUEREM SABER A VERDADE?
BASTA OLHAR OS ANDAMENTOS PROCESSUAIS. O ANDAMENTO FINAL. SE FOI PAGO, ESTARÁ, LÁ, O ALVARÁ PARA O LEVANTAMENTO DA QUANTIA. SIMPLES ASSIM. OU PERGUNTEM AO ADVOGADO DELA QUE ELE TEM QUE SABER, OU NÃO, NÃO É?
 
jose botelho em 23/09/2013 21:19:36
Quem provar....em documentos estará certo.........o homem foi Deputado estadual e ele ainda ñ incomodava os adversários políticos........acho que era subestimação......todos até riram da sua candidatura........mas quando acordaram pra verdade o homem foi eleito pelo povo.....então agora estão parecendo desesperados com acusações....e esse tal de Antônio João era candidato a prefeito........retirou sua candidatura...por ordem sabe de quem?!!!!!! sem falar que ele vendeu sua empresa para uma certa igreja evangélica.........tudo muito estranho......ao Bernal digo que ele é prefeito de Campo Grande...então prefeito cuidado estão tirando o seu foco para administrar a cidade.......se tem prova resolva logo isso e vamos administrar essa cidade...mesmo porque.....vc pegou com muitos problemas.
 
edson benites em 23/09/2013 11:10:21
BERNAL, VC COMO PREFEITO NÃO ESTA FAZENDO ABSOLUTAMENTE NADA, MAS SE FALANDO EM PROCESSO, DINHEIRO ESTA MANDANDO BEM HEINNN, AÇÃO PRA RECEBER HONORÁRIOS DE UMA POBRE COITADA, PROCESSANDO O ADV. DA MESMA, QUE RIDÍCULO SÓ PENSA EM TIRAR VANTAGEM E ESQUECE DA PROMESSA Q FEZ AS PESSOAS Q TE ELEGEU... NÃO TEVE MEU VOTO, E SE DEPENDER DE MIM NEM PRA PRESIDENTE DE BAIRRO VOCÊ SE ELEGE MAIS!!!!!!!!!!!!!
 
cristiane silva em 19/09/2013 07:54:07
O prefeito tem seus erros, mas o Correio do Estado subestima a inteligência da população campo-grandense. O dono do jornal só quer brincar de Banco Imobiliário na cidade.
 
Paulo Miranda em 18/09/2013 21:10:05
E então alguém pode informar com exatidão roubou ou não roubou,enquanto voltam o foco para calunia difamação e outros o fato principal fica sem resposta. So basta saber quando foi dado o veredito em favor da senhora lesada dependendo da data a resposta se faz.
 
nelson wagno em 18/09/2013 21:00:01
Ué! Antes o Bernal tinha se apropriado do dinheiro. Agora o advogado da senhora esta esperando o processo para levantar o dinheiro. Mas um "fogo amigo". Agora, se não houve contrato, ele está no direito de requerer q o juiz arbitre os honorários dele. Cada dia é uma história nova.
 
Marco Antonio em 18/09/2013 20:29:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions