A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

23/05/2011 17:03

Comissão da Reforma Política vem a Campo Grande em junho

Débora Diniz, de Brasília

Deputados querem ouvir opinião de lideranças do estado

A Comissão Especial da Reforma Política da Câmara dos Deputados vem a Campo Grande ouvir forças políticas e comunitárias do estado sobre o tema. A visita foi articulada por Fabio Trad (PMDB-MS), que teve requerimento aprovado na semana passada pelos parlamentares. A conferência estadual será realizada em junho, mas o dia ainda não está definido.

Serão convidados para os debates parlamentares, representantes de entidades sindicais, de associações de moradores, de prefeituras e conselhos comunitários. As conferências estaduais começaram a ser realizadas em abril. Desde então, a comissão realizou encontros em Goiânia (GO), Porto Alegre (RS), Aracaju (SE), João Pessoa (PB) e Florianópolis (SC).

As próximas cidades a sediar debates serão Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Salvador (BA), Vitória (ES), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Brasília (DF).

Emperrada há décadas, a Reforma Política parece ter começado a ser discutida de forma prioritária pelo Legislativo. Câmara e Senado formaram comissões para apresentar uma proposta sobre o tema, a começar pelo sistema eleitoral. Entre os deputados, são sete os principais itens discutidos.

Entre eles está a o voto em lista (flexível e fechada), o fim das coligações, o voto distrital, os sistemas mistos e o chamado “distritão” – sistema majoritário em que o estado é o distrito.

“Sou favorável ao sistema distrital misto, contra a reeleição no executivo e a favor da extinção do suplente de senador”, antecipa Trad.

A comissão especial criada pelo Senado já aprovou o financiamento público de campanha. Se for aprovado pelo Congresso, os candidatos só poderão receber recursos da União para custear as despesas eleitorais.

Também foi aprovado pelo Senado o modelo de listas fechadas para as eleições proporcionais (deputados e vereadores). Pelo sistema, os eleitores passarão a votar nas legendas e não mais nos candidatos.

Ambos ainda dependem de aprovação no plenário.



Parabens deputado Fabio, pela iniciativa.
Quanto essa reforma, alguns pontos são de dificil compreenssão. No caso da lista fechada, vota-se no partido e não no candidato. Então como será feita essa escolha, pelo primeiro da lista, e se ele comprar a melhor posição. Essa medida não é antidemocratica, ela tira o direito do eleitor escolher o candidato que quiser. Outro ponto é a questão do financiamento publico de campanha. primeiro isso não vai resolver porque o candidato se quiser gasta por fora, segundo esses bilhões poderia ser gasto para melhorar a saúde que massacra nossa população em todo o Brasil.
 
RIVALDO ALVES - NOVA ALVORADA DO SUL em 24/05/2011 09:13:59
Ótima iniciativa do deputado Fabio. Aguardo a próxima reportagem sobre o tema, pois quero levar todos os alunos do curso que coordeno. A reforma política é fundamental. Acho que é a mais importante de todas.
 
Roberto Ruggiero em 23/05/2011 09:01:28
Sem a fidelidade partidária a reforma política não passará de um engodo. Caso também prevaleça a escolha dos candidatos a cargo eletivo, através da famigerada "Lista fechada", os partidos políticos comandados por clãs familiares ou por políticos carreiristas, que hoje se tornaram em verdadeiros "donos" de diversas agremiações partidárias, se perpetuarão no Poder, evitando, através de artimanhas convalidadas pela própria legislação eleitoral, que surjam novas lideranças. Se essas idéias forem convertidas em lei, se constituirão em um terrível retrocesso que poderá colocar em risco a própria Democracia.
 
Oscar Mendes em 23/05/2011 08:12:13
Muito bem vinda esta comissão, um assunto que precisa ser realmente discutido pela população e lideranças em geral.
 
José Arantes em 23/05/2011 06:23:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions