ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEXTA  21    CAMPO GRANDE 30º

Política

Deputado vai denunciar ameaça que sofreu de índios durante sessão

Caroline Maldonado e Leonardo Rocha | 22/10/2015 13:21
Indígenas lançaram campanha de boicote oficialmente hoje na Câmara (Foto: Leonardo Rocha)
Indígenas lançaram campanha de boicote oficialmente hoje na Câmara (Foto: Leonardo Rocha)
Paulo Corrêa afirmou que vai tomar providências sobre ameaça e defesa do boicote (Foto: Divulgação)
Paulo Corrêa afirmou que vai tomar providências sobre ameaça e defesa do boicote (Foto: Divulgação)

O deputado Paulo Corrêa (PR) disse que foi ameaçado e pretende registrar boletim de ocorrência contra indígenas que estiveram na sessão de hoje (22), na Assembleia Legislativa. Ele falou que vai requisitar à Mesa Diretora o vídeo das câmeras do local e entregar à delegacia, além de abrir processo contra uma das integrantes do grupo que lançou a campanha de boicote aos produtos agropecuários de Mato Grosso do Sul.

“Eu não posso ser ameaçado dentro da Assembleia e não tomar as devidas providências”, disse ele, ao destacar que no vídeo vai mostrar qual foi a ameaça feita.

Corrêa disse ainda que vai entrar com uma ação judicial contra a indígena Sônia Guajajara, que lançou a campanha de boicote aos produtos do agronegócio sul-mato-grossense em plenário. Paulo ressaltou que vai requisitar os documentos de identificação dela para acionar a Justiça. “Ela não pode vir aqui pregar o boicote e não ser responsabilizada sobre isso, sendo que nem é de Mato Grosso do Sul”.

Protesto - A discussão entre um grupo de, pelo menos, 40 indígenas e os deputados Paulo e Mara Caseiro (PTdoB), encerrou a sessão hoje. "Há sangue indígena na produção do Estado", disse a líder Sônia, que é coordenadora executiva da APIB (Associação de Povos Indígenas do Brasil). O deputado se mostrou contrário ao discurso dos índios e solicitou que a mesa diretora apurasse o RG, CPF e a té comprovante de residência de Sônia.

Revoltados, os índios começaram a gritar. Então, o parlamentar se dirigiu até a mureta, próxima ao público, e começou a discutir com os indígenas. Com isso, o deputado Junior Mochi (PMDB) suspendeu a sessão. Os índios permaneceram do lado de fora da Casa, com faixas e realizando danças típicas. Após o fim do tumulto, a sessão foi retomada.

Campanha - O movimento tem integrantes de entidades que pedem aos governantes da Suíça, Holanda, Suécia e Alemanha articulação para inibir importação de Mato Grosso do Sul. Na Alemanha, o grupo tem apoio da WWF, organização não governamental para conservação da natureza, que reúne assinaturas para proteção da Amazônia.

Em Berlim, Sônia e o advogado terena Luiz Henrique Eloy se reuniram, na semana passada, com integrantes da ONU e com a chefia de divisão da América Latina no Ministério das Relações Exteriores da Alemanha para discutir apoio à campanha.

Nos siga no Google Notícias