ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 31º

Política

Filha da secretária de Educação tem cargo no TCE com salário de R$ 8 mil

Por Leonardo Rocha | 07/04/2015 09:56
Filha da secretária de Educação, Maria Cecília Amendola, foi contratada pelo TCE (Foto: Chico Ribeiro - Assessoria)
Filha da secretária de Educação, Maria Cecília Amendola, foi contratada pelo TCE (Foto: Chico Ribeiro - Assessoria)

Após a polêmica que envolveu a contratação dos filhos do deputado estadual Rinaldo Modesto (PSDB), pelo TCE (Tribunal de Contas Estadual), que inclusive resultou na saída de ambos, a filha da secretária estadual de Educação, Maria Cecília Amendola da Motta, também foi contratada pela instituição, no dia 6 de fevereiro deste ano, para o cargo de assessor de inspetoria, que tem salário superior a R$ 8 mil reais.

A contratação de Viviane Amendola da Motta, filha da secretária estadual de Educação, foi feita pelo presidente do Tribunal de Contas, o conselheiro Waldir Neves. Ela exerce a função de assessor, símbolo TCA-203, na 6° Inspetoria de Controle Externo, tendo a validade da nomeação a contar desde o dia 9 de fevereiro.

Existe o questionamento se estas contratações tanto dos filhos do deputado estadual (Rinaldo Modesto), assim como da filha da secretária de Educação, ambos do PSDB, tiveram alguma influência política, ou uma ação de nepotismo. No primeiro caso o tucano negou qualquer ação política ou troca de “favores” com os conselheiros do Tribunal, ressaltando que seus filhos foram contratados por suas respectivas competências.

Já no caso da filha da secretária estadual, ela já trabalhava no Tribunal pela Seleta (Sociedade Caritativa e Humanitária), e que após o término do contrato, foi contratada pela instituição. O TCE teve que demitir 260 funcionários terceirizados que prestavam serviços por meio de convênios, com a Seleta e Limpa Mesmo, em função de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), firmado em outubro com o MPE (Ministério Público Estadual). Para suprir esta demanda, terão que usar os servidores efetivos ou contratar por concurso ou cargos em comissão.

O Tribunal de Contas ressaltou por meio de assessoria que Viviane Amendola foi contratada por sua competência profissional e que isto não se caracteriza como nepotismo, já que ela não está sob o comando direto da secretaria de Educação, Maria Cecília, já que se trata de órgãos diferentes, não vendo irregularidade.

Entramos em contato com a secretária de Educação, porém fomos informados que ela não poderia atender porque estava em reunião, até o fechamento da reportagem, ela não havia retornado as nossas ligações.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário