ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 29º

Política

Governo veta lei que obrigaria unidades de saúde a ter intérpretes de libras

Justificativa é que proposta aumenta despesas e invade a competência do Executivo estadual

Mayara Bueno | 03/08/2018 08:48
Da esquerda à direita, deputados Maurício Picarelli (PSDB), Herculano Borges (SD), Enelvo Felini (PSDB), Junior Mochi (MDB) e Amarildo Cruz (PT). Foto: Luciana Nassar/ALMS).
Da esquerda à direita, deputados Maurício Picarelli (PSDB), Herculano Borges (SD), Enelvo Felini (PSDB), Junior Mochi (MDB) e Amarildo Cruz (PT). Foto: Luciana Nassar/ALMS).

O governo de Mato Grosso do Sul vetou o projeto de lei previa intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) em unidades de saúde e hospitais. A intenção era melhorar o atendimento a pacientes com deficiência auditiva.

Segundo o Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (dia 3), embora importante, a medida invade a competência do chefe do Executivo estadual.

O texto afirma, ainda, que a proposta também afeta a "programação orçamentária" do Estado, já que prevê aumento de despesas não planejadas e não autorizadas por lei. Isso porque teria de mexer no quadro de pessoal da rede estadual de Saúde.

"Quanto à obrigação direcionada aos hospitais municipais e às Unidades Básicas de Saúde, sediadas no âmbito do Estado de Mato Grosso do Sul, o Projeto viola a autonomia política e administrativa dos Municípios, o que representa flagrante ofensa ao pacto federativo".

A lei foi apresentada pelo deputado Maurício Picarelli (MDB) e acrescentaria item à legislação que reconhece a Libras como meio de comunicação de uso corrente em Mato Grosso do Sul. O veto vai para Assembleia Legislativa, onde os deputados podem derrubar ou mantê-lo.

Nos siga no Google Notícias