A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

15/12/2010 15:13

Kit anti-homofobia do MEC causa polêmica

Paulo Fernandes

Vereador Paulo Siufi diz que vídeo incentiva homossexualidade

Paulo Siufi diz que crianças vão ser colocadas no furacão da sexualidade (foto: João Garrigó/arquivo)Paulo Siufi diz que "crianças vão ser colocadas no furacão da sexualidade" (foto: João Garrigó/arquivo)

Um kit educativo que está sendo preparado pelo MEC (Ministério da Educação) contra a homofobia gerou a ira do presidente da Câmara Municipal, Paulo Siufi (PMDB). Em discurso na sessão desta quarta-feira, ele fez críticas ao material que será distribuído nas escolas a partir do ano que vem.

Siufi, que é pediatra, afirmou que o material estimulará a sexualidade precoce em crianças. Ele comunicou ainda que irá procurar o Promotor da Infância e Juventude, Sérgio Harfouche, para tomar providências contra o caso.

“Imaturas, crianças vão ser colocadas no furacão da sexualidade sendo estimuladas a pensarem na homossexualidade. Eu não acredito que as famílias devem ser submetidas a essa agressão”, afirmou.

Em material divulgado pela assessoria do vereador, ele afirma que o kit do MEC possui duas historinhas. “Em uma delas, um garoto de 14 anos, chamado Ricardo, vai ao banheiro fazer pipi e olha para o lado, vê o coleguinha dele que está fazendo também, e se apaixona por este colega, e então decide assumir sua homossexualidade e quando o menino retorna para a sala de aula diz que mudou de nome e se identifica como Bianca”.

Conforme a assessoria de imprensa da Câmara, Siufi recebeu apoio de outros vereadores como Alcides Bernal (PP), João Rocha e Grazielle Machado (PR).

O kit terá mais outros dois vídeos e um guia de orientação aos professores e será enviado a 6.000 escolas de ensino médio, no ano que vem. A proposta do material é combater a homofobia nos colégios do País.

Paulo Siufi é conhecido pela postura centrada na defesa da família. Ele é autor de inúmeras leis, mas uma das mais lembradas é a da Pornografia, que proibiu a publicidade com conteúdo sexual em Campo Grande.

O MEC informou ao Campo Grande News que o vídeo ainda está em análise em uma comissão da Secad (Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade) do MEC.

A assessoria do MEC informou ainda que “representantes do MEC não vão responder às críticas do vereador Paulo Siufi”.



Eu concordo´plenamente com o nosso vereador Paulo Siuf em que mundo nos vamos parar desse jeito, ja estão induzindo a essas crianças a seguir pra esse lado temos que fazer uma campanha é contra esse absurdo. Diz a essas pessos que acha isso normal procurar na BÍBLIA SAGRADA a onde diz que isso é uma coisa abençoada por DEUS. DEUS deixou o casal HOMEN E MULHER; até os animais é casal.ISSO É UM ABSURDOOOOOOO...
 
maria aparecida em 19/05/2011 11:14:10
Srs...

cada um defende sua classe...

porém meu testemunho é claro e deve ser considerado.
quando criança tive uma tendência a ser um não homem, no entanto minhas convicções e caráter me fizeram a escolher ser o que sou, só vejo na minha frente como desejo mulher, e é para isso que fui criado, e creio que se estivesse nestas condições que o mundo de hoje prega, não sei o que seria de mim, portanto ser ou não ser é uma escolha de acordo com a tendencia, não force por favor.
seria desastroso uma infeliz escolha de nossos governantes incutir na mente de nossos filhos tal situação.
por favor deixem cada um ser o que quer ser...
porque não inserir o kit do Senhor Jesus que salva e que não compromete...
se somos livres porque querem nos prender....
só é descriminado quem quer ser discriminado.
porque não estudar um kit que ensine o jovem como reagir a descriminação...
a descriminação por exemplo dos negros está se acabando não por leis que discriminam e sim porque eles mesmos não se sentem discriminados, ou as pessoas não colocam em prática o que aprendem nas escolas - a lei da ação e reação, sejamos inteligentes.
meu povo perece por falta de conhecimento, buscai sabedoria e revelação efésios 1:17
o mundo está contaminado por nossas atitudes.
se temos que respeitar quem é....
porque não podem respeitar o que somos....

deixem tudo como está e Deus encarregará do resto....
ou haverá a necessidade de Deus colocar as mãos....
lembrem se, tsunamis, vendaval, abram os olhos do espírito ou padeceremos.

que Deus esteja com todos, pois ele ama o pecador mas não o pecado.
 
Sergio aparecido de Souza em 13/04/2011 06:53:20
Muito bem Dr. Paulo Siufi! São líderes assim que o mundo precisa. Tem postura e defende o direito daqueles que preservam a estrutura familiar, a forma de educar e o futuro das nossas crianças.
As rua esburacadas conforme citadas, e outros, se resolvem com dinheiro, mas a formação do caráter, é coisa complexa e muito séria.
A prefêrencia sexual deve ser uma escolha individual e consciente sem a interferência do "MEC" ou de quem quer que seja.
 
Ana Berenis em 16/12/2010 12:57:09
como disse Arnaldo Jabor:
antes era inadimissível ser homossexual,
hoje é normal,
eu vou embora do país antes que se torne obrigatório!

Isto é pura apologia ao homossexualismo, cada um tem direito a escolher o que quer, mas trabalhar na mente das crianças é estratégia suja da classe, e incita rixas.
 
ordinael moura em 16/12/2010 12:41:57
Acho um absurdo essa proposta do mec. Todos sabem que criança tem sempre curiosidade em querer saber como que as coisas funcionam na pratica. Agora vem esse discurso de combate a homofobia para disfarçar o inaceitavel. O mec tem que pensar é em organisar as instituiçao e fortalecê-las. Imagine os senhores que o pro-info esta chegando as escolas( digo ta chegando computadores mas o mais importante as escolas nao tem acesso que ´a internete.
 
José Eudes em 16/12/2010 12:23:36
Hummm...alguém viu o vídeo? alguém viu o material na íntegra, e acabado? Pois é, eu também não vi! Se ninguém viu, e ao que consta nem o vereador, então porque essa comoção toda? Mais um factóide barato criado pelo pujante fanatismo religioso.
 
Gregório Guerra em 16/12/2010 12:22:54
Foi só inventar um nome para criar um monstro "Homofobia", Ouvi um relato de um amigo que estava num balneário com seus filhos e dois marmanjos trocando carícias em pleno local público e na frente de crianças sem o menor pudor, se voce reclama, voce é homofóbico porque não aceita, daqui a pouco teremos que criar a "Heterofobia" porque serão tantos homosexuais que quem é hetero será o errado, absurdo..

Parada Gay, aquilo é uma orgia em praça pública, querem fazer manifestações em plena luz do dia onde milhares de crianças ficam olhando por causa das cores, mas acabam vendo pessoas semi-nús, praticamente peladas, querem respeito mas não se dão ao respeito, não estou generalizando, mas é a maioria, respeito a opinião de quem quer ser ou é homosexual, desde que não queiram impor isto a sociedade como andam fazendo, não sou obrigado a aceitar o homosexualismo como uma coisa normal, agora não venham impor isto aos meus filhos, que são educados e sustentados por mim, chega desta hipocrisia de dizer que é normal.
 
Paulo Marques em 16/12/2010 11:40:00
Parabéns ao nobre Vereador Paulo Siufi, pois nem todos os políticos se preocupam com a moral e os bons costumes da familia. Ao longo das décadas os valores da familia foram se perdendo e nada é feito para que isso não mais, e ainda aparece esse infeliz, que não tem a nada para fazer na vida e cria esse "kit". Será que ele tem família? filhos? netos? etc... Espero mesmo que nunca se aprove esse "kit incentivo".
 
Alberto Sávio em 16/12/2010 11:08:50
Agora, se o MEC desejar ardentemente ou acha de muita importancia fazer filmes vídeos a este respeito, deveria ir mais fundo e pensar o quanto as fa´mílias brasilerias são incestuosas e o quanto isto conduz a sexualidade inclusive a homossexual o que é uma opção e não uma doença ou um defeito acima de qualquer coisa que ninguém pode achar ruim. Tem-se várias outras opções diante do incesto. Eu acho que as pessoas tem o direito de não gostar desta opção e isto deve ser dito porque quando crianças só sabemos sobre o nosso umbigo. A homosexualidade é um ato que advém do doméstico, muito mais do quie da escola, creio. Ai Ricardo virar Bianca pode ficar até divertido, ao menos para eu mesma. Eu sou de uma família de imigrantes libaneses incestuosos - casa-se tradicionalmente primo e primas.
 
sonia bacha sb em 16/12/2010 10:44:06
Eu penso que, ao invés de criar programas contra a homofobia juvenil (que cresce cada vez mais) os vereadores, deputados deveriam desenvolver programas que possam tirar esses adolescentes das ruas e que agreguem valores a formação profissional e intelectual.
As pessoas que são homossexuais já nascem com esse carma e não adianta tentar mudar isso. O que deveria ser feito é tirar os jovens das ruas com programas que sirvam de alicerce ao jovem.
 
Alexandre Rocha em 16/12/2010 10:27:59
Nobre vereador, se preocupe melhor com o aumento da agua em Campo Grande... isso sim vai prejudicar toda a nossa população...
 
pedro lima em 16/12/2010 10:24:12
Pagaremos ainda por muito,mas muito tempo,um preço altíssimo pelos 8 anos e mais 4 que vem por aí desse governo sem rumo,sem moral,sem caráter.Querem desagregar.Está claríssimo.Não viram,ontem,na "prestação de conta"do presidente fanfarrão a presença do facínora Zé Dirceu? O povo deve ficar alerta.O pessoal que comanda o país não tem parâmetros nem limites.Tenho certeza que mais dia,menos dia,serão enxotados,a chutes e ponta-pés,como sapos do galpão.
 
Ronaldo Ancél Alves em 16/12/2010 10:06:20
Eu como mãe não gostaria que meu filho assistisse um filme desse, meu filho sabe oque são homosexuais...Acho que precisa ser criada uma Lei tambem porque hoje me sinto ultrajada me chamam de "religiosa e moralista", meu Deus estou sendo atacada, quero meus direitos defendidos. Não posso ter principios, gente sera que é errado ter moral, acreditar ainda nos bons costumes. Por eu não achar que essse kit não é legal, nao significa que ando na rua maltratando pessoas por suas opções sexuais. E acredito que existam outras maneiras de trabalhar os temas, respeito ao proximo, isso da maneira que for, branco, negro, amarelo, indio, homossexual, pobre, rico letrado, analfabeto. Respeito, isso é a palavra, agora porque tenho que respeitar a tudo que querem enfiar de guela a baixo, e não posso ter meus valores respeitados..
Parabens Dr. é necessario que existam pessoas que lutem pela moral.Obrigada
 
REJANE INACIO em 16/12/2010 09:17:04
Não estou aqui para julgar ninguém mas, despertar a homosexualidade em crianças que estão em estado de formação do caráter isso não pode acontecer familia bonita é aquela desde os primórdios da humanidade um pai, uma mãe e uma criança fruto do relacionamento dos dois. (Alguém aqui foi gerado a não ser de uma genitora???)
 
Charles Vargas em 16/12/2010 09:00:01
Somente uma pessoa com pouco esclarecimento afirma que "crianças serão colocadas no furacão da sexualidade". Crianças tem sexualidade e isso qualquer psicólogo sabe, por mais que nosso ilustre promotor e o Sr. Paulo acreditem que suas opiniões valem mais que anos de estudos e pesquisas científicas sobre isso. Gostaria de vê-lo preocupado com as crianças que são abusadas, exploradas sexualmente, que sofrem violência na escola. A homossexualidade existe (cristãos aceitando isso ou não), os homossexuais (homens, mulheres,travestis) são cidadãos como todos nós e merecem ser respeitados.Creio que discutir sem ver o conteúdo da cartilha é leviano. Se a intenção é ensinar às crianças a tolerância, o respeito à diversidade e outras formas de pensar, viver e agir devemos então participar do processo, e não apenas criticar por criticar. Infelizmente me deparo com alguns poucos comentários que remetem à idade média. O Estado é laico. Cada um com sua religiosidade, e os que defendem os princípios cristãos do amor, do respeito e da tolerância deveriam ter em mente que estas atitudes de negar a discussão não levam à lugar algum. Felizmente, para vocês, os campos que extermínio que mataram judeus, ciganos, homosseuxais não existem mais para que os "indesejáveis" da sociedade sejam expurgados. Vamos ter que aprender a viver e conviver com a diferença e se almejamos uma sociedade mais tolerante, há que se começar na educação.
 
Danieli Souza em 16/12/2010 08:46:25
Quando eu era criança, existia aula de religião nas escolas... agora "NÃO PODE", porque dizem que é "IMPOSIÇÃO RELIGIOSA". Pois bem, porquê tenho de aceitar a "IMPOSIÇÃO HOMOSSEXUAL" dessas pessoas???? Senhores, não sou contra a opção sexual, mas contra a "IMPOSIÇÃO" de ter de conviver com ela goela abaixo. Se não aceitam minha opção religiosa, porquê tenho de aceitar a de vocês??? Dizem: PAGAMOS IMPOSTOS E TEMOS DIREITOS!!! E eu, não pago também?????? Ou é só o dinheiro de vocês que vale, pra SOBREPOR o meu???? DEUS OS ABENÇOE.
 
Sérgio Maciel em 16/12/2010 08:43:15
Voce já imaginou estar com suas filhas em um restaurante e entra dois marmanjos, sentam ao lado e começam a se "amassarem" beijos na boca e toda obcenidade atinente a esse tipo de relacionamento. O governo quer tornar-nos cidadãos de terceira classe, já que de acordo com o teor da PEC 122, voce seria punido não por discriminar o homosexual (que é errado) mas por discriminar o ato. O cara quer ser que seja, mas pelo menos respeite a familia de quem não aceita o ato que é anti-natural e anti-familia. Nao aceito e admiro Paulo Siufi, pela coragem que outros não tiveram. Voce Paulo é a voz da familia cristã. conte comigo
 
Valter Oliveira em 16/12/2010 08:37:53
Quando estava cursando o ensino médio, alem das materias de praxe, tínhamos o ensino religioso e OSPB, onde aprendiamos a civilidade e o reforço a respeito do que sabíamos sobre Deus, Jesus e sua vida na terra. Havia tambem em todas as salas um crucifixo, lembrando o cristianismo. Não sei quando nem qual foi o "iluminado" que retirou o ensino religioso do currículo escolar, bem como o crucifixo que está sendo banido das repartiçoes públicas. Vejo nisso uma inversão de valores crudelíssima, pois no lugar do ensino religioso, estão ensinando a aceitação de algo nocivo a familia recriminado pela bíblia em Romanos 1 vers 23 em diante tambem o crucifixo, poderá ser substituido por algo talvez um penis de borracha para ensinar as crianças a usar caminsinhas. que Deus tenha piedade de quem ainda o tema e que abençoe Paulo Siufi que o defende.
 
Valter Antunes Oliveira em 16/12/2010 08:21:13
Sugiro um Referendo para este assunto. Se bem que, após a eleição do Palhaço Tiririca, não vejo muita seriedade neste tipo de responsabilidade atribuída aos brasileiros. Mas não custa tentar!
 
Denise Ferreira em 16/12/2010 08:17:16
EXISTEM MIL MANEIRAS DE SE FALAR EM SEXUALIDADE SEM Q SEJA NECESSARIA A UTILIZAÇÃO DE UM MATERIAL DESSA CATEGORIA,FALA SERIO,DEREPENTE MEU FILHO ACORDA , TOMA SEU CAFÉ DA MÃE ,ME DA UM BEIJO E VAI PARA A ESCOLA, ALGUMAS HORAS DEPOIS RETORNA DIZENDO QUE NÃO É MAIS MEU FILHO E SIM MINHA FILHA!MEUS FILHOS SÃO BEM ORIENTADOS COM RELAÇÃO A HOMOSSEXUALIDADE.MEC DE UMA REVISADA NO MATERIAL QUE VCS TEM COLOCADO PARA NOSSOS FILHOS,A HOMOFOBIA NÃO ESTA NAS ESCOLAS E SIM NA SOCIEDADE.A REALIDADE É QUE AINDA SE DISCRIMINAM PESSOAS PELA RAÇA , RELIGIÃO,COR E SEXUALIDADE.NINGUEM É PERFEITO DEMAIS PARA QUE POSSA DIZER ...EU NÃO FASSO ISSO!!.DE UMA FORMA OU DE OUTRA SEMPRE ACABAMOS DISCRIMINANDO ALGUEM.SOU CONTRA ESSE TIPO DE MATERIAL SIM,TENHO ORIENTADO MEUS FILHOS CONFORME A SUA FORMA DE ENTENDER E ME DESANIMA CADA VEZ MAIS ESSA NOSSA EDUCAÇÃO .A QUEM VCS ESTÃO TENTANDO IMPRESSIONAR?VCS QUEREM CHAMAR A ATENÇÃO DE QUEM?SE FOR DAS CRIANÇAS E DOS ADOLESCENTES, POR FAVOR, NÃO PERCAM MAIS SEU TEMPO,OU VCS NÃO SABEM QUE AS CRIANÇAS E ADOLESCENTES DE HOJE SÃO PRECOSES E JA TEM SUAS PRÓPRIAS IDEOLOGIAS,FALA SERIA, NADA VAI MUDAR.
 
LEILA SOARES em 16/12/2010 08:12:52
de fato sobra tempo para politicos despreparados ficarem inventando leis que não agregam valores consistentes e éticos a sociedade, as opções e atitudes que escolhemos na vida vem também acrescidas de responsabilidades individuais, que o estado não tem a mínima condição de assumir, tampouco impor, de forma contrária a formação moral da maioria dos Brasileiros de bem. Parabéns ao vereador Siufi, valores serão sempre VALORES.
 
Celso Pereira de Almeida em 16/12/2010 07:33:00
o Sr Paulo Siufi (Senhor sim, pois ele não é doutor. Doutor é quem tem doutorado) está atrasando a cidade de Campo Grande. Primeiro ele quis vetar o material do MEC que alertava os jovens sobre DST. Agora quer vetar o kit antihomofobia. O que ele vai fazer é: matar cidadãos sul matogrossenses de doenças, que seriam facilmente evitáveis com um pouco de educação. Além disso, vai estimular o preconceito. A sociedade precisa de pessoas que olhem para frente e não que governem do mesmo modo que na idade média. Viva o futuro de MS, Fora Puccinelli e seus cupinchas.
 
Alan Fredy em 16/12/2010 05:53:41
Danieli Souza, faço das suas, as minhas palavras. Concordo plenamente com tudo o que disse.
 
Marcia Sil em 16/12/2010 04:58:07
Muito preocupante a decisão do MEC./// é lamentável que uma minoria continua tentando colocar seus pensamentos, ideias, e movimento que se acham intelectuais e situações de normalidade.///// Uma pena que a grande maioria da população não fique atento a essas "decisões" tomadas por pessoas do MEC, influenciadas por grupos que não tem qualquer comprometimento com família. até pq no intimo de um pai e mãe fica a frustação de ter um filho ou filha homosexual./// Que os nobres vereadores ouçam com atenção as ponderações do presidente Paulo Siuffi e não permita que a distribuição desta cartilha chegue nas mãos dos nossos filhos...
 
ANTONIO CARLOS OLIVEIRA em 16/12/2010 04:51:24
Pessoal do céu...

Não quero nem me pronunciar sobre os absurdos que este chamado nobre vereador vem causando na nossa casa legislativa de Campo Grande-MS, porem só quero alertar a todos os leitores e comentaristas desta matéria que em em nenhum monento nós que somos do movimento LGBT tivemos acesso ao tal matérial e muito menos o MEC lançou tal matérial, oq ue sabemso é que a idéia do MEC é lançar materiais que não somente minimize os preconceitos, discriminações e aversões aos LGBT - Lesbicas,Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, mas tambem dizer aos estudantes que assim como existem pessoas e casais heterossexuais tambem existem pessoas e casais homossexuais, mas que este material está aind asendo estudado analizado e trabalhado e não carta marcada como sendo obrigatório ou impositório as comunidade secolares.
Acredito eu, que o nobre vereador Siufi devia melhor se esclarecer sobre determinados assuntos que considere polêmico e dos quais ele não tem vastas experinecia sobre o assunto nem domina conhecimento e devia ser mais objetivo em cuidar da saúde de Campo Grande, das miserabilidades das favelas, de ajudar ao prefeito a resolver os problemas alagamento e desmoronamento nos corregos da cidade, combater a fome e a pobreza com ações sociais e ajudando o prefeito a nos trazer industria a nossa cidade gerando renda e emprego.
 
Cris Stefanny em 16/12/2010 04:51:17
Dizer que a escola não deve discutir temas delicados como sexualidade e que isso cabe apenas a família é, no minimo, irresponsabilidade. Principalmente nos dias atuais, em que o tempo em que crianças e adolescentes passam nas escolas só aumentam. Ou seja, muitas vezes eles passam mais tempo com colegas, amigos e educadores do que com os proprios pais (muitos trabalham, outros nao tem intimidade com os filhos mesmo).
Alias, é até espantoso dizer que discussoes sobre homossexualidade ou até mesmo distribuir camisinhas na escola possam despertar precocemente a sexualidade. Isso ja nao acontece?? Por acaso no interior dos quartos cheios de computador, televisao, dvd player, nos quais eles se infurnam, eles nao tem acesso a nada sobre sexo?? Os pais que simplesmente nao sabem lidar ou envergonham-se disso?? Leio os comentarios do pessoal aqui e fico imaginando se é simplesmente ingenuidade dos atuais ou futuros pais.
A escola tem sim o dever de educar as crianças, com responsabilidade é claro. E principalmente ensinar o respeito e tolerância. Ainda mais num meio tao diverso quanto a escola. E até pergunto aos pais aqui: seu filho é tudo o que voce sempre quis ou ensinou? Ele tem os seus valores? Pode apostar que muitos nao. E pode ser que seja seu filho, que voce nem sabe que é homossexual (ou nerd, ou gordo, etc.) que sofra perseguição.
Outra coisa, o Brasil é laico, a escola publica deve ser laica também. Entao a ideia de valores cristãos não devem ser impostas absolutamente. Os proprios cristaos deveriam ser os primeiros a defender isso, pois historicamente (e biblicamente) foram muitas vezes perseguidos; ou entao eles nao se importam com os cristaos perseguidos que vivem sob a moral islamica de varios países, por exemplo.


Em segundo lugar, concordo com o colega que disse abaixo: Alguem viu esse kit (que o correto é anti-homofobia e não kit gay)?? que pela propria reportagem ainda está em analise? O trecho entre parenteses citado pela reportagem é do deputado Jair Bolsonaro em discurso na camara ( o mesmo que falou no programa da Luciana Gimenez, que 'se um garoto tem desvio de conduta logo jovem, ele deve ser redirecionado para o caminho certo, nem que seja com umas palmadas"). Foi nisso que o vereador Siufi se baseou?
Vi uma parte do video citado, do garoto chamado José Ricardo que prefere ser chamado de Bianca. Em momento algum apareceu cenas em mictorios, ou algo do que foi comentado. Ou seja, ta sobrando muita critica para pouca informação. Nao vi os demais videos, mas antes de criticar algo, é importante tomar conhecimento total sobre o assunto.
 
Thiago Martins em 16/12/2010 04:48:59
Parabéns ao Deputado Paulo Siuf, pois mostra sua preocupação com a sociedade e com a família, diante de uma atitude absurda do MEC, que em vez de se preocupar com a formação das crianças nas escolas e com a segurança dos professores, vem com projetos de pouca valia. Não nego que devemos respeitar as diferenças, mas impor a crianças que tem uma grande curiosidade das coisas que ser homossexual é algo normal é mentira, sou contra a violência mais obrigar a aceitar isto como normal NÃO. Pode contar com meu apoio deputado Paulo Siuf, não deixarei meus filhos crescerem achando que o errado é certo. DEUS Criou o homem e a mulher para se completarem, não podemos distorcer este milagre divino. Pense bem nisto.
 
Ramao Rodrigues da silva em 16/12/2010 04:44:30
Kit homofobia???
Como se muda a postura de toda uma sociedade com relação ao assunto homossexualidade?
Não é assim, da noite para o dia, que isto acontece e, não será esta espécie de kit a fazê-lo. Mas pode ser um começo, não de forma infantilizante, como a proposta por tal kit, no qual um menino olha para outro e automaticamente troca de identidade e tornando-se Bianca e, que ainda, usa termos usados na educação infantil, como pipi etc. Opção sexual, se é que se pode chamar assim, inclui outros fatores omitidos neste material, que é uma proposta, e que deve ser melhor formulado. Mesmo assim é deplorável este tipo de atitude “pró-familiar” do Vereador, ou de pessoas “moralistas” que talvez devam acreditar que não há homossexuais nas famílias sul matogrossenses, inclusive nas suas próprias famílias. Adolescentes devem sim ter contato com tais temas. Ou o vereador desconhece o fato de que adolescentes serão futuros adultos, não são inúteis e já mantém contato com este tipo de assunto cotidianamente, mas não de forma instruída ao não preconceito? Tudo ótimo, se a proposta é preservar as crianças, mas daí a transformá-las em inúteis e sem conhecimento da diversidade é outra coisa...
Começa com o impedimento da educação sexual nas escolas, depois a retirada de propagandas tidas como “pornográficas” dos espaços públicos da cidade. Qual será o próximo passo? Burca para as mulheres? Apedrejamento para as Profissionais do sexo? E por último, morte aos homossexuais? Siufi isto aqui não é o Afeganistão não! Acho que chegou a sua hora de sair da idade média!
 
Roger Pereira Domingues em 16/12/2010 03:40:04
DR ANDRÉ PUCCINELLI, DR NELSON TRAD FILHO, DR PAULO SIUFI .... vão cuidar da saúde de CAMPO GRANDE.... é uma vergonha uma cidade "governada" por médicos e a nossa saúde é uma lastima...
 
eliane benitez jara em 16/12/2010 02:53:15
Sugiro que mandem o Kit livros atualizados, kit professores qualificados, kit cadeiras melhores, kit ventiladores que funcionam, kit enchente (em dia de chuva algumas escolas vão precisar). Garanto que com esse kit's formaremos uma sociedade muito mais inteligente.

 
Priscila Morais Moreira em 16/12/2010 02:43:27
Kit homofobia???
Como se muda a postura de toda uma sociedade com relação ao assunto homossexualismo?
Não é assim, da noite para o dia, que isto acontece e, não será esta espécie de kit a fazê-lo. Mas pode ser um começo, não de forma infantilizante, como a proposta por tal kit, no qual um menino olha para outro e automaticamente troca de identidade e tornando-se Bianca e, que ainda, usa termos usados na educação infantil, como pipi etc. Opção sexual, se é que se pode chamar assim, inclui outros fatores omitidos neste material, que é uma proposta, e que deve ser melhor formulado. Mesmo assim é deplorável este tipo de atitude “pró-familiar” do Vereador, ou de pessoas “moralistas” que talvez devam acreditar que não há homossexuais nas famílias sul matogrossenses, inclusive nas suas próprias famílias. Adolescentes devem sim ter contato com tais temas. Ou o vereador desconhece o fato de que adolescentes serão futuros adultos, não são inúteis e já mantém contato com este tipo de assunto cotidianamente, mas não de forma instruída ao não preconceito? Tudo ótimo, se a proposta é preservar as crianças, mas daí a transformá-las em inúteis e sem conhecimento da diversidade é outra coisa...
Começa com o impedimento da educação sexual nas escolas, depois a retirada de propagandas tidas como “pornográficas” dos espaços públicos da cidade. Qual será o próximo passo? Burca para as mulheres? Apedrejamento para as Profissionais do sexo? E por último, morte aos homossexuais? Siufi isto aqui não é o Afeganistão não! Acho que chegou a sua hora de sair da idade média!
 
Roger Pereira Domingues em 16/12/2010 02:28:46
Vejam só, ao invés do Senado e a Secretaria de Educação e o referido MEC se preocupar com a situação dos que lecionam sem a devida condição para aplicar suas aulas em sala, estão enchendo a pauta com esse tipo de projeto. Ora quantos em reais estão sendo investido nesse projeto sem fundamento, a sociedade merece qualidade no ensino, nos materiais didáticos, na merenda escolar, merecem professores com qualidade de vida melhor, ganhando mais e com sua saúde mental cuidada pois hoje exige-se muito mais de um professor do que outrora.
Senhores legisladores, não permitam que desvirtualizem o conceito de família, esse tipo de projeto que estão colocando dizendo que é para evitar o preconceito é maneira que eles arrumaram para mudar todo os valores de família, é dentro de casa que ocorrerá a mudança do SER e não em projetos infundados, ou acham que tratando assim com as crianças eles vão se sentir a vontade em tratar esse assuntos com os pais, primeiro de tudo a responsabilidade é de quem os gerou e depois nas escolas . Estão tirando a autonomia da familia e jogando para os educadores de sala de aula para abordar e educa-los. Eu não tenho filhos, mas se tivesse gostaria que fossem abordados por mim esse tipo de assunto, e estando preparados para ouvir trataria com eles no momento oportuno. É por isso que estamos vendo tantas aberrações. Pois a família perdeu o direito de comando sobre os filhos. Meu apoio ao Dr. Paulo Siufi.
Não é preconceito, mas um direito de escolha.
 
Suzana Maroli em 16/12/2010 02:20:00
Gente, crianças e adolescentes precisam de informação, e muita informação sobre sexualidade, homosexualidade, prevenção de doenças, utilização de metodos anticoncepcionais, abuso sexual. Na midia esta cheia de insinuações sexuais, e as informaçoes chegam muito distorcidas, é necessario mostrar a sexualidade do jeito certo e dentro das escolas, deixar que façam perguntas, depois de todas as perguntas respondidas, eles poderao decidir sobre a propria sexualidade e como irão usa-la.
 
Tadia Lopes em 16/12/2010 01:59:43
Francamente hein, sobre o aumento do salário dos deputados e da presidenta ninguém fala nada. Agora perder tempo falando de homofobia, francamente é muita falta de assunto. Vai ver não tem nada para ser falado.A saúde, segurança, educação esta tudo muito organizado que nem precisa ser lembrado. Vamos deixar que as crianças decidam sua sexualidade, por que isso ninguém precisa ensinar a elas e vamos cada um cuidar de suas obrigações por favor.
 
MARINEZ MACHADO em 15/12/2010 11:56:04
É estranho viver num mundo que se desenvolve em velocidade incalculável e observar o crescimento diretamente proporcional de gente moralmente ignorante, preconceituosa, desrespeitosa e baixa.
Meu voto esse pessoal nunca terá. Mas, infelizmente, continuarão sendo eleitos pela mesma gente hipócrita, moralista e recalcada que povoa essa cidade.
 
Luciana Souza Reino em 15/12/2010 11:35:35
nossa além de aumentarem o salários esses deputados que são médicos não fazem nada pela saúde. Pura falta do que fazer agora fica cassando motivo pra driblar a população e a saúde fica aonde? Dr. paulo vai olhar pra santa casa e pára de ler estorinhas!!!! homossessual ou heterossessual é uma opção e não o fim do mundo!!!
 
Fernanda O. Muniz em 15/12/2010 11:22:06
- Parabéns Dr. Siufi pela postura adotada; não se trata aqui de discutir a sexualidade desse ou daquele; mas sob a bandeira da "não homofobia" (No que eu concordo plenamente). muitas vezes vemos embutidas idéias que nada mais fazem do que confundir as cabecinhas dos juvenis. Não vamos ser relapsos, mas esses Kits são tão estapafurdios quantos as cotas para negros e indios nas Universidades. Afinal negros e indios tem cérebros inferiores? Sou afro-descendente e acho isso surreal. Ora, voltando aos kits, vamos abandonar essa idéia ridicula e deixar a vida e os costumes seguirem o curso da normalidade, zelando pelas normas de conduta e moral estabelecidas pela sociedade desde o principio das civilizações. Isto posto, consideremos que ser "homo" ou "hétero" é uma questão intrínseca da natureza humana, para a qual nem Freud teve uma explicação lógica. Vamos todos continuar sendo apenas homens e mulheres e cada qual com suas preferencias e direitos preservados, desde que isso não implique em agredir os direitos do individuo; pois definindo o caráter dos humanos poderiamos afirmar que: CARÁTER é o conjunto de defeitos ou virtudes que tornam a pessoa um índividuo, e não importa que seja hétero ou homo, tendo um caráter ilibado, vamos respeitá-los e amá-los da mesma forma. E viva a liberdade.
 
Josue Ratier de Souza em 15/12/2010 10:54:54
Senhores, vivemos numa democracia e estado laico. O que o papa fala ou deixa de falar não tem a menor importância no governo. Senhor machão "hétero" que exige respeito, aprenda a respeitar a liberdade alheia para exigir alguma coisa. Educação serve em qualquer lugar. O mais engraçado é que ninguém se preocupa com os programas que passam nas tardes dos finais de semana onde crianças dançam "Rebolation". Isso não expõe e nem estimula o sexo. As novelas com cenas altamente lascivas, se a criança assistir junto com os pais, não acontece nada, é normal. Senhor esclarecidos, o termo agora a ser utilizado é "HOMOSSEXUALIDADE", não estamos mais no CID-10 para termos o sufixo "ISMO". Sr. vereador, vá aos postos de saúde, principalmente os de "Saúde da Família". O sr. sabia que tem postos que ficam sem atendimento por que a médica está de licença maternidade e ninguém a substitui durante esse período? Então todos os senhores que comentaram aí em cima, cuidado com as palavras e expressões que usam. Sou homossexual, minha família sabe, meus amigos. Sou um trabalhador, funcionário público "concursado", pago IPTU, IPVA, IRRF, taxa de condomínio, energia elétrica entre outras inúmeras taxas com valores absurdos para manter o salário do vereador que fica se preocupando com a "santa cristandade", com a "santa família". Sr. vereador dr. Paulo Siufi, preocupe-se mais com o que é real e concreto do que com os projetos do MEC. O senhor como médico deveria era cuidar das verbas do SUS e dos postos de Campo Grande, que aliás deveria ser a cidade exemplo em saúde pública no Brasil já que temos vereadores, prefeito e governador que são´"MÉDICOS". Cidadãos, abram os olhos de vocês e vejam bem o que estão dizendo e o que os "vereadores" que pagamos o salário estão fazendo.
 
Rafael Almeida em 15/12/2010 10:06:46
Acho que o Mec deveria antes criar um Kit anti-homofobia para os políticos da capital. Muitos estão precisando entender questões básicas da cidadania e humanitarismo como respieto e tolerância às diversidades. Lamentável que muitos escodam sua homofobia em discursos difusos.
 
Claudia Regina da Silva em 15/12/2010 10:01:11
Sr Paulo Siufi, mais uma vez o Sr vem envergonhar a cidade, ja não basta querer censurar a propaganda de lingerie na cidade! Campo Grande necessiata de tantos projetos que combatam a violência, as drogas, a dengue, Campo Grande esta com ruas esburacadas, ruas sem iluminação e mais uma vez vem o Sr que parece não ver essas coisas!!
 
Adriano Borges em 15/12/2010 09:46:25
Mais uma vez as políticas públicas são negligenciadas por um patriarcalismo hostil e servagem. Ainda no século XXI temos o exemplo de um "homem respeitável" que não reconhece a diversidade cultural, justamente por pensar que é líder de uma maioria, habitantes de uma província pantaneira. O problema não está na natureza rica de nossa localidade, nem nas direções políticas atuais: pelo fim da violências; e, está sim, neste exemplo de "homem respeitável" profundamente fora de sua realidade social, orgulhoso de sua falta de leitura política. O dito representante político, e afirmo que não é meu, pois não votaria no retrocesso e no machismo, graças às minhas leituras políticas, não deveria se orientar a dar comentários na área de educação, porque é sabido que os verdadeiros representantes democráticos estão locados na esfera social (MEC) e promovem a inclusão das minorias representativas. Segundo minha leitura, que concorda com a proposta do Ministério da Educação, também compreendo a educação como um elemento essencial para a transformação do mundo em um ambiente harmonioso, realizada por cidadãos que estudam profundamente a temática da sexualidade e respeito social e, sei principalmente, que a Pediatria - cujo orgulho se promove o referido "homem respeitável" - não se satisfaz de estudos pedagógicos. Se este "homem respeitável" se promove na Câmara a partir de sua formação acadêmica e insiste em analisar a sociedade a partir dessa ótica, fica evidente que sua representação é falha e imprópria. Cada vez mais a sociedade campo-grandense é lançada por esta voz que ignora a vida humana, que não é democrática, no cenário nacional como uma região distante da modernidade. Façamos mais fogueiras da Nova Inquisição!
 
Luiz Pereira em 15/12/2010 09:37:00
Existe uma minoria, felizmente, que tenta a todo custo tornar a sociedade uma Sodoma e Gomorra, mas enquanto existir sensatez, a sociedade sera formada por homens e mulheres, o que estiver fora desse contexto, nunca sera vontade da maioria.
 
Horlando P. de Mattos em 15/12/2010 09:08:23
Se o MEC quer realmente combater o preconceito nas escolas, deveria focar-se em um tema ainda mais preocupante - o Bulling, que de certa forma abrangeria também a homofobia.
O que nossos alunos precisam não são gibis pseudo-educativos a respeito da sexualidade. Eles, independente da opção sexual, precisam aprender a RESPEITAR TODAS AS DIFERENÇAS - sejam elas quais forem; e o “kit anti-homofobia somente fortaleceria os fatores inerentes a tal preconceito, entre eles, o sarcasmo, o deboche, a agressão e por fim, a exclusão.
Da mesma forma, tais crianças e adolescentes precisam ser respeitados, tendo conteúdos pedagógicos que realmente os coloquem em poder de competitividade com os alunos de qualquer instituição particular; pois, o maior preconceito, em qualquer fase escolar ou acadêmica, é o social.
É muito fácil para um adolescente rotular uma pessoa com o apoio de um grupo; o mesmo ocorre na vida adulta. Prova disso é que o Dr. Paulo acaba sofrendo também uma espécie de “bulling” político por expor o que vai muito além de uma cartilha de polêmica conveniente ao MEC, que parece querer “mostrar serviço”, talvez porque, na troca de governo, não irá pegar bem ser lembrado pela imensa falha ocorrida durante ENEM.
 
Isabela Saldanha em 15/12/2010 08:56:45
Odeio Falso Moralista, como nosso ilustre presidente da Camara dos Vereadores. Deixa de ser o que não é Sr. Sifui!
 
Pedro Santiago em 15/12/2010 08:17:54
Devemos ensinar nossos filhos a tratar as pessoas do mesmo modo que gostariam de ser tratados,respeito aos animais ,as plantas,e ao ser humano é o básico para mudarmos
esse mundo.
Mas pense bem:escrever uma cartilha e dizer que o menino viu o piupiu do outro e apaixonou é a coisa mais ridicula que li nos ultimos anos,tenho vergonha nessas horas de ser brasileira.Não ,não é homofobia é expor os homossexuais ao rídiculo pq ninguem é homossexual pq viu um orgão sexual e se apaixonou...e resloveu mudar de nome,que absurdo!MEC cria vergonha na cara!!
Dr Paulo lute pela moralidade sim,mas na forma como educar essas crianças a entender e respeitar o ser humano,Parabéns valeu meu voto!
 
lilliam gonçalves em 15/12/2010 08:09:17
Pois é acredito que tem muitas coisas que precisam ser mais esclarecidas para as nossas crianças antes mesmo da sexualidade, não que seja menos importânte mas, precisamos focalizar mais no ensino fundamental com mais qualidade, senão teremos muitos legisladores com pouca leitura elaborando leis e projtos dessa natureza.
 
Malu Meireles em 15/12/2010 07:16:55
Primeiro é necessário esclarecer aos diversos comentários postados aqui que a homossexualidade NÃO é uma OPÇÃO. Ninguém escolhe ser homossexual ou heterossexual. Diversos estudos científicos já demonstraram que a homossexualidade é algo natural e não restrito ao ser humano. Nunca vi um cachorro homossexual tendo que se sentar com seus pais e contar que é homossexual. E também nunca vi nenhum animal irracional discriminar outro simplesmente por ele ser homossexual. A discriminação é algo restrito ao bicho que se diz racional.

Para nossa sociedade ser homossexual é errado, um conceito cultural e religioso disseminado ao longo de mais de 1.700 anos, desde o fortalecimento do cristianismo no mundo. Ninguém quer ter um filho homossexual porque tem medo de encarrar a sociedade, mas quando se veem nesta situação, passam a enxergar a homossexualidade de uma forma diferente. Ser gay no Brasil hoje, significa perder toda a sua identidade. Um gay deixa de ter defeitos e qualidades e passa a ser simplesmente gay.

A intenção do MEC é apenas mudar um conceito cultural. Porém, concordo que o material deva ser exibido não para crianças, mas para adolescentes e adultos que possuem um senso crítico mais avançado. Uma criança não precisa ver este material, pois uma criança não tem os mesmos preconceitos que nós adultos temos. As crianças só passam a ter preconceitos quando seus educadores imbutem os preconceitos em suas cabeças. Talvez seria interessante colocar os pais e professores (e alguns políticos) sentados nas cadeiras escolares para aprenderem a lidar com a homossexualidade.

O combate a homofobia é essencial e é sim, um dever do poder público. Um estado laico, não deve levar em considerações fanáticos religiosos e nem fechar os olhos para as violências contra as minorias. Atualmente, 2 gays são assassinados a cada dia no Brasil vítima de homofobia. Estamos no topo do ranque mundial da discriminação aos homossexuais.

Levamos anos para aprovar uma legislação para garantir os direitos das mulheres, dos negros e dos deficientes físicos, e levaremos outros tantos para ter uma legislação que proteja os homossexuais de homofóbicos de plantão. Todos temos os mesmos deveres, mas nem sempre temos os mesmos direitos.

Se sexualidade fosse influenciável, só existiriam heterossexuais. Parabéns ao MEC pela iniciativa.
 
Andre Nardeconse em 15/12/2010 07:04:58
Não vou nem entrar no valor ou não dessa cartilha, apenas acho que o nobre vereador deveria estar era combatendo então os termos usados na tal cartilha, as informações que forem pesadas ou inadequadas e não dizer que se esta incentivando o homosexualismo!!! Será que ele acha ( e outras pessoas também) que se uma criança ler a cartilha e gostar do que leu, irá simplesmente VIRAR HOMOSSEXUAL? Como médico ele deveria saber que não é assim que funciona... Outra sugestão nobre vereador: faça um projeto de Lei onde ocês, politicos ganhem um salário de no máximo 2 salarios mínimos, então veremois quem esta na politica por vocação, interesse pelo povo, amor pelo próximo e quem esta só pela grana e pela auto-pormoção.... PENSEM NISSO.
 
Eduardo Vargas em 15/12/2010 06:49:41
Parabéns ao ilustre vereador Paulo Siufi. Concordo plenamente com suas ideias quanto a este caso. Pobre do MEC! Não consegue sequer aplicar o ENEM. Para desviar a atenção da população sobre sua incompetência, se atreve a 'criar' estorinhas de homossexualismo e determinar a instalação de máquinas 'porta-camisinhas' nas escolas, quando todo mundo sabe que o aluno(a) deve ir a escola com o objetivo de estudar e não para transar. Pobre do Brasil! Que Deus nos proteja do petismo. Lembre-se que aquilo que é ruim pode piorar!!!
 
Juvenal Coelho em 15/12/2010 06:40:14
Será que alguem leu a reportagem direito? Estimular a homossexualidade? e desde quando homossexualidade é estimulada? Olha, eu não sei se alguem que comentou essa materia tem um filho ou um parente gay, voces sabem onde nascem os homofóbicos? Dentro da própria escola. Essa atitude de barrar um material educativo só visa aumetar a violencia na rua. Senhor Paulo Siufi, será que algum filho seu já levou alguma rasteira na escola e ficou com o rosto todo quebrado porque os companheiros de sala "achavam" que ele era gay? ou melhor, será que algum sobrinho seu já levou uma lampada no rosto em plena Avenida Paulista? Ou então já foi perseguido na afonso pena? Será que isso já aconteceu com o senhor? Eu acredito que não, suposto candidato a prefeito. Sugiro que o senhor leia mais jornais e revistas, frequente escolas, converse com professores, e veja a situação do ensino publico no Brasil, veja quem são os professores, como a direção da escola se comporta com a diferença entre os alunos e verifique que tipo de cidadão estamos criando para o futuro. Será que vamos regredir ao tempo das cavernas? Este é o objetivo senhor Paulo Siufi?
 
João Paulo da Silva Bernal em 15/12/2010 06:22:39
Quero ver a hora em que o filho(a) ainda criança virar para o pai, autor desse projeto que destrói u futuro de uma família inteira, e dizer para ele: papai eu quero ser gay, veremos a sua reação diante de um projeto absurdo, um cara com uma mentalidade dessas tem que ser banido da nossa política...
 
Lucas Gomes Andrade em 15/12/2010 05:40:34
O que este senhor objetiva nada tem a ver com a a moralidade ou com a proteção dos valores familiares. Ele já percebeu que este tipo de papel acalenta o voto do cristão mais despreparado para perceber o que de fato deseja e o que quer, MESMO, é a prefeitura de Campo Grande.

SE por acaso conseguir, porque é bem capaz que consiga, dado o conteúdo dos comentários aqui presentes, retiro meu time de campo e vou morar em Corguinho. Antes viver em uma cidade que crê em ETS do que ter Paulo Siufi como prefeito. Aliás, ETs são mais plausíveis que os bons interesses desse senhor, tenham certeza.

Deprimente.
 
Jaciara Barreto em 15/12/2010 05:32:04
o MEC deveria fazer cartilhas incentivando uma melhor educação, fazendo cartilhas sobre sexo, parece que a educação no Brasil está 100 %, e por isso tem que ficar "enchendo linguiça".
É revoltante isso. Com tantos problemas na educação, usar dinheiro da educação para incentivar a homofobia. O Estado não tem que incentivar ou defender a homofobia, até porque, isso não é de competência do Estado e sim de cada pessoa, ja que vivemos em um país democratico de Direito. O MEC deve fazer cartilhas incentivando o respeito pelo ser humano, independente de sua opção sexual, cor ou credo.
 
Ériston Barros em 15/12/2010 05:03:16
O direito escuso de uma minoria está sobrepujando o direito moral e etico da maioria da Sociedade.
Sou hetero e exijo ser respeitado!
Obrigado Doutor Siufi!!!!

UBI MAJOR MINOR CESSAT
 
Carlos d'Amore em 15/12/2010 04:51:53
o ser gay ..serve a um mercado bastante lucrativo é o que parece. Todos devem avaliar bem antes de sê-lo, pois, esta é uma opção e não uma obrigação muito menos instituida ou educacional.
 
sonia bacha sb em 15/12/2010 04:50:33
Convenhamos que o nosso vereador, nosso pois votei nele, esta criando um factoide politico. Visto que em nome de uma reliogisidade "fanatica" combatem tudo e todos os instrumentos que se põe favoravel a jovens, SEM BASE FAMILIAR. Já não é primeira vez que o mesmo combate medidas preventivas, esquecendo-se que o estado é laico. Pena que ao inves de formularem projetos que ajudem as familias ficam perdendo tempo e combatendo aquilo que esta sendo feito em prol da saude e educação pública. a continuar assim fica dificil de lutar pela candidatura do mesmo a prefeito de nossa cidade, mesmo sendo de um partido que defendemos.
 
José augusto Escobar em 15/12/2010 04:45:02
O fato de ser homosexual é uma opção sexual e pessoal e por isso não deve ser suscetível de valoração legal. Em outras palavras, dizer que a opção homosexual é certo ou errado não é papel do Estado e nem de ninguém. Homosexualismo é um pensamento nato de cada um e por isso, o Estado não deve se preocupar em confeccionar cartilhinhas para autoarfirmar a postura de A ou B. Além disso, não é uma cartilha que irá mudar os pensamentos das pessoas, mas sim os exemplos familiares e a própria vida. Essa abordagem pedagógica de elaborar "estorinhas de alunos em banheiros" é um erro, pois além de abordar a postura homosexual de forma pejorativa, certamente fará com que haja um pre-conceito maior ainda, a começar pelo nome Ricardo. O dinheiro de nossos impostos deveria ser aplicado em cartilhas quem preguem o respeito incondicional de todos para com todas minorias, evitando-se citá-las em textos públicos. Em outras palavras, não só as cartilhas, mas também os professores e principalmente os pais deveriam ensinar às crianças o respeito mútuo entre as pessoas. Se é certo, errado, alegre ou deprimente, não nos cabe julgar e muito menos ficar divulgando ou rotulando em "cartilhinhas escolares" as posturas pessoais, ainda mais aquelas de cunho pessoal. Atenciosamente,
 
Daniel Moura Mayolino em 15/12/2010 04:41:34
caras, assim fica dificil até de comentar. Acho que vou virar bicha e gritar cruzes só tem gay neste mundo.
que papo é este siuf - familia - ricardo que virou bianca? isto é gay ou traveca e o que o MEC tem a ver com sexo? E voces não deveriam ter se metido com as pulserinhas.
video educativo ensinando a ser traveca é pra que mercado turístico? Pra mim estão é promovendo a homofobia.
 
sonia bacha sb em 15/12/2010 04:37:54
caras, assim fica dificil até de comentar. Acho que vou virar bicha e gritar cruzes só tem gay neste mundo.
que papo é este siuf - familia - ricardo que virou bianca? isto é gay ou traveca e o que o MEC tem a ver com sexo? E voces não deveriam ter se metido com as pulserinhas.
video educativo ensinando a ser traveca é pra que mercado turístico? Pra mim estão é promovendo a homofobia, que é um mercado bastante lucrativo.
 
sonia bacha sb em 15/12/2010 04:35:42
Vou ao encontro das idéias do Pres. da Cãmara, haja vista que medidas como esta apenas tem o condão de aflorar em nossas crianças conhecimentos sexuais e com isso perderem a ingenuidade infantil, o que com a ajuda de jornais, revistas, novelas e agora com programas do MEC se torna muito mais fácil.
 
thiago rosi dos santos em 15/12/2010 04:16:20
Mais uma vez, o retrocesso político toma conta!!! Que tal diminuir os salários dessa nossa classe de vereadores. A homofobia é crime, e o dinheiro que some nos meios políticos também deveria ser crime, prezado presidente da camera Paulo Siufi.
 
moises santos em 15/12/2010 03:53:08
Estou solidário com o veriador Paulo Siufe, bem colocada a sua posição, quanto ao incentivo para o erro se for como esta relatado nessas istorinha que venham a estimular o erro em crianças na fase do desenvolvimento, parabens ao vereador, forte abraço.
 
eduvalmo da silva gonçalves 15 de dezembro de 2010 quarta feira em 15/12/2010 03:52:20
Campo Grande já é uma das cidades mais moralistas do país. Com esse tipo de pensamento por parte dos nossos políticos, a tendência é que nossa capital se torne cada vez mais provinciana e intolerante com as diferenças. Paulo Siufi, pára de implicar com a sexualidade alheia!!
 
Gisele Sena Bertolazo em 15/12/2010 03:48:36
Parabens vereador Siufi pela sua postura. As pessoas de bem e verdadeiramente cristãs precisam se manifestarem contra esses absurdos que assistimos todos os dias, onde autoridades com ações paliativas de distribuição de preservativos, seringas, comerciais ou postura como a do governador do Rio de Janeiro, acabam intrinsicamente incentivando os jovens à vulgarização do sexo, uso de drogas, ao homossexualismo e à prática do aborto, e tudo isso juntamente com politicas voltadas para a desestruturação familiar é a causa da "decadência dos costumes, falta de religião e dos diversos desvios existentes na sociedade", como afirmou o Papa Bento VI.
 
Jose Luiz Sotolani em 15/12/2010 03:46:09
Concordo com o Drº Paulo Siufi.O vídeo e esses kits não serão as maneiras corretas de abordar assuntos como homofobia ou até mesmo combatê-la.Esses métodos não irão erradicar o problema,são de extrema agressividade.Nas escolas deveriam ser feitas palestras,projetos de maneira sutil para o jovem ter conhecimento das consequências da homofobia.É uma calamidade o MEC divulgar este tipo de material,se for aprovado a análise deste.
 
Janaína Nunez em 15/12/2010 03:39:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions