A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

21/05/2010 10:06

Moka avisa que pressão pode convulsionar o PMDB

Redação

O deputado Waldemir Moka faz um alerta ao PMDB nacional: qualquer retaliação que venha de cima contra os estados que não acompanhem o apoio à candidata Dilma Roussef (PT) pode convulsionar a convenção do partido.

A observação foi feita pelo deputado sul-mato-grossense ao presidente nacional do partido, Michel Temer, que deve ser confirmado como vice da candidata petista. O encontro foi comentado hoje pelo blog de Josias de Souza, do jornal Folha de São Paulo.

Na quarta-feira, o Campo Grande News divulgou que o PMDB encaminhou consulta ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre o que determina a lei de fidelidade partidária em relação aos apoios em 2010.

Moka reclamou da consulta, por considerar que é na verdade uma ameaça de retaliação.

O blog do Josias destaca que Temer tenta impedir que os diretórios estaduais façam campanha para o tucano José Serra, mas, pode ter como resultado prejuízo nos planos de 2010.

Nessa semana, foi fechada a indicação de Michel Temer para ser vice de Dilma, mas a confirmação ainda depende da convenção em 12 de junho.

Moka já avisou a Temer que participam dessa votação também os delegados de 5 estados que são contrários ao apoio ao PT: São Paulo, Pernambuco e Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Nesse cenário, já é colocado pela imprensa nacional como certo o apoio de MS ao candidato tucano, apesar do governador André Puccinelli não ter oficializado o apoio até agora.

"Uma eventual rebelião do grupo pró-Serra poderia, no mínimo, conspurcar essa maioria, tornando-a mixuruca. Algo que seria constrangedor para Temer", analisa o blog.

O PMDB nacional havia liberado os diretórios para coligação com partidos de oposição, mas tenta impedir palanques para José Serra.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions