ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  27    CAMPO GRANDE 28º

Política

Pedro Chaves desiste de candidatura e acusa PDT de aliança "espúria"

Senador disse que compromisso era que legenda tivesse candidato único, mas foi um lançado outro, do Podemos

Por Marta Ferreira | 15/08/2018 11:28
O senador Pedro Chaves, que assumiu mandato em 2016, em substituição a Delcídio do Amaral. (Foto: Agência Senado)
O senador Pedro Chaves, que assumiu mandato em 2016, em substituição a Delcídio do Amaral. (Foto: Agência Senado)

O senador Pedro Chaves (PRB) renunciou à candidatura à reeleição, que já estava registrada no Tribunal Regional Eleitoral. Os rumores de que ele não disputaria o pleito povoavam os bastidores da política há vários dias, mas hoje a intenção se confirmou em uma carta enviada à direção do PRB. O Campo Grande News teve acesso ao comunicado.

No texto, Chaves afirma que quando seu partido topou compor a aliança encabeçada pelo PDT, do candidato ao governo Odilon de Oliveira, a “condição “sine-que-non” era ter candidato único para o Senado Federal. Porém, ainda nas palavras do senador, “infelizmente o PDT fez uma aliança espúria e silenciosa com o Podemos, lançando, sem meu conhecimento, mais um candidato ao Senado”.

O candidato, cujo nome não é citado na carta, é o advogado Humberto Figueiró. Com ele na disputa, Chaves afirma que sua candidatura ficou invibializada.

Conforme a carta endereçada ao PRB, foi dado prazo de 12 dias para o PDT “resolver esta situação e cumprir a palavra empenhada”, o que não ocorreu. “Lamentavelmente até esta data todas as tentativas foram em vão”, cita Chaves.

O senador prossegue dizendo que não quer atrapalhar os destinos da coligação. “Saio de cena” renunciando, em caráter irrevogável e irretratável a minha candidatura".

Empresário do ramo da educação, Pedro Chaves, à época no PSC, era suplente do ex-senador Delcídio do Amaral, e assumiu o cargo em maio de 2016. Em viagem ao Paraguai nesta quarta-feira, para a posse do presidente Mario Abdo Benítez, o senador confirmou a decisão em um novo comunicado público. "Tomei essa decisão junto a minha família e assessoria depois de analisar o cenário político nacional e regional", afirma.

O parlamentar afirma, ainda, que mesmo não concorrendo, estará "empenhado na defesa da democracia e das bandeiras que permitam criarmos um país mais justo e fraterno"

Troca de lado – Essa não é a primeira polêmica envolvendo o PRB nestas eleições. A legenda fazia parte do governo de Reinaldo Azambuja, “virou a casaca” durante as negociações para formação das chapas e decidiu apoiar a candidatura de Odilon de Oliveira.

Desde a semana passada, 8 pessoas ligadas à legenda foram exoneradas, entre elas o filho do presidente do partido, Wilton Acosta, Lucas Acosta, que ocupava cargo na Funtrab. O governo anunciou que vai fazer um levantamento na fundação, principalmente para saber a situação do Banco do Cidadão, instituição de microcrédito que está sem dinheiro para empréstimos a juros baixos.

O presidente do partido foi procurado pela reportagem, mas não atendeu as ligações nem respondeu as mensagens de WhatsApp.

A reportagem foi ao partido e ao escritório dele e a informação é que de ele se encontra em uma reunião, em local não informado.

Confira abaixo a íntegra da carta de Pedro Chaves, endereçada a Wilton Acosta:

"Caro Wilton,

Bom Dia.
Como é do conhecimento do caro Presidente, quando o PRB foi convidado.para fazer coligação com o PDT

A condição “sine-qua-non” era ter uma candidato único para o Senado Federal. Infelizmente o PDT fez uma aliança espúria e silenciosa com o “Podemos”, lançando, sem meu conhecimento mais um candidato ao Senado, inviabilizando assim minha candidatura.

Dei 12 dias. para o PDT resolver esta situação e cumprir a palavra empenhada.
Lamentavelmente até esta data todas as tentativas foram
em vão.

Não querendo atrapalhar os destinos da coligação “saio de cena” renunciando, em caráter irrevogável e irretratável a minha candidatura.

Hoje eu formalizo minha saída.
Quero agradecer ao prezado amigo pelo carinho e amizade que sempre fui tratado pela Presidência do PRB Estadual.

Um abraço,
Sen Pedro Chaves"

(Matéria atualizada às 12h14 para acréscimo do comunicado público do senador) 

Regras de comentário