A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

15/08/2018 11:28

Pedro Chaves desiste de candidatura e acusa PDT de aliança "espúria"

Senador disse que compromisso era que legenda tivesse candidato único, mas foi um lançado outro, do Podemos

Marta Ferreira
O senador Pedro Chaves, que assumiu mandato em 2016, em substituição a Delcídio do Amaral. (Foto: Agência Senado)O senador Pedro Chaves, que assumiu mandato em 2016, em substituição a Delcídio do Amaral. (Foto: Agência Senado)

O senador Pedro Chaves (PRB) renunciou à candidatura à reeleição, que já estava registrada no Tribunal Regional Eleitoral. Os rumores de que ele não disputaria o pleito povoavam os bastidores da política há vários dias, mas hoje a intenção se confirmou em uma carta enviada à direção do PRB. O Campo Grande News teve acesso ao comunicado.

No texto, Chaves afirma que quando seu partido topou compor a aliança encabeçada pelo PDT, do candidato ao governo Odilon de Oliveira, a “condição “sine-que-non” era ter candidato único para o Senado Federal. Porém, ainda nas palavras do senador, “infelizmente o PDT fez uma aliança espúria e silenciosa com o Podemos, lançando, sem meu conhecimento, mais um candidato ao Senado”.

O candidato, cujo nome não é citado na carta, é o advogado Humberto Figueiró. Com ele na disputa, Chaves afirma que sua candidatura ficou invibializada.

Conforme a carta endereçada ao PRB, foi dado prazo de 12 dias para o PDT “resolver esta situação e cumprir a palavra empenhada”, o que não ocorreu. “Lamentavelmente até esta data todas as tentativas foram em vão”, cita Chaves.

O senador prossegue dizendo que não quer atrapalhar os destinos da coligação. “Saio de cena” renunciando, em caráter irrevogável e irretratável a minha candidatura".

Empresário do ramo da educação, Pedro Chaves, à época no PSC, era suplente do ex-senador Delcídio do Amaral, e assumiu o cargo em maio de 2016. Em viagem ao Paraguai nesta quarta-feira, para a posse do presidente Mario Abdo Benítez, o senador confirmou a decisão em um novo comunicado público. "Tomei essa decisão junto a minha família e assessoria depois de analisar o cenário político nacional e regional", afirma.

O parlamentar afirma, ainda, que mesmo não concorrendo, estará "empenhado na defesa da democracia e das bandeiras que permitam criarmos um país mais justo e fraterno"

Troca de lado – Essa não é a primeira polêmica envolvendo o PRB nestas eleições. A legenda fazia parte do governo de Reinaldo Azambuja, “virou a casaca” durante as negociações para formação das chapas e decidiu apoiar a candidatura de Odilon de Oliveira.

Desde a semana passada, 8 pessoas ligadas à legenda foram exoneradas, entre elas o filho do presidente do partido, Wilton Acosta, Lucas Acosta, que ocupava cargo na Funtrab. O governo anunciou que vai fazer um levantamento na fundação, principalmente para saber a situação do Banco do Cidadão, instituição de microcrédito que está sem dinheiro para empréstimos a juros baixos.

O presidente do partido foi procurado pela reportagem, mas não atendeu as ligações nem respondeu as mensagens de WhatsApp.

A reportagem foi ao partido e ao escritório dele e a informação é que de ele se encontra em uma reunião, em local não informado.

Confira abaixo a íntegra da carta de Pedro Chaves, endereçada a Wilton Acosta:

"Caro Wilton,

Bom Dia.
Como é do conhecimento do caro Presidente, quando o PRB foi convidado.para fazer coligação com o PDT

A condição “sine-qua-non” era ter uma candidato único para o Senado Federal. Infelizmente o PDT fez uma aliança espúria e silenciosa com o “Podemos”, lançando, sem meu conhecimento mais um candidato ao Senado, inviabilizando assim minha candidatura.

Dei 12 dias. para o PDT resolver esta situação e cumprir a palavra empenhada.
Lamentavelmente até esta data todas as tentativas foram
em vão.

Não querendo atrapalhar os destinos da coligação “saio de cena” renunciando, em caráter irrevogável e irretratável a minha candidatura.

Hoje eu formalizo minha saída.
Quero agradecer ao prezado amigo pelo carinho e amizade que sempre fui tratado pela Presidência do PRB Estadual.

Um abraço,
Sen Pedro Chaves"

(Matéria atualizada às 12h14 para acréscimo do comunicado público do senador) 

 



Esse não coloca dinheiro bom em negócio ruim. Sabia que não seria eleito.
 
Áttila Teixeira Gomes em 15/08/2018 15:14:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions