A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 16 de Janeiro de 2018

13/03/2015 10:54

Protesto reúne 2 mil, interdita trânsito e divide opiniões no Centro

Leonardo Rocha e Juliene Katayama
Protesto gera transtorno nas principais vias da área central de Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio)Protesto gera transtorno nas principais vias da área central de Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio)
Suzi e Carla reclamam de congestionamento e dizem que manifestação é uma vergonha (Foto: Alcides Neto)Suzi e Carla reclamam de congestionamento e dizem que manifestação é uma vergonha (Foto: Alcides Neto)

A manifestação que ocorre nesta manhã (13), na área central de Campo Grande, por grupos sociais ligados ao PT, está gerando transtorno no trânsito, já que passam pelas principais vias da cidade, entre elas, a Avenida Afonso Pena e rua 14 de Julho. Os motorista que estão no local tem opiniões divergentes sobre o protesto, já que uns apoiam e acham legítimo e outros reclamam da situação.

De acordo com a Polícia Militar, o protesto conta com 2 mil pessoas, que completam dois quarteirões na área central. Segundo as autoridades, até o momento não houve qualquer ocorrência de tumulto ou confusão, eles seguem divididos pelos movimentos sociais, entre eles representantes do MST (Movimento Sem Terra), CUT (Central Única dos Trabalhadores) e Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul).

O protesto ainda gera dúvida nas pessoas que estão no centro da cidade, que não sabem se é uma manifestação a favor ou contra a presidente Dilma Rousseff (PT). Um motorista que não quis se identificar, afirmou que todo o protesto é válido, já que assim as coisas podem melhorar no país.

Já a motorista Susi e Carla, que estava de passageira, reclamaram de toda confusão no trânsito, principalmente em função do congestionamento e ainda pontuaram que não estavam entendendo os motivos da manifestação. “Acho este protesto uma vergonha”, disse Susi.

O protesto desta sexta-feira (13), tem como objetivo reclamar sobre os ajustes nas leis trabalhistas, que foram feitas através das Medidas Provisórias 664 e 665, assim como contra os pedidos de impeachment à presidente Dilma Rousseff (PT).

Com bandeira e cartazes em defesa da democracia, grupo protesta no Centro (Foto: Marcos Ermínio)Com bandeira e cartazes em defesa da democracia, grupo protesta no Centro (Foto: Marcos Ermínio)


O PT convocou, quem não for para rua não recebe o bolsa família esse mês.
 
Joao em 13/03/2015 11:13:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions