A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

09/04/2014 19:01

TRE reprova prestação de contas do PT e suspende cota do fundo partidário

Josemil Arruda
Decisão do TRE sobre o PT foi publicada no Diário Oficial de hoje (Foto: arquivo)Decisão do TRE sobre o PT foi publicada no Diário Oficial de hoje (Foto: arquivo)

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiu suspender por nove meses a cota do Partido dos Trabalhadores (PT) de Mato Grosso do Sul em decorrência do não recolhimento de impostos e saque de valor vultuoso da conta bancária sem comprovação idônea das despesas realizadas com o dinheiro.

“Ante o não saneamento das pendências e a severidade do comprometimento das contas, figura proporcional e adequada a suspensão das cotas do Fundo Partidário pelo prazo de nove meses, com recolhimento de valores ao Erário, nos termos dos arts. 37, caput e § 3.º, da Lei n.º 9.096/95 e 34 da Resolução TSE n.º 21.841/2004”, decidiu o TER, conforme o acórdão publica hoje no Diário Oficial da Justiça Eleitoral de Mato Grosso do Sul.

Na mesma decisão, os juízes do TRE, à unanimidade e de acordo com o parecer do relator, desembargador Josué de Oliveira, resolveram desaprovar as contas do PT relativas a 2012, determinando a suspensão, com perda, de cotas do Fundo Partidário e devolução de valores ao erário. O acórdão referiu-se à Prestação de Contas nº 155-44.2012.6.12.0000 - Classe 25ª.

Segundo o relator, é dever do partido político, que recebe aporte considerável de recursos públicos, recolher de forma regular todos os tributos que incidem sobre as atividades partidárias, tratando-se de dever que, se não cumprido, compromete irremediavelmente as contas, ensejando sua desaprovação.

Apontou, por outro lado, que a teor do art. 10 da Resolução TSE n.° 21.841/2004, as despesas partidárias devem ser realizadas por cheques nominativos ou por crédito bancário identificado, à exceção daquelas cujos valores estejam situados abaixo do teto fixado pelo TSE, observado o trânsito prévio desses recursos em conta bancária.

“Infringido tal dispositivo, dada a realização de saques de vultoso montante mediante cheque, em valor que representa mais de 70% do total de pagamentos realizados, não socorre a agremiação justificativa atinente à urgência da medida decorrente de bloqueios judiciais de valores, pois, ao contrário, a explicação sobreleva o desvalor da conduta, demonstrando, ainda, a precariedade da organização contábil do grêmio”, considerou o relator.

Sedimenta ainda mais tal conclusão, segundo ele, a precariedade dos documentos apresentados a fim de comprovar as despesas realizadas com o dinheiro sacado, tratando-se de cópias de recibos, alguns sem identificação do nome do representante legal da empresa que supostamente o assinou. “Tal prática infringe o art. 9.º, incisos I e II, da Resolução TSE n.º 21.841/2004, que exige a emissão de documentos fiscais específicos”, argumentou.

 

 

 

TRE reprova contas do PSD e susta cota no Fundo Partidário por 3 meses
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) desaprovou as contas do PSD de Mato Grosso do Sul, presidido pelo jornalista Antônio João Hugo Rodrigues, diretor...
Após oito meses, Tribunal aprova contas do DEM de Campo Grande
A prestação de contas do Democratas de Campo Grande referente ao ano de 2012 foi aprovada somente no início de agosto, mais de oito meses após o iníc...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions