A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

01/12/2015 18:00

Vereadores resistem a assumir cargo de presidente para Comissão de Ética

Antonio Marques
Novo presidente da Câmara, João Rocha deixou cargo na Comissão de Ética (Foto: Gerson Walber)Novo presidente da Câmara, João Rocha deixou cargo na Comissão de Ética (Foto: Gerson Walber)

Com a eleição do vereador João Rocha (PSDB) para presidência da Câmara Municipal, na última sexta-feira, ele abriu a vaga dele na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar, na qual também era presidente. Agora, os membros da comissão estão a procura de um novo parlamentar para assumir o comando, mas não está nada fácil.

Criada no dia 8 de setembro deste ano, a Comissão foi recomendada pelo MPE (Ministério Público Estadual) para apurar se havia quebra de decoro dos nove vereadores investigados na operação Coffee Break, deflagrada em 25 de agosto pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado).

Formada por cinco vereadores, a composição da comissão foi marcada por postura de gentileza entre os partidos. Dono da maior bancada, com sete vereadores, o PMDB tinha direito a duas vagas, mas cedeu uma para Herculano Borges (Solidariedade). A vaga do PMDB ficou com Vanderlei Cabeludo.

Com quatro vereadores, a bancada do PTdoB poderia indicar um integrante, mas preferiu abrir mão e repassar a vaga a João Rocha (PSDB). O PSD e o PT preferiram ocupar os quadro próprios, com as respectivas indicações de Chiquinho Telles e Ayrton Araújo.

Na ocasião, a presidência ficou com João Rocha, a vice com Chiquinho Telles e, depois, Ayrton Araújo foi escolhido o relator dos noves processos dos parlamentares apontados pelo Gaeco de participarem de um esquema de compra de votos para votar a cassação do prefeito Alcides Bernal (PP), em março de 2014.

Na semana passada, a Comissão ouviria as primeiras três testemunhas de defesa dos investigados, mas estes, por meio de consenso, resolveram abdicar desta alternativa, no entanto a conclusão do processo deve ficar para 2016.

Hoje, o vice-presidente Chiquinho Teles e o relator Ayrton Araújo não sabiam ainda quem seria o novo integrante da Comissão, mas adiantaram que até nesta quarta-feira iriam definir o nome, que também deve assumir a presidência. Se for seguir pelo tamanho da bancada, o PTdoB poderia indicar um de seus vereadores, Eduardo Cury, Flávio César ou Otávio Trad.

Um dos membros da Comissão revelou que Eduardo Cury estava sendo cotado para ser o presidente, mas Cury não quis comentar o assunto, apenas disse que ainda não estava nada definido. O fato é que nesta quarta-feira de manhã tem reunião da Comissão e na pauta, a escolha do nome para presidir os trabalhos que vai julgar nove colegas da Casa.

A Comissão investiga no momento os vereadores Airton Saraiva (DEM), Mário César (PMDB), Carlos Augusto Borges, Carlão (PSB); Gilmar da Cruz (PRB); Waldecy Batista Nunes, Chocolate (PTB), Paulo Siufi (PMDB), Edil Albuquerque (PMDB), Jamal Salem (PR), Edson Shimabukuro (PTB), por quebra de decoro parlamentar, em função das denúncias da operação Coffee Break.

Marun ainda quer votar relatório da JBS antes de posse no ministério
Na véspera de ser empossado como ministro da Secretaria de Governo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inqué...
Senado aprova R$ 1,9 bi a estados para compensar desoneração de exportações
Após suspender a sessão do Congresso Nacional, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomou os trabalhos do plenário da Casa com o obj...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions