A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

22/01/2015 17:56

Produtores pressionam e Governo admite que pode reduzir Fundersul

Participaram da reunião os presidentes da Acrissul, Famasul e Sicadems

Juliene Katayama
Riedel começa discutir sobre Fundersul com representantes de entidades (Foto: Arquivo)Riedel começa discutir sobre Fundersul com representantes de entidades (Foto: Arquivo)

O governo do Estado pode reduzir a taxação do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul) “pela metade”. A sugestão foi discutida na tarde desta quinta-feira (22) por representantes de entidades e o secretário interino de Produção e Agricultura Familiar, Eduardo Riedel.

O presidente do Sicadems (Sindicato das Industrias de Frios, Carnes e Derivados do Estado do Mato Grosso do Sul), Ivo Scarcelli, disse que foram feitas sugestões e uma delas foi de pagar a tributação do Fundersul apenas uma vez. “Hoje se paga pelo bezerro e depois se paga pelo boi gordo, então ficaria isenta a taxação sobre o bezerro”, explicou.

O presidente da Acrissul (Associação de Criadores de Mato Grosso do Sul), Francisco Maia, disse que a instituição defende acabar com o Fundersul, mas enquanto isso, já melhoria para os produtores se a taxação fosse feita apenas uma vez. “É uma bitributação. Porque o governo federal já tem o Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) que é sobre os combustíveis”, reclamou.

O Fundersul foi criado para garantir investimentos em estradas, priorizando as vicinais. A cobrança é feita por cabeça de duas maneiras: para animais de até 12 meses de vida são 29,49% do Uferms (Unidade Fiscal Estadual de Referência de Mato Grosso do Sul) e para o gado com mais de um ano são 46,03% da unidade fiscal. Para janeiro e fevereiro, o valor é de R$ 20,69.

Segundo o presidente da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), Nilton Pickler, também foi abordado sobre a utilização do recurso do fundo. “É necessário que os sindicatos e prefeitos participem da decisão sobre a destinação do recurso do Fundersul”, pontuou. Do total arrecadado, 25% são divididos entre os 79 municípios.

Além disso, Chico Maia acrescentou que também vão discutir sobre uma lista de prioridades para apontar quais estradas precisam de manutenção mais urgente e evitar que o recurso seja desviado para outros fins como a manutenção de vias urbanas.

Prestação de contas – A reunião foi marcada para ser apresentada a prestação de contas da utilização do Fundersul. Conforme o presidente da Acrissul, o fundo teve um superavit de R$ 500 milhões no ano passado.

Por outro lado, o número positivo foi alvo de crítica pelo presidente da Famasul da maneira como foi aplicado. “Utilizaram mais da metade em estradas já pavimentadas. Precisamos priorizar as estradas não pavimentadas”, enfatizou.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions