A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019


26/02/2019 10:17

Descubra seu jeito de curtir Nova York, uma cidade para todos os gostos

Paulo Nonato de Souza
À primeira vista Nova York assusta, mas é uma cidade americana que faz qualquer pessoa se sentir em casaÀ primeira vista Nova York assusta, mas é uma cidade americana que faz qualquer pessoa se sentir em casa

Nova York não é só uma cidade que nunca dorme. É também uma cidade para todos os gostos. Não importa se é a sua primeira vez ou a vigésima vez que desembarca nesta metrópole, você sempre terá um olhar diferente sobre o que já viu antes.

Cada um tem o seu jeito de aproveitar o que a cidade oferece. Há fartura de monumentos, estátuas, construções históricas, bibliotecas, parques e museus, mas também é cenário perfeito para quem prefere andar a pé pelas ruas, de bicicleta, metrô ou ônibus, conhecer pessoas, falar com elas, saber como vivem, passear pelos distritos ou simplesmente observar comportamento a partir dos seus cafés. Em Nova York é fácil se sentir no centro do planeta.

A identificação das ruas e avenidas é por número e isso simplifica chegar a um endereço sem depender de mapa, e nem precisa gostar de matemática para decifrar todos aqueles números. Por exemplo, nas ruas que cortam Manhattam de leste a oeste os números das lojas e edifícios ascendem do sul para o norte, ou seja, ao passar por uma rua ou avenida e observar que os números estão na ascendência é porque você está caminhando na direção norte.

Se sair do hotel para uma caminhada ou fazer compras, você não terá dificuldade se fixar na Quinta Avenida como referência. É a avenida que divide Manhattan em leste e oeste, e todas as ruas estão divididas em função da Quinta Avenida. Como a numeração dos edifícios nas ruas conta de ambos os lados a partir da Quinta Avenida, significa que quanto mais alto é o número, mais longe você estará da Quinta Avenida.

A Estátua da Liberdade é o que logo vem à mente de quem viaja para Nova York, mas a cidade é muito mais do que monumentosA Estátua da Liberdade é o que logo vem à mente de quem viaja para Nova York, mas a cidade é muito mais do que monumentos
Se for a Nova York fora do período de inverno, o Central Park é lugar perfeito para passear, correr, fazer caminhas e conhecer pessoasSe for a Nova York fora do período de inverno, o Central Park é lugar perfeito para passear, correr, fazer caminhas e conhecer pessoas

O ideal é observar os números nas placas. A única exceção na hora de fazer os cálculos é a Avenida Broadway, onde estão os famosos teatros e musicais. A Broadway também corta Manhattan de norte a sul, mas não segue em linha reta. Seus cruzamentos com outras avenidas levam você a diversas praças, e a Times Square é uma delas.

Se estiver na cidade entre os meses de abril e outubro, o clima é perfeito para sair às ruas, caminhar ou passear de bike. Além de saudável, com certeza as caminhadas farão com que fique mais bem informado e inteirado da realidade do cotidiano da mais fascinante metrópole do mundo. A receita é simples: Faça seu próprio roteiro, ganhe as ruas para viver a sua experiência nova-iorquina e terá surpresas a cada esquina ainda que volte pelo mesmo trajeto.

De bike no Central Park - Tem ciclovia por toda parte e no Central Park você consegue alugar uma bicicleta por US$ 4,40 por hora ou US$ 8,20 se for alugar por apenas uma hora. Pode parecer exagero, mas é assim que nem consigo perceber se em Nova York tem congestionamento de carros. Nunca me dei conta disso.

Também é muito legal passear de bike no Central Park, se preferir. Facilita explorar o parque, além de opção recomendável se você não se sente a vontade pedalar por entre os carros nas ruas da cidade. Das 10h às 15h, depois das 19h e nos finais de semana não tem trânsito de carros dentro do parque e fica mais tranquilo para sair pedalando livremente, sem riscos.

Como sair do Aeroporto JFK - São 30 km de distância até Manhattan. Tanto na chegada quanto na saída de Nova York é possível optar pelo taxi, metrô ou até de Shuttle, que são pequenos ônibus tipo Van que operaram no transporte de passageiros entre o aeroporto e os hotéis e vice-versa.

A escolha depende de alguns fatores. Se está sozinho, se tem mais de uma mala para carregar e se está disposto a subir, descer escadas e passar por catracas com mala. A passagem de metrô para Manhattan sai por US$ 7,25 até a Penn Station, bem mais barato do que a corrida de taxi que custa em média US$ 65, incluindo a gorjeta que varia de US$ 5 a US$ 8. No horário de pico, entre 5h50 e 9h53, a passagem do metrô custa US$ 10.

Se optar pelo sistema de Shuttle, a NYC Airporter tem carro a cada meia hora, faz paradas no Gran Central Terminal, na 42st com Park Avenue, Port Authority Bus Terminal, na altura da 42st, entre a 8a e a 9a Avenida, Penn Station, na altura da 33 st, entre a 6a e a 7a Avenida, e no Bryant Park, entre a 40 e a 42. O preço de uma ida ou volta sai por US$ 16, mas se comprar o bilhete de ida e volta o preço será de US$ 30.

A regra é não ter pressa de sair do aeroporto. Se você estiver chegando do Brasil, provavelmente, seu pouso no JFK será por volta de 6h da manhã e seu hotel só estará disponível para check-in a partir das 15h. Com calma poderá escolher o transporte que melhor atenda às suas necessidades, sem levar em conta apenas o custo.

Onde ir às compras - Diferente das grandes cidades do Brasil, em Nova York não existe shopping center. São as megalojas de departamentos que dominam o mercado com os mais variadas categorias de produtos e grifes, como a Macy’s, na 34th Street com Herald Square.

E tem as outlets, a Woodburry Common Premium Outlets, um centro de compras inaugurado em 1985, localizado a 91 km de Manhattan, e você pode fazer o tour exclusivo de ida e volta por US$ 42. Se preferir o Willowbrook Mall, uma outlet com jeito de shopping center em Wayne, New Jersey, é possível ir de ônibus e a passagem custa US$ 6,50. A viagem dura 26 minutos desde o embarque no Port Authority Bus Terminal, que fica em frente do edifício do jornal New York Times, na 8th Avenue com 42 St, até a parada final já no estacionamento do Willowbrook Mall.

A gigante Macy’s, uma referência de compras em Nova York, bastante frequentada por brasileirosA gigante Macy’s, uma referência de compras em Nova York, bastante frequentada por brasileiros
A Feirinha é uma tradição desde a década de 1970 e funciona na Union Square, em ManhattanA Feirinha é uma tradição desde a década de 1970 e funciona na Union Square, em Manhattan

Hospedagem e alimentação. Em Nova York os preços de hospedagem são salgados, mesmo nas promoções, especialmente em Manhattan, e ainda tem as mais variadas taxas disso e daquilo na hora de fechar a conta. Já a comida é bem mais acessível. Você pode comer nos food trucks ou nas redes de fast-food por até US$ 4, e se preferir comida saudável poderá ir a um dos vários restaurantes da Fresh & Co, por exemplo, e pedir uma boa salada por US$ 8 a US$ 10.

Assim é Nova York. A cidade que nunca dorme é para todos os gostos e perfis, reúne todos os símbolos do modo de vida americano, monumentos e arranha-céus, de grandes eventos e também de feirinhas como a Greenmarket, realizada por fazendeiros locais.

A Greenmarket, conhecida entre os brasileiros por “Feirinha”, existe desde 1976. Foi criada para promover a agricultura regional ao envolver a participação de pequenas propriedades familiares e gerar oportunidade de comercialização de seus produtos com venda diretamente aos consumidores. É onde os nova-iorquinos, e também os turistas, podem ter acesso aos produtos mais frescos produzidos localmente.

Funciona às segundas, quartas, sextas e aos sábados na Union Square, em Manhattan. O metrô é uma boa e fácil alternativa de acesso. Só desder na estação Union Square.

imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.