ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 22º

Cidades

UCDB abre investigação sobre trote em que estudante bebeu gasolina

Fernando da Mata | 31/01/2012 12:55

Segundo a instituição, responsáveis pela agressão ao colega podem ser punidos

Pátio de posto de combustíveis onde foi realizada a recepção dos calouros (Foto: Marlon Ganassin)
Pátio de posto de combustíveis onde foi realizada a recepção dos calouros (Foto: Marlon Ganassin)

A UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) de Campo Grande informou nesta terça-feira (31) que está investigando o trote em que um estudante de 17 anos foi obrigado a beber gasolina, ontem, primeiro dia de aulas.

Segundo a instituição, o trote dentro do campus é proibido, mas não há como controlar o que acontece fora. Mesmo assim, o caso do adolescente será apurado pelo conselho de curso, podendo aplicar pena que varia de advertência até suspensão dos responsáveis.

O trote aconteceu na segunda-feira (30), primeiro dia de aula na UCDB. Na ocasião, a mãe do rapaz que vai cursar Direito, Roberta Costa, 42 anos, entrou em contato com o Campo Grande News indignada com a situação do filho, que foi socorrido e encaminhado ao posto de saúde do Coronel Antonino, onde foi medicado e liberado.

A principal atividade de recepção dos calouros da UCDB foi realizada pelo DCE (Diretório Central dos Estudantes) no pátio de um posto de combustíveis na avenida Tamandaré.

Dentre as diversas atividades, foram realizadas apresentações culturais, sorteio de brindes e campanha com abaixo-assinado pela Lei da Ficha Limpa. Policiais do 9º Batalhão da PM fizeram o policiamento durante o evento.

O presidente do movimento estudantil, Fernando Luiz Claudino Junior, lamentou o que aconteceu com o adolescente e garantiu que foi um fato isolado, sem ligação com o evento.

“O DCE nunca vai participar de trote e, como não participa, foi proibido o trote no pátio do posto. Não apoiamos nada que fere a integridade física e moral do estudante”, enfatizou Claudino Junior, que não soube dizer se o adolescente que bebeu gasolina participava das atividades no posto.

De acordo com o presidente do DCE, a venda de bebida alcoólica (apenas cerveja) estava restrita aos maiores de 18 anos e o posto não comercializou gasolina em garrafas durante o evento, que começou no período da manhã e seguiu até às 15 horas. Além disso, o acesso às bombas de combustíveis estava isolado por grade.

O frentista Cléber Roberto Ferreira, 38 anos, trabalhou no posto durante o evento dos estudantes e afirmou que o pessoal se comportou bem. “Não saiu nem briga”.

Ferreira confirmou também que não houve venda de gasolina em garrafa e que bebida alcoólica só é vendida para maiores de 18 anos.

Nos siga no Google Notícias