A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Maio de 2017

26/01/2013 12:00

Nada obstante ...

Por Heitor Freire (*)

Dentro de poucos dias, o dr. Ruben Figueiró de Oliveira vai assumir como suplente uma cadeira de Senador da República. A cadeira senatorial surge como um justo prêmio para quem desde os 14 anos de idade se dedicou à política com denodo, competência e integridade tendo ao longo de sua vida participado de diversas atividades, começando como dirigente da União Campo-Grandense de Estudantes, em 1945.

Como universitário da Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, participou como membro atuante da União Metropolitana dos Estudantes, do Centro Acadêmico Luiz Carpenter da sua faculdade e da União Nacional dos Estudantes (UNE).

Foi também presidente da histórica e gloriosa Associação Mato-Grossense dos Estudantes do Rio de Janeiro (AME), com mandato em 1953-54. A AME era o reduto onde os estudantes de Mato Grosso, encontravam apoio e orientação. Tinha um olhar permanente do Senador Filinto Muller que sempre protegeu todos os estudantes oriundos de Mato Grosso, independente de sua região ou orientação partidária.

A disputa eleitoral na AME sempre foi muito acirrada entre os estudantes do norte e do sul. A alternância no poder era constante. Além disso, havia também a questão de preferência partidária entre os estudantes, alguns já com decidida e definida posição, como era o caso do dr. Ruben que foi membro do diretório nacional estudantil da União Democrática Nacional (UDN).

Já formado, voltou para Campo Grande aqui iniciando vitoriosa carreira como advogado e depois como político onde pontificou como grande quadro da então UDN. Dr. Ruben tinha uma característica: sempre respondia a todas as correspondências que lhe eram endereçadas. Esta foi uma das recomendações que recebeu do Senador Filinto Muller, agradecendo-lhe a sua participação no acordo da então Arena I e II que o reelegeu como Senador. As outras duas como relata no seu livro Espelho do Tempo, editado pelo Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul, são: visitar os municípios pelos menos duas vezes por ano e, não deixar de dar satisfação por carta a todos os pedidos que recebia, mesmo que para dizer NÃO.

Eu sou testemunha desse procedimento do nosso agora senador: quando fui presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis, necessitei algumas vezes da interferência do dr. Ruben junto ao Ministério do Trabalho para assuntos do nosso sindicato. Ele sempre esteve à disposição.

Na minha primeira eleição a presidente do Sindicato, eu fui candidato único e como tal não me preocupei muito com os meus colegas eleitores. Pois bem, fui eleito mas não ganhei. A legislação trabalhista exige um quórum de 2/3 que não foi atingido. Assim no segundo turno empenhei-me a fundo, quando fui então eleito. Comentando esse episódio com o dr. Ruben, ele me deu uma lição nunca mais esquecida: “Obrigação de candidato é pedir voto”.

A carreira política do dr. Ruben foi pontilhada de sucessos, exerceu dois mandatos como deputado estadual do então Mato Grosso e foi por 3 vezes consecutivas eleito deputado federal por Mato Grosso do Sul. Foi constituinte na Assembléia Nacional que elaborou a Carta Magna de 1988 com destacada ação. É cidadão honorário de 27 municípios sul-mato-grossenses, o que demonstra claramente o cenário de sua atuação parlamentar. Durante a sua atividade dedicou-se ao fortalecimento das células municipais através de leis, disposições constitucionais e recursos financeiros Foi também secretário de Agricultura do governo Marcelo Miranda Soares e Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, onde se aposentou.

Dr. Ruben é também um cronista consagrado. Tem as páginas do Correio do Estado como palco permanente de suas crônicas desde que começou a escrever. Em seus artigos aborda com muita propriedade e inteligência os diversos fatos que ocorrem em nosso estado e também em nosso país. Atualmente publica também suas crônicas em O Estado, jornal que conquistou em pouco mais de 10 anos um espaço importante na preferência dos leitores. É também cronista do seu tempo publicando na mídia virtual, no Midiamax.

Agora assumindo este novo e honroso cargo, naturalmente saberá como sempre soube desincumbir-se das novas funções representando o nosso estado com o zelo profissional que sempre dedicou a todas as suas atividades.

O “nada obstante” do título é uma homenagem ao dr. Ruben, pois esta é uma expressão constante em seus artigos.

(*) Heitor Freire é corretor de imóveis e advogado.

Escravização, trabalho, imaginário e imprensa
A relação da imprensa com a abordagem do trabalho nunca foi tranquila. Isso porque a visão da mídia no campo do trabalho está muito associada ao aten...
Admirável (ou Abominável) Mundo Novo
Volto a escrever sobre a Previdência. Não me move o oportunismo de aproveitar o mau momento do governo que promove reformas tidas e havidas como rede...
A questão ambiental nas empresas
A questão ambiental há algum tempo tem emergido como uma questão importante na gestão das empresas e os benefícios estratégicos da preservação ambien...
O fim da escola sem fim
As raízes mais remotas da escola, tal como nós a conhecemos hoje, estão depositadas na Grécia Antiga, especialmente referenciadas, ao redor do século...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions