A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 14 de Dezembro de 2019

18/10/2019 20:41

Casa da Saúde ganha nova sede após atender a 180 mil em 9 meses

Até setembro, unidade distribuiu 7,5 mil de unidades de medicamentos; nova estrutura visa a melhorar serviços

Humberto Marques
Mandetta e Reinaldo entregaram nova sede da Casa da Saúde com estoque que, segundo ministro, chega a R$ 14 milhões em medicamentos. (Foto: Paulo Francis)Mandetta e Reinaldo entregaram nova sede da Casa da Saúde com estoque que, segundo ministro, chega a R$ 14 milhões em medicamentos. (Foto: Paulo Francis)

Foi inaugurada oficialmente na noite desta sexta-feira (18) em Campo Grande a nova sede da Coordenadoria Estadual de Assistência Farmacêutica Especializada (a Casa da Saúde “Carlos Casa de Saúde “Carlos Alberto Jurgielewicz”), no Cabreúva, região central da Capital. As instalações vão funcionar na antiga sede da Escola Estadual Riachuelo, para onde foi transferida com a intenção de melhor prestar um serviço que, de janeiro a setembro deste ano, dispensou 7,5 milhões de unidades de medicamentos e atendeu a 180 mil pessoas, segundo informou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) durante a solenidade, ao lado do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Existente desde 1999, a estrutura tem 60 mil pacientes cadastrados de todo o Estado, sendo 35 mil deles ativos. Segundo o ministro, apenas o estoque da unidade durante a inauguração continha cerca de R$ 14 milhões em medicamentos estocados, utilizados para atendimentos de demandas judiciais e de alto custo. No local, também são viabilizados tratamentos que costumam fugir ao padrão do SUS (Sistema Único de Saúde), como o translado para outros Estados.

“Além de ser um estabelecimento estratégico para o SUS, a Casa da Saúde precisa de uma melhor gestão e disponibilidade. Ela representa o SUS e a cidadania, em um momento difícil no qual são necessários medicamentos de alto custo ou de demandas judicializadas”, destacou Mandetta. “Por aqui é preciso fazer as políticas que envolvem os medicamentos não incluídos e esse cenário extremamente técnico, importante”.

Envelhecimento – Em um discurso no qual exaltou o fato de a Casa da Saúde ser inaugurada no Dia do Médico e que a unidade recém-entregue integra um sistema público “que é o maior desafio de cidadania do mundo, que transformou a saúde em dever do Estado e direito do cidadão (como previsto na Constituição de 1988), sem dúvida a maior aventura da humanidade”, ele ainda apontou o simbolismo de se instalar o serviço na sede de uma escola fechada.

“Aqui era uma escola. Mas por que ela fechou? As regiões do Cabreúva e do Santo Amaro têm o maior número de idosos de Campo Grande. Além disso, a taxa de fecundidade, que era alta no tempo de nossos pais e avós, quando era comum famílias terem 5 filhos ou mais, hoje é de 1,6 filho por mulher. Estamos envelhecendo e precisando cada vez mais do SUS”, afirmou.

Mandetta, em discurso, exaltou qualidades de Jurgielewicz (na foto ao fundo). (Foto: Paulo Francis)Mandetta, em discurso, exaltou qualidades de Jurgielewicz (na foto ao fundo). (Foto: Paulo Francis)

Homenagem – O ministro também destacou a escolha do médico Carlos Alberto Jurgielewicz como homenageado para a nova Casa da Saúde. Segundo ele, tratou-se de um profissional que fez história na cidade.

“Foi um ícone da Medicina, inspirou uma geração inteira como um médico humano, que dedicou a vida à Saúde da Mulher. E existe esse profundo respeito a todos aqueles que chegaram aqui na década de 1950, quando não havia luz elétrica e tinham de operar com lanternas ligadas”, disse, reforçando ainda o trabalho na antiga Santa Casa da Misericórdia de Campo Grande. “Foi um tempo de nunca se dizer ‘não’ ao paciente, atuar como caridade”.

Já o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) destacou que, entre os mais de 10 mil procedimentos cirúrgicos feitos por Jurgielewicz, esteve o parto no qual nasceu, em 13 de maio de 1963. “Talvez eu não estaria aqui se não fosse por ele”, rememorou, ao destacar na sequência a importância da Casa da Saúde.

“Só de janeiro a setembro foram atendidos 180 mil pacientes em uma estrutura não tão bem adequada como esta que estamos entregando hoje. Agora, damos melhores condições de que seja cumprido o que diz a Constituição: a Saúde é direito do cidadão e dever do Estado”, pontuou. Nesses nove meses, segundo o governador, foram distribuídas mais de 7,5 milhões de unidades de medicamentos.

“Aqui as pessoas terão maior conforto, segurança e tranquilidade para serem atendidas”, pontuou, lembrando que a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) alterou itinerário das linhas de ônibus na região, “facilitando a vida do cidadão”.

Campo Grande News - Lista Vip WhatsApp
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions