ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  10    CAMPO GRANDE 18º

Cidades

Depois de São Paulo, Saúde amplia “exportação” de amostras para RJ

Laboratório carioca reforça processamento de exames para diagnóstico de covid-19 no Estado

Por Jones Mário | 10/07/2020 11:49
Drive-thru no quartel central dos Bombeiros em Campo Grande coleta amostras para exames RT-PCR (Foto: Kísie Ainoã/Arquivo)
Drive-thru no quartel central dos Bombeiros em Campo Grande coleta amostras para exames RT-PCR (Foto: Kísie Ainoã/Arquivo)

Laboratório da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), no Rio de Janeiro (RJ), passou a reforçar a rede de testagem para novo coronavírus de Mato Grosso do Sul. A SES (Secretaria Estadual de Saúde) agora encaminha amostras para processamento de exames RT-PCR também ao complexo carioca.

Há três semanas, Mato Grosso do Sul conta com o apoio do Instituto Butantan, de São Paulo (SP), a fim de manter a celeridade no diagnóstico da doença, com resultados em até 72 horas. O Estado manda lotes de amostras duas vezes por semana ao parceiro paulista.

O reforço se faz necessário devido ao avanço da estratégia de testagem em Mato Grosso do Sul, diante da escalada de casos de covid-19. Segundo dados da SES, 1.298 exames RT-PCR foram feitos em uma semana, de 2 a 9 de julho. No mesmo período, o número acumulado de novos casos foi de 2.873.

Em transmissão ao vivo nesta sexta-feira (10), a secretária-adjunta de Saúde, Christinne Maymone, apontou que pelo menos mil exames foram liberados ontem por Lacen (Laboratório Central de Mato Grosso do Sul) e redes parceiras. Além do Butantan e agora da Fiocruz, o Hemosul também passou a rodar testes.

Rápido - Recomendado para constatar a presença de anticorpos para o Sars-CoV-2, causador da covid-19, os testes rápidos também terão oferta maior a partir de hoje, quando começa a operar em Campo Grande o segundo drive-thru, na Escola Estadual Lúcia Martins Coelho.

De acordo com o titular da SES, Geraldo Resende, duas salas foram montadas para fazer até 200 exames diários cada. Diferente daquele instalado no quartel central do Corpo de Bombeiros, o novo sistema vai operar somente no período noturno.

Conforme dados da SES, a cada dez exames para novo coronavírus feitos no Estado, quatro são testes rápidos. A modalidade não é indicada para diagnóstico da doença, uma vez que só constata a reação do organismo para o vírus após, pelo menos, sete dias a partir do início dos sintomas.

Boletim - Mato Grosso do Sul hoje acumula 12.261 casos confirmados de covid-19, com 146 mortes em decorrência da doença.