ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  16    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Passaporte da vacina não será adotado pelo Governo de MS, anuncia Reinaldo

Governador declarou que defesa feita pelo secretário de Saúde, Geraldo Resende, foi "posição isolada"

Por Nyelder Rodrigues e Aline dos Santos | 28/09/2021 10:43
Governador Reinaldo Azambuja (PSDB) declarou em evento nesta manhã, que projeto de lei não vai ser apresentado pelo Executivo. (Foto: Marcos Maluf)
Governador Reinaldo Azambuja (PSDB) declarou em evento nesta manhã, que projeto de lei não vai ser apresentado pelo Executivo. (Foto: Marcos Maluf)

Em entrevista nesta terça-feira (28), durante evento na obra do Aquário do Pantanal, em Campo Grande, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) anunciou que o Governo do Estado decidiu não levar à frente o projeto de lei que estabelecia em Mato Grosso do Sul, a exigência do passaporte da vacina, para acesso a locais públicos.

A decisão é do comitê do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança na Economia), que é formado pelas pastas de Saúde, Gestão Estratégica, Desenvolvimento Econômico, Segurança Pública, Administração e Fazenda, além de Procuradoria, Controladoria e Consultoria Legislativa.

"Ontem, teve a discussão e a decisão foi praticamente unânime de não encaminhar o projeto de lei", explica Reinaldo, ao ser questionado sobre a situação. "Foi uma posição isolada do secretário de Saúde [Geraldo Resende]", completa o governador.

O chefe do Executivo sul-mato-grossense ainda frisa que o Governo seguirá com ações de busca ativa dos não vacinados sequer com a primeira dose - que somam cerca de 130 mil, conforme levantamento do Campo Grande News a partir de dados do Painel Mais Saúde - e dos que precisam se vacinar com a segunda dose.

"Qualquer política que tenha decisão do Governo nas questões sanitárias passa pelo Prosseguir. Houve uma manifestação individual do Geraldo, mas não houve nenhuma decisão do Governo quanto a isso agora", finaliza Reinaldo em sua explicação da situação.

A temática "passaporte da vacina" tomou conta do noticiário de segunda-feira (27), após um pacote de medidas do Governo do Estado ser lançado em parceria com a Fiems (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul), na tentativa de incentivar a imunização dos adultos e buscar os que ainda resistem às vacinas contra a covid.

À tarde, audiência pública na Câmara Municipal de Campo Grande com a presença até de "torcida" favorável e contra a vacina na plateia foi realizada, contudo, foi interrompida após confusão que teve como pivô discurso de Geraldo Resende, que chamou os contrários ao passaporte da vacina de "fascistas e nazistas" da atualidade.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário