ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 19º

Cidades

Presos em Sidrolândia chegam ao Presídio de Trânsito na Capital

Dois empresários e um servidor foram presos; um terceiro dono de empresa envolvido está foragido

Lucia Morel e Ana Beatriz Rodrigues | 21/07/2023 15:18

Chegaram ao Ptran (Presídio de Trânsito) os três presos na manhã de hoje em Sidrolândia, durante a segunda fase da Operação Tromper, do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado): os empresários Ueverton da Silva Macedo, o “Frescura”, e Roberto da Conceição Valençuela e o servidor Tiago Basso da Silva.

O empresário Ueverton da Silva Macedo, o “Frescura”, chegando ao Ptran. (Foto: Alex Machado)
O empresário Ueverton da Silva Macedo, o “Frescura”, chegando ao Ptran. (Foto: Alex Machado)

Eles são investigados desde 2021 pelo Gaeco e, pelos dados, há na Prefeitura de Sidrolândia, desde 2017, esquema de corrupção destinado à obtenção de vantagens ilícitas por meio da prática de crimes de peculato, falsidade ideológica e fraude às licitações, associação criminosa e sonegação fiscal.

Roberto Valençuela e Tiago Basso chegam ao Ptran. (Foto: Alex Machado)
Roberto Valençuela e Tiago Basso chegam ao Ptran. (Foto: Alex Machado)

Conforme as investigações, foi identificado pelo Gaeco, através de quebra de sigilo bancário, que Tiago Basso da Silva, que até 2020 atuou em cargo comissionado como chefe do setor de execuções e fiscalização e atestava as notas fiscais, uma delas identificada em licitação supostamente fraudulenta, recebeu em sua conta pessoal R$ 2 mil de uma das empresas envolvidas no esquema, a PC Mallmann (Rocamora).

Além dos nomes já citados, são ainda investigados os proprietários de supostas empresas de fachada: Ricardo José Rocamora Alves, Odinei Romeiro de Oliveira, Evertom Luiz de Souza Luscero. Ricardo tem mandado de prisão contra ele, não foi encontrado e é considerado foragido.

O empresário Roberto da Conceição Valençuela. (Foto: Alex Machado)
O empresário Roberto da Conceição Valençuela. (Foto: Alex Machado)

As seguintes empresas também são investigadas: Rocamora Serviços de Escritório Administrativo Eirelli, Odinei Romeiro de Oliveira-ME (Romeiro Prestadora), Evertom Luiz de Souza Eirelli e R&C Comércio. As quatro já receberam um total de R$ 13.727.781,70 da administração passada e da atual gestão de Sidrolândia, conforme divulgado no portal da transparência.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
Nos siga no Google Notícias