A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 25 de Setembro de 2018

24/08/2018 11:20

“Mudanças constantes” dificultaram prisões em ação contra feminicídio

Na Deam, foram expedidos 35 mandados de prisão, mas apenas cinco foram cumpridos

Geisy Garnes e Bruna Kaspary
Suspeitos foram levados para o Imol nesta manhã (Foto: Henrique Kawaminami)Suspeitos foram levados para o Imol nesta manhã (Foto: Henrique Kawaminami)

A mudança constante dos alvos da Operação Cronos - realizada em todo o Brasil desde a noite desta quinta-feira (23) em combate a homicídios, feminicídios e violência contra a mulher - dificultou o trabalho da Polícia Civil em Mato Grosso do Sul. Cerca de 100 mandados de prisão foram expedidos para o Estado, mas até às 7h30 desta sexta-feira (24), haviam sido 27 pessoas presas.

Segundo a delegada Joilce Silveira Ramos, da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), os mandados de prisão foram divididos entre diferentes núcleos, coordenados por delegacias especializadas.

Na Deam, foram expedidos 35 mandados de prisão, mas apenas cinco foram cumpridos. Isso porque, segundo ela, os alvos da operação sabem que estão sendo procurados. “Eles sabem que estão sendo procurados, então mudam constantemente, justamente para fugir da polícia. Todos estão respondendo processo em liberdade, tem prisão decretada e passam a fugir da polícia”, explicou a delegada.

“Foi necessário investigação para localizar essas pessoas, que já são consideradas foragidas da justiça. Por exemplo, dos mandados que deveriam ser cumpridos pela Deam, um dos foragidos foi encontrado em Rio Brilhante e outro em Sidrolândia”, reforçou.

Ainda conforme a delegada, além dos cinco presos por violência doméstica, outras oito pessoas foram detidas em Campo Grande. No interior as equipes prenderam 14 suspeitos, totalizando às 27 prisões em todo o Estado.

Conforme balanço parcial divulgado pela Polícia Civil, foram cumpridos um mandado de prisão por homicídio e cinco por violência doméstica. Oito pessoas foram detidas por outros crimes e 18 em flagrante, por tráfico de drogas e porte ilegal de arma - dois revólveres foram apreendidos e além de pouco mais 87 quilos de maconha.

A Operação - De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, Marcelo Vargas, a operação a nível nacional acontece nos 79 municípios do Estado é faz alusão ao Agosto Lilás, mês de aniversário da Lei Maria da Penha, que completa 12 anos.

O objetivo principal é prender autores de homicídio, feminicídio, violência doméstica e também dar cumprimento à medidas protetivas, quando é feito o afastamento dos agressões do convívio da vítima. Até agora, foram presas 643 pessoas e 61 adolescentes apreendidos em 17 estados brasileiros.

As ações devem acontecer durante toda a sexta-feira e um novo balanço será divulgada na parte da tarde e o resultado da operação às 19 horas, no horário de Mato Grosso do Sul.

Cronos - Segundo a Polícia Civil, o nome vem da supressão do "tempo de vida da vítima", reduzido pela mão do autor do homicídio e feminicídio. “É a retirada da possibilidade de transcurso natural da vida das pessoas, ceifadas de seu tempo e da sua vida Ao mesmo tempo, com a prisão dos autores, retiramos dele o "tempo" de prática de novos delitos”, divulgo.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions