A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

27/01/2009 08:26

Acusado de corrupção, Livrado Braga ficará em liberdade

Redação

O ex-diretor da Colônia Penal de Campo Grande, Livrado Braga, foi condenado a 3 anos e 10 meses de prisão, mas teve a pena convertida em trabalho à comunidade e multa de 5 salários mínimos, que serão repassados as entidades sociais.

A sentença por corrupção passiva e falsificação de documentos foi proferida no dia 23 de janeiro, pelo juiz da 2ª Vara Criminal, Luiz Carlos Ataíde, depois de denúncia envolvendo ex-diretores, presos e agentes penitenciários.

No total foram relacionados 13 réus, acusados de participação em esquema de facilitação de saídas de detentos do semi-aberto para ação criminosa, com prática de assaltos, furtos e assassinatos.

A maior pena, de 6 anos e um mês, foi aplicada ao preso Mário Estevão Pereira. Ele é apontado como chefe do esquema. Na conta da filha de Mário , Ariadne Waleska, eram depositados os valores para bancar as saídas irregulares da Colônia. Ariadne também foi acusada de participação, mas absolvida.

O grupo foi preso no dia 25 de abril, mas desde 21 de maio, Livrado Braga estava em liberdade, assim como outros 4 servidores, por conta de revogação da prisão provisória.

Também suspeitos de participação nas fraudes, os servidores do sistema penitenciário Luiz Carlos dos Santos, Gilmar Figueiredo, Ricardo Baís e Miguel Coelho foram absolvidos por falta de provas, segundo sentença do juiz.

Quando foi revelado o esquema, uma agenda foi apreendida na casa de Mário, mostrando que os detentos pagavam até R$ 1 mil a agentes penitenciários para "mentirem" sobre evasões na Colônia Penal Agrícola de Campo Grande e fraudarem cartas serviço, que comprovavam a permanência no emprego durante o dia.

Conforme a denúncia, cabia a Livrado da Silva Braga, falsificar documentos onde havia informações sobre evasões, para que os presos se livrassem de acusações caso fossem apontados como suspeitos de crimes.

A agenda funcionava como um livro-caixa, com anotações sobre os dias faltados e os respectivos presos, bem como o valor pago aos servidores da administração penitenciária.

Até a moto de um detento foi encontrada na casa do ex-diretor Livrado da Silva Braga, uma Yamaha XTZ, com documentação irregular.

Outros 4 detentos foram condenados por pagarem propina aos servidores públicos

Mega-Sena acumula e prêmio no sábado pode chegar a R$ 39 milhões
A Mega-Sena mais uma vez ficou sem vencer na noite desta quarta-feira (13) e, assim, acumulou. O prêmio pode subir para R$ 39 milhões no sorteio do p...
Chuva intensa de meteoros terá pico na madrugada de quinta-feira
A chuva de meteoros Geminídeos – uma das mais intensas e brilhantes do ano – vai ocorrer durante a noite de hoje (13) e a madrugada de amanhã (14) e ...
STF tem maioria a favor de delação negociada pela Polícia Federal
O Supremo Tribunal Federal (STF) formou hoje (13) maioria para manter a autorização legal para que a Polícia Federal (PF) possa negociar delações pre...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions