A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

08/01/2014 09:48

Após perder tudo sábado, famílias tiveram outra noite tensa com chuva

Luciana Brazil e Viviane Oliveira
A chuva de ontem não causou muitos estragos, mas a de sábado fez famílias perderam móveis (Foto: Simão Nogueira)A chuva de ontem não causou muitos estragos, mas a de sábado fez famílias perderam móveis (Foto: Simão Nogueira)
Acúmulo de lixo no bueiro prejudica escoamento de água no Jóquei Clube e facilita os alagamentos (Foto: Simão Nogueira)Acúmulo de lixo no bueiro prejudica escoamento de água no Jóquei Clube e facilita os alagamentos (Foto: Simão Nogueira)

Quando o céu anuncia a chuva, moradores de várias regiões da cidade já temem os estragos que podem vir com o aguaceiro. A chuva, que atingiu a Capital na noite de ontem (7) e também durante a madrugada, deixou muitas famílias tensas, mas o alagamento não atingiu as residências.

Mesmo depois da canalização de toda a Rua Ouro Verde, no bairro Marcos Roberto, em Campo Grande, a região continua sofrendo com os alagamentos. Ontem, não foi diferente.

Segundo moradores, a tubulação é muito estreita e não comporta todo o volume de água que vem dos bairros mais altos, como Vila Progresso e Jardim Paulista. A água desce dessas regiões para os bairros mais baixos.

Além disso, quando o córrego Anhanduí transborda a situação fica ainda pior nos bairros próximos.

Na região do Jóquei Clube e da Vila Nhá-Nhá a chuva de ontem (7) também provocou alagamentos, mas apenas das ruas e avenidas. 

A moradora da Rua das Hortênsias, no bairro do Jóquei Clube, Liana Aparecida Vieira, 47 anos, tenta vender um terreno com cinco casas, mas por causa dos alagamentos, a venda está travada.

“Junto com meus irmãos estou tentando vender o terreno por R$ 150 mil, um lugar muito bom para morar, com cinco casas, se não fosse o problema dos alagamentos”.

Os irmãos já têm um processo contra a prefeitura pedindo indenização de todas as coisas que já perderam ao longo dos anos. Nascida e criada na casa, ela já presenciou dezenas de alagamentos.

Na chuva forte do último sábado (4), a família perdeu colchão, fogão, guarda roupa e rack.

Na rua das hortênsias, os bueiros foram abertos pelos próprios moradores, para, segundo eles, amenizar o volume de água.

“Nós ficamos desesperados com qualquer chuva no mês de janeiro, quando chove muito em pouco tempo e grande quantidade”, disse Lucila Barboza, 54 anos, parente de Liana.

O morador da Rua Ouro Negro, também no Jóquei Clube, Heleno Pereira, 78 anos, disse que mora na região há mais de 50 anos. A chuva de sábado trouxe muitos estragos. “Perdi colchões, mantimentos, arroz, feijão”.

Segundo ele, há quatro anos o problema tem se repetido.

Na Rua sol Nascente com a Avenida Ernesto Geisel, os moradores abriram o muro da casa para água da chuva escoar da casa.

Quando chove, os moradores sofrem com os alagamentos. Quando o córrego não transbordam as ruas alagam, contam os moradores.



A rua Ouro Verde nunca sofreu alagamento por ser a parte mais alta do bairro. Já a rua Ouro Negro, mais especificamente esquina com a Rua das Amapolas, sempre sofre com alagamentos em dias de chuvas fortes. O problema não é tanto na esquina (que é uma depressão geológica de um córrego canalizado) e sim antes dela, na rua dos Ipês, Via Morena e Aguiar Pereira de Souza (Jd. America)... O fluxo de água vindo dessas ruas (leito do córrego canalizado) não entra nas galerias por estarem totalmente entupidas de areia (Ipês x Morena) arrastada pela enxurrada da Rua Aguiar Pereira, na qual as obras da prefeitura não foram terminadas e o asfalto não foi recolocado. Causando assoreamento da galeria à baixo deste ponto. E com isso, a água corre por cima do asfalto alagando logo abaixo.
 
Robson Dantas em 08/01/2014 11:40:49
Militar reformado,morador na rua dos Andradas 438,esquina com a rua Silveira Martins,
Cerca de 02 anos atras, a Prefeitura Municipal de Campo Grande ,Gestão do ex-prefeito Trad, realizou um "serviço de drenagem" na confluência das aludidas ruas.Ao termino denunciei no Correio de Estado a má qualidade das obras,serviço de captação com bocas de lobo mal colocadas, tubulação que não suportava a quantidade de agua provinda da Av Madri e Julio de Castilhos. Recebi como resposta ,do Engenheiro e Arquiteto responsáveis pela obra que após a 'REVITALIZAÇÃO DA AV JULIO DE CASTILHO tudo seria resolvido . PURA ENGANAÇÃO.Chuva de medio porte, torna intransitável a rua dos andradas, lãmina d'agua de 80 cm;impede o transito;calçada
serve refugio dos incautos; desligo o portão eletronico;FICO PRESO.
 
JOSE GUILHERME COLOMBO em 08/01/2014 11:17:54
NA VERDADE, O PROBLEMA SE AGRAVA PQ A POPULAÇÃO TEM O HÁBITO DE JOGAR TDO QUE É ENTULHO NA RUA E VAI ACUMULANDO O LIXO E QDO CHOVE A TENDÊNCIA É CAIR DENTRO DA TUBULAÇÃO E ISSO CONTRIBUI COM O PROBLEMA...
 
ALEXANDRE MENEZES em 08/01/2014 10:33:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions