ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Após surtos de covid-19 em 5 setores, HU vai contratar laboratório para exames

Hospital da UFMS prevê realização de 500 testes de biologia molecular para pacientes e funcionáros

Por Jones Mário | 16/07/2020 12:14
Fachada do Humap, localizado na Cidade Universitária, em Campo Grande (Foto: Divulgação/Humap-Ebserh)
Fachada do Humap, localizado na Cidade Universitária, em Campo Grande (Foto: Divulgação/Humap-Ebserh)

O Humap (Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian), da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), abriu chamamento público a fim de contratar laboratório para realização de exames do novo coronavírus. O edital prevê 500 testes de biologia molecular, o RT-PCR, considerado “padrão ouro” para diagnóstico da doença.

O hospital justifica que o LAC (Laboratório de Análises Clínicas) não tem infraestrutura necessária para processar exames deste tipo, e que nenhum outro contrato vigente da instituição contempla a realização do teste.

Conforme o Humap, a estratégia pretende controlar eventuais novos surtos de covid-19, com os já registrados no CTI (Centro de Terapia Intensiva) Pediátrico, Pediatria, PAM (Pronto-Atendimento Médico), Clínica Cirúrgica II e, recentemente, na Unidade Coronariana.

A casa de saúde tem pelo menos 2 mil servidores, além de terceirizados. Pacientes do local também serão contemplados com exames.

Ainda em documentação anexa ao chamamento público, o hospital garante ter testes rápido em estoque, porém, cita “baixa sensibilidade” dos exames sorológicos e “grande probabilidade de aferirem resultados falso-negativos, podendo provocar infecção geral dos colaboradores e/ou pacientes e culminar com o direcionamento equivocado para as ações de controle”.

De fato, o RT-PCR é o indicado para diagnóstico da covid-19, pois rastreia o vírus ativo no organismo. O teste rápido procura anticorpos para o Sars-CoV-2, por isso, só detecta a infecção a partir de sua fase mais aguda, pelo menos uma semana depois do início dos sintomas.

O hospital justifica regulamento da Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) para não revelar o custo estimado da contratação.