A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

02/08/2016 10:49

Debate na luta pela 4ª maior receita de MS discute UFMS aberta e atuante

Como são apenas dois candidatos, será indicado um terceiro nome para formação de lista tríplice

Aline dos Santos e Chloé Pinheiro
UFMS  tem a quarta maior receita de Mato Grosso do Sul.(Foto: Marcos Ermínio)UFMS tem a quarta maior receita de Mato Grosso do Sul.(Foto: Marcos Ermínio)
Debate acontece nesta terça-feira no teatro Glauce Rocha. (Foto: Chloé Pinheiro)Debate acontece nesta terça-feira no teatro Glauce Rocha. (Foto: Chloé Pinheiro)

A dois dias de processo eleitoral para escolha do novo reitor da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), o debate dos candidatos põe o eleitorado entre a proposta de um projeto de instituição descentralizada e de outro que quer a universidade como protagonista de desenvolvimento.

A primeira bandeira é defendida por Marco Aurélio Stefanes, que lidera a chapa “Por uma UFMS diferente”. Já a segunda proposta é de Marcelo Turine , que encabeça a chapa “Juntos somos UFMS”. No debate que acontece na manhã desta terça-feira (dia 2) em Campo Grande, os candidatos tiveram 10 minutos para apresentação. A instituição tem orçamento de R$ 593 milhões, quarta maior receita de Mato Grosso do Sul.

Marco Aurélio afirma que o foco é descentralização do poder, participação das unidades setoriais, retomada dos conselhos, redução de burocracia e melhoria na progressão funcional. “Não é a reitoria que deve determinar o que a universidade deve fazer”, diz o candidato, que se apresenta como oposição à atual reitora Célia Maria Silva Correa Oliveira.

Marcelo Turine propôs criar a reitoria itinerante, um gabinete digital que assegure transparência, investimento em comissão externa para analisar a graduação e melhoria no serviço de internet wi-fi.

“O objetivo é colocar a universidade como protagonista de desenvolvimento nacional e internacional. Melhorar a qualidade de ensino”, afirma Turine, que defendeu gestão com mérito, competência e austeridade. Ele nega ter ligação com a atual reitora, rechaçando o posto de candidato da situação. Porém, é visto assim por parcela do eleitorado.

Moacir defende chapa liderada por Marco Aurélio. (Foto: Chloé Pinheiro)Moacir defende chapa liderada por Marco Aurélio. (Foto: Chloé Pinheiro)
Olívia apoia Marcelo Turine. (Foto: Chloé Pinheiro)Olívia apoia Marcelo Turine. (Foto: Chloé Pinheiro)

Os eleitores, que lotaram o teatro Glauce Rocha, levaram faixas e acompanham o debate com aplausos e vaias, levando a interrupção por algumas vezes.

A assistente administrativa Olivia Gonçalves de Almeida apoia Marcelo Turine. “Escolhi pela experiência dele em administração, uma pessoa inovadora. Acho que ele é capaz de mudar a questão burocrática da faculdade, com rotina mais ágil”, diz a funcionária, que trabalha desde 1980 na UFMS.

O professor Moacir Lacerda declarou apoio a Marco Aurélio. “Não estou convencido de que o Turine consiga mudar alguma coisa na universidade. Quero uma administração diferente. Estamos com condição estressante para o professor”, afirma. Moacir é docente na instituição desde 2002 e vice-presidente da Adufms, associação que reúne os professores da universidade. Oficialmente, o sindicato não apoia nenhum dos candidatos.

De acordo com o Colégio Eleitoral da UFMS, estão aptos a votar 21,8 mil pessoas, entre acadêmicos, docentes e servidores. O voto dos professores tem peso de 75%, já de alunos, técnicos e administrativos tem peso de 15%. A eleição será na próxima quinta-feira (dia 4).

Como são apenas dois candidatos, será indicado um terceiro nome para formação de lista tríplice, encaminhada para definição do Ministério da Educação.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions