A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

25/11/2011 13:19

Delegada quer ouvir 25 adolescentes que estiveram em festa antes de acidente

Fabiano Arruda e Francisco Júnior

A delegada Maria de Lourdes Cano, responsável pela investigação do acidente na saída para Três Lagoas, no último dia 19, que causou a morte de José Eduardo Menegat Tavares Manzione, de 15 anos, afirmou nesta sexta-feira que pretende ouvir os 25 jovens que participaram da festa que antecedeu a tragédia.

Ela também informou que pretende encerrar o inquérito entre quarta e sexta-feira da semana que vem e que aguarda o laudo pericial do acidente, previsto para ficar pronto em uma semana.

Nesta manhã o pai do motorista prestou depoimento na Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude). Ele chegou acompanhado de seu advogado, Alexandre Bastos, e aparentou tranquilidade. E não quis falar com a imprensa.

Segundo Maria de Lourdes há indícios de que o adolesdcente que estava ao volante tinha costume de pegar o carro do pai. Esta informação é considerada crucial no depoimento dele: se o pai sabia e dava consentimento para o filho utilizar o carro mesmo sendo menor de idade.

A mãe da vítima, que foi ouvida ontem, foi questionada o motivo de ter enviado uma mensagem de texto para o filho no dia do acidente ao invés de ter ligado. Ela respondeu que tinha a intenção de “economizar”.

Outro desdobramento do caso é que depoimentos de funcionários de um posto de combustíveis, em que os adolescentes compraram bebidas alcoólicas para ir à festa, apontam que os jovens chegaram aparentemente embriagados no estabelecimento. Eles também indicaram que, após sair do posto, os jovens executaram manobras perigosas tipo “cavalinho de pau”.

Também prestou depoimento nesta manhã o proprietário da residência em que ocorreu a festa, Roberto da Costa, 50 anos. Ele estava acompanhado de seu advogado Carlos Magno Couto.

Demonstrando bastante irritação, Costa não quis comentar sobre o caso. À Polícia, ele afirmou que estava na casa, mas num local separado da festa. Garantiu não ter visto bebida alcoólica e que os adolescentes levaram as bebidas para a residência dele. Roberto assegurou também que não viu os garotos saírem de carro do local.

A Polícia também investiga a informação de que o adolescente que dirigia falava falava ao celular no momento do acidente e quer saber com quem o adolescente conversava.



Agora ninguém viu nada e não sabia de nada. A culpa vai ser só dos adolescentes? teve negligência, sim, dos pais , em especial os do adolescente que dirigia o veículo e os da casa em que a festa ocorreu.
 
MARCELLO MENDES em 25/11/2011 10:58:14
É lamentavel mesmo com a morte de uma criança de 15 anos, brutalmente assassinada, que estas pessoas envolvidas se preocupem so consigo, dai da para tirar uma ideia, como que e educaçao de seus filhos.sao pessoas egoista, nao tao nem ai para quem morreu so querem se safar dessa pagando advogados (espertos). pena que nao podem a comprar a vida deste menino! E ninguem vai ser punido!
 
luiz carlos bandeira duarte em 25/11/2011 02:25:26
Isso que é um pai responsável, como não viu que os garotos não tavam bebendo em sua casa? é um brincalhão
 
Edivaldo André em 25/11/2011 02:08:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions