A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

04/09/2011 08:30

Dupla é presa após assalto a taxista e troca de tiros com PM na Vila Jacy

Fabiano Arruda
PM disparou contra veículo para deter assaltantes. (Foto: Alessandro Moretti)PM disparou contra veículo para deter assaltantes. (Foto: Alessandro Moretti)
Taxistas comparecem ao local onde dupla foi presa para prestar apoio à colega assaltado.Taxistas comparecem ao local onde dupla foi presa para prestar apoio à colega assaltado.

A Polícia Militar prendeu dois homens ontem à noite, por volta das 22 horas, na Vila Jacy, em Campo Grande.

A dupla havia assaltado um taxista. Eles embarcaram no táxi no ponto localizado em frente à igreja Perpétuo Socorro e foram anunciar o assalto nas proximidades do Clube Bom Demais, no bairro Tijuca.

Armados com revólveres, os ladrões saíram com o veículo, um Fiat Sienna, e, segundo informações do 1º Batalhão da Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, praticaram outro roubo no bairro Taveirópolis, onde tomaram de um transeunte um celular, além da carteira com documentos.

Os militares foram acionados e, após ordenarem que a dupla parasse o táxi, que trafegava em alta velocidade na Rua Juruena, na Vila Jacy, dispararam contra o veículo.

Durante a perseguição, a dupla parou depois de perder o controle do Siena por conta de um pneu ter estourado.

Os tiros disparados pelos policiais atingiram o pára-brisa e as laterais do carro. Dentro do Siena foram encontradas duas armas de fogo.

Pelo menos 30 taxistas compareceram ao local para prestar apoio ao colega vítima do assalto. Exaltados, alguns queriam agredir os criminosos. No feriado do aniversário de Campo Grande, um taxista foi assassinado com dois tiros na cabeça.

Ainda conforme a corporação, os ladrões não sofreram ferimentos e foram encaminhados para a Depac Piratininga.

Segundo informações da PM, dupla ainda praticou outro roubo no bairro Taveirópolis.Segundo informações da PM, dupla ainda praticou outro roubo no bairro Taveirópolis.
Assaltantes pararam só depois de pneu do táxi estourar.Assaltantes pararam só depois de pneu do táxi estourar.


É João Marcio!!! concordo plenamente contigo, no tocante à prática da lei de talião, nos aparenta ser a única alternativa, porém se a utilizássemos será que sobrariam legisladores em nossas casas de leis?
 
Rosilaudo Vaz da Silva em 05/09/2011 10:33:14
Parabéns a PM que agiu com rapidez, pena que estes vagabundos não ficarão presos por muito tempo, infelizmente o próprio judiciário acaba sendo refém deste nosso código penal ultrapassado e obsoleto. Senhores legisladores (Deputados Federais e Senadores) vamos agilizar a reforma penal urgentemente, antes que a sociedade cansada de tanta impunidade comece a praticar a lei de talião.
 
João Márcio Escobar em 04/09/2011 10:31:19
eu penso que em todas as unidades de txi tem que ter um viddro a prova de balas e as portas dos taxistas tem que ser de aço e com muita segurança e tambem as portas do passageiro só abrirem por dentro com um comado do proprio taxista.
e tem que ser pago a corrida por um acesso tipo a casa lotérica só o espaço para o dinheiro.
e se o poassageiro falar que não tem o dinheiro para efetuar o pagamento ele pode conduzir o passageiro para a delegacia ou para a policia mais proxima.
só assim pode na minha opinião conter um pouco mais de segurança para o pai de familia que está ali para cumprir com o seu dever de cidadão e defender o seu pao de cada dia honesto e livre desse tipo de contradiçao .
falo isso porque vi em um filme de um taxi do estados unidos este vidro a prova de bala. será que dá certo essa idéia aqui no brasil?
 
genildo c da silva em 04/09/2011 09:20:27
Primeiramente quero externar minhas condolências à família de um amigo, amigo este que fez parte de minha adolescência e fase adulta, depois ao trabalhador incontinente que sempre foi, de sol a sol, sempre buscando, honestamente garantir uma vida mais digna à sua pessoa e família; Mas... temos que pensar que sua morte não foi em vão, e, nos leva a refletir sobre os problemas que aí ficaram, falo da criminalidade, daquele velho ditado popular: “vestir um santo e tirar a roupa de outro, trocar seis por meia dúzia”, diante do contexto, esse é o problema que se imagina que será gerado com o fim do recebimento de dinheiro pelos coletivos, então...
Sendo assim, começo, reiteradamente, por criticar a maneira como se busca contar os roubos a coletivos, pois, além de contrariar normas vigentes de natureza federal, não resolverá o problema dos roubos ao colocar em prática a vedação ao recebimento dinheiro pelos coletivos da capital (Campo Grande/MS), haja vista que o problema é de uma dimensão muito maior já que tal recusa não acabará com os autores da prática de roubo que alimenta, por exemplo, a falta de caráter, o seu vício por drogas, mesmo que para isso tenha que violentar ou até mesmo ceifar a vida de um trabalhador.
Usuários de drogas, por exemplo, não tem limites, furtam, roubam da própria família em muitos casos; Sendo assim, fica a indagação: para onde migrará estes autores destes roubos a coletivos? , afinal, o dinheiro da droga terá que aparecer para alimentar o vício e abstinência destes usuário e criminosos, e, de qualquer jeito, no juízo destes criminosos!
Então, diante de tal situação vejo como temerosa a prática que se adota em não receber dinheiro nos coletivos, pois, os autores dos roubos poderão migrar para outros segmentos que portam vulneravelmente valores (dinheiro), a exemplo, os taxistas, pequenos comerciantes, ao que tudo indica, embora careça de melhor abordagem, que tudo caminha para tal realidade, afinal, é uma tendência lógica.

Ass. Eduardo Juliace
Bacharel e licenciado em História;
Bacharel em Direito;
Bacharel em Ciências Sociais;
Especialista em Direito Penal e Processual Penal;
Especialista em Gestão de Segurança Pública;
Graduando em Comunicação Social: Habilitação em Jornalismo.

 
Eduardo Juliace em 04/09/2011 07:31:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions