ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 32º

Capital

Em dia de júri, defesa diz ter provas de inocência sobre morte em motel

Fernanda Aparecida Sylverio está sendo julgada pela morte do ex-superintendente do governo, Daniel Abuchaim, em motel da capital

Por Silvia Frias e Paula Maciulevicius Brasil | 13/11/2020 08:15
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

A defesa de Fernanda Aparecida da Silva Sylverio Costa acusada da morte do ex-superintendente de Gestão de Informações do governo estadual, Daniel Nantes Abuchaim diz que irá apresentar hoje, durante o julgamento, provas da inocência da acusada e pedir absolvição.

Fernanda está presa desde dia 21 de novembro, dois dias após o assassinato de Abuchaim, em motel de Campo Grande. O corpo dele foi deixado às margens de estrada vicinal, no Jardim Veraneio.

O padrasto e o irmão de Fernanda chegaram há pouco no Fórum de Campo Grande para acompanhar a sessão de julgamento. Por gestos, indicaram à reportagem que não queriam falar sobre o assunto, apenas confirmaram que não a veem há algum tempo.

Fernanda ainda não chegou ao local. A defesa adiantou que ela não estará com o uniforme laranja, que pode criar ideia negativa para os jurados. Ela virá de roupa clara, sendo camiseta longa e uma calça.

O advogado de defesa Dayver Magnum, acompanhado de Mamede da Costa Soares Neto e Felipe Sampaio, disse que irá pedir a absolvição de Fernanda e deve apontar durante a argumentação a possibilidade de terceira pessoa no homicídio.

Fernanda, em audiência no dia 12 de fevereiro de 2019 (Foto/Arquivo)
Fernanda, em audiência no dia 12 de fevereiro de 2019 (Foto/Arquivo)

Magnum diz que há provas concretas para confirmar a tese da defesa, argumentos que também serão conhecidos pelos familiares de Fernanda.

" É importante para poder entender a situação toda porque, assim como a sociedade, eles ficaram de fora e não viram os autos", disse. "Nós acreditamos na inocência dela e faremos de tudo pra provar, não será inventado nada, dito nada que não esteja nos autos nem observado até o momento", explicou.

O caso – Fernanda apresentou várias versões do crime após ter sido presa. Inicialmente, alegou que cometeu o crime sozinha, por vingança a um possível assédio contra a namorada.

Dias depois mudou a versão, afirmou que Daniel foi morto por um desconhecido e que só assumiu o homicídio após ter sido ameaçada. Em depoimento à justiça, reforçou sua inocência e revelou ter sido sequestrada e forçada a participar do homicídio.

O advogado contesta a mudança de versões. "Isso é questão de mérito já afirmo que não houve, é uma interpretação da acusação para prejudicar ela. "

Nos siga no Google Notícias

Veja Também

Regras de comentário