ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  12    CAMPO GRANDE 15º

Capital

Empresa da Capital é escolhida para projeto de revitalização da Bom Pastor

Obras na avenida foram estimadas em R$ 24 milhões, mas só devem começar em 2023

Por Adriel Mattos | 06/05/2022 09:06
Avenida Bom Pastor deve passar por obras só no próximo ano. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
Avenida Bom Pastor deve passar por obras só no próximo ano. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

A empresa Schettini Engenharia venceu a licitação da prefeitura da Capital para elaborar o projeto executivo do corredor gastronômico da Avenida Bom Pastor. O aviso de resultado foi publicado na edição desta sexta-feira (6) do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande).

O serviço foi orçado em R$ 878,9 mil, mas como o certame foi na modalidade menor preço, a empresa - com sede em Campo Grande - deverá elaborar o projeto por um valor menor. A prefeitura não divulgou quanto pagará pelo serviço.

Neste documento, deverá constar o projeto conceitual, que inclui requalificação da via pública, estudos topográficos e geotécnicos, terraplanagem, estudo conceitual de praça pública, e de implantação da iluminação pública ornamental, rede subterrânea de iluminação pública e de telecomunicação.

A obra, segundo informação divulgada anteriormente pela prefeitura, pode chegar a R$ 24 milhões. “Será nos mesmos moldes da (Rua) 14 de Julho, menos o embutimento de fios. É um serviço caro e exige uma interferência maior. Está dentro do Reviva (Mais Campo Grande)”, explicou o titular da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), Rudi Fiorese, em entrevista anterior ao Campo Grande News.

Já a subsecretária de Gestão e Projetos Estratégicos, Catiana Sabadin, explicou que esses projetos são apenas complementares.

“O município fez o projeto arquitetônico, mas ainda não é obra, que ainda vamos licitar. Esses projetos complementares incluem drenagem, embutimento de rede. Vai ser muito parecido com a 14 [de Julho]. Lá [na Bom Pastor], vamos deixar os transformadores nas esquinas, porque não tem rede de alta tensão. Acreditamos que a obra comece em 2023”, destacou.

Haverá ainda recapeamento, calçamento, mobiliário e o plantio de árvores. “O projeto da obra gira em torno de R$ 24 milhões”, frisou Catiana. Além disso, o secretário municipal de Cultura e Turismo, Max Freitas, destacou que a via dará prioridade ao pedestre assim como a 14 de Julho.

“Teremos recuos para estacionamentos, mas as vias paralelas serão mais para esse fim. Não teremos mais ônibus circulando ali nos períodos de maior movimento, só micro-ônibus. Será um espaço de lazer, com decks para que as pessoas frequentem mais”, disse.

Arte mostra como ficará via após a revitalização. (Foto: Divulgação)
Arte mostra como ficará via após a revitalização. (Foto: Divulgação)


Nos siga no Google Notícias