A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

25/04/2013 16:38

Funcionários de empresa de valores reclamam de atrasos de salário

Nícholas Vasconcelos e Viviane Oliveira
Trabalhadores dizem que empresa paga salários e benefícios com atraso. (Foto: Marcos Ermínio)Trabalhadores dizem que empresa paga salários e benefícios com atraso. (Foto: Marcos Ermínio)

Funcionários da empresa de segurança e transporte de valores Cifra reclamam de atrasos de salários e benefícios. De acordo com os trabalhadores, que pedem para não serem identificados temendo represálias, os pagamentos atrasam até 25 dias, além de R$ 320 de ticket alimentação e depósitos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

Em fevereiro, os vigilantes entraram em greve exigindo o pagamento de 30% para o adicional de periculosidade, contra os 9% pagos anteriormente. Segundo os funcionários ouvidos pela reportagem, nem o valor anterior tem sido respeitado.

“Só não estamos passado dificuldade porque eu trabalho, mas tem colegas que estão sem luz, estão sem água por falta de pagamento”, afirma a esposa de um vigilante patrimonial. Ela conta que somente o adicional recebido pelo marido é de R$ 270, o que pesa muito no orçamento.

Este trabalhador tem uma jornada de 8 horas sem intervalo de almoço e deveria receber um abono chamado interjornada, que alega não ter sido depositado corretamente.

Outro trabalhador diz que o FGTS é depositado em atraso e diz que já procurou os proprietários da empresa. “Estamos cansados de reclamar”, afirma o homem. Ele diz que a empresa presta serviço para o banco Bradesco e que há comentários de que o contrato entre as empresas será reincidido. O vigilante conta que colegas saíram da empresa há 90 dias e até agora não receberam direitos trabalhistas. 

“A gente trabalha o mês todo e não pode contar com o dinheiro no começo do mês, enquanto todo mundo tem dinheiro certo para receber, a gente não tem”, desabafa uma funcionária que diz ser divorciada e criar os filhos sem ajuda.

O Campo Grande News entrou em contato com a empresa para saber a respeito das denúncias dos funcionários ouvidos pela reportagem, mas ainda não obteve retorno.



é isso que da !!! , todo ano a categoria dos vigilantes brigam por seus direitos , e os "colegas" da cifra nunca participam das reunioes e se o sindicato manda a categoria entrar em greve , a unica que nao para é a cifra , bem feito para o bando de pelegos que em 2009 mostraram quem sao !!!!
 
diego barreto em 26/04/2013 00:07:02
kd o sindicato q só serve p pegar nosso dinhero a greve foi marmelada só pra fazer o nome do presidente do sindicato.não houve acordo algum vão ao mpt la esta disponivel pra qualquer pessoa o audio da audiencia vcs vão ver que o Celso nos fez de bobo de otarios participamos da greve pra fazer o nome dele mas vamos mostrar que não somos otarios.e quanto a cifra o sindicato não faz nada porque come na mão do dono da cifra vamus acordar vigilantes eles nos fizeram de otarios e agora estamos sem receber e a disculpa e a mesma d sempre vou ligar la e um absurdo pagarmos td mes 25.48 e qd precisamos o sindicato esta a favor dos patrões.e outra cmo vão cobrar nossos dirfeitos dos patroes se a advogada d sindicato e esposa do diretor geral da empresa de segurança acordem eles nos fizeram de bobos.
 
Marcelo Otávio em 25/04/2013 23:52:24
Ahaha, se forem ver a real situação dos vigilantes patrimoniais aqui no estado vão ter que colocar mais uns 30 nomes de empresas ai.
Todas, sem exceção, cometem erros até gravissimos (como no caso da reportagem) e nada adianta reclamar funcionário ou sindicato, e não só na aréa de segurança, mas em muitas outras.
Mete greve novamente, assim o MP vê e abre os olhos e quem sabe tome alguma providencia!
 
Marcio Brunholi em 25/04/2013 21:07:41
Mto bem até que enfim alguém falou alguma coisa, meu marido saiu a dois anos e até hj não recebeu oq deveria, por isso entramos com uma ação contra eles!!!! tem que exigir mesmo, é direito!!!!!!!!
 
pamella matias em 25/04/2013 17:05:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions