A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

17/08/2012 08:02

Julgamento de envolvido em morte de vereador é adiado pela 3ª vez

Francisco Júnior
Aparecido está preso desde o dia do crime. (Foto: João Garrigó)Aparecido está preso desde o dia do crime. (Foto: João Garrigó)

Pela terceira vez foi adiado o julgamento de Aparecido de Souza Fernandes, acusado de participação no assassinato do presidente da Câmara de Vereadores de Alcinópolis, Carlos Costa Carneiro, em outubro do ano passado.

O júri estava marcado para acontecer na manhã desta sexta-feira (17), porém o juiz responsável pelo caso, Aluízio Pereira dos Santos foi convocado para participar do Curso de Capacitação na Persecução Penal do Crime de Homicídio, realizado entre os dias 16 e 17 deste mês, atendendo designação da Estratégia de Segurança Pública. A nova data foi marcada para o dia 26 de setembro, às 8 horas, no Tribunal do Júri de Campo Grande.

O primeiro adiamento aconteceu em maio, em razão do recurso movido tanto pelo MPE (Ministério Público Estadual), responsável pela acusação, quanto da defesa. Nos dois casos, a alegação é de que as provas contra Aparecido são frágeis a ponto de levá-lo ao júri.

Com o recurso, o julgamento foi remarcado para o dia 3 deste mês, mas também não foi realizado por causa de um compromisso institucional do magistrado.

Crime - O crime aconteceu por volta do meio-dia de 26 de outubro do ano passado, nas proximidades do Hotel Vale Verde, na avenida Afonso Pena, em Campo Grande. Aparecido foi preso logo em seguida, junto com Ireneu Maciel, que admitiu ter atirado contra o vereador. Ambos estavam em uma moto que, segundo a denúncia, era pilotada dor Aparecido.

Mais tarde, foi preso Valdemir Vansan, apontado como intermediador do crime, encomendado por R$ 20 mil.

Em julho, o prefeito de Alcinópolis, Manuel Nunes da Silva (PR), foi preso como mandante do crime.

Ninguém foi julgado ainda. O júri de Ireneu e Valdemir também foi adiado, em maio, após recursos contra a sentença de primeiro grau.



É isso mesmo, Larissa! Que Deus aja para que seja justo, pois os Homens já erraram bastante ao acusarem algumas pessoas sem absolutamente nenhuma prova, simplesmente por estarem na politica. Com suas falhas(espero que por incompetência, pois seria mais triste se for outro motivo), a policia pode estar deixando o verdadeiro mandante zombar de todas as nossas instituições. Que o Senhor corrija isso!
 
Omar Casarin em 18/08/2012 09:01:19
Esse julgamento tinha que acontecer logo. Para saber a sentença de cada um... Que Deus tome as providências corretas...
 
Larissa Araujo Lima em 17/08/2012 12:09:44
Que triste.....
 
ana eliza em 17/08/2012 11:29:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions