A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

17/05/2011 16:05

Na capital, cheque fraudado tumultua vida financeira de cliente do BB

Ana Paula Carvalho

O cheque descontado continua no talão sem ser utilizado

Na última sexta-feira (13), a jornalista Heloisa Mandetta levou um susto ao tentar fazer um saque no caixa eletrônico do Banco do Brasil. O limite da conta estava excedido. O problema é que ela “não tinha gastado tanto”.

Ela disse que ao imprimir um extrato bancário, percebeu que um cheque de R$ 2.300 havia sido descontado. Ao conferir a numeração ela identificou que o mesmo cheque ainda estava no talão.

Heloisa foi a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do centro, mas foi informada de que para registrar um boletim de ocorrência era necessário que ela tivesse o cheque fraudado micro filmado. Ela ligou para a central de atendimento do banco, mas foi informada que só conseguiria resolver o problema na agência bancária responsável pela conta dela.

Quando a jornalista chegou ao banco, a gerente estava ligando para pedir que ela cobrisse o valor descontado. Mesmo mostrando que o cheque fraudado continuava no talão sem ser utilizado, ela passou por várias burocracias. “Minha conta foi bloqueada por 24h, em uma sexta-feira”, relata.

Heloisa disse ainda, que questionou se o banco não conferia assinatura, já que a que estava no cheque fraudado era parecida com a dela, mas não era igual. A gerente teria dito que o banco só confere quando o valor é superior a cinco mil reais.

Ela não teve prejuízos financeiros, afinal, o banco devolveu o dinheiro na conta, mas passou toda a manhã de sexta-feira correndo atrás de burocracias. “Fico pensando como seria se isso tivesse acontecido durante uma viagem. Eu teria ficado sem dinheiro em um lugar que eu não conheceria ninguém”, afirma.

Há quatro anos a jornalista teve o cartão de crédito clonado. “Daqui uns dias teremos que utilizar só dinheiro, porque não será mais seguro ter cheque e cartão”, diz indignada.

Heloisa disse que quando esteve na delegacia foi informada de que isso é comum.

O Campo Grande News entrou em contato com o banco para saber qual é o procedimento adotado nesse tipo de situação, mas até o fechamento da matéria não havia obtido retorno.

Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...
Homem tem corpo queimado em acidente doméstico e morre na Santa Casa
Após dois dias internado, José Loureiro da Cruz, 49 anos, morreu por volta das 6h30 desta sexta-feira (15) na Santa Casa em decorrência de acidente d...


Essas fraudes podem ocorrer em qualquer banco, alguns meses atrás tive um desconto de cheque nas mesmas condições, ainda não o havia emitido e já estava descontado, mas a diferença é que o Banco Bradesco não é ESTATAL bastou uma ligação para o GERENTE resolver imediatamente, sem traumas. VIVA A INICIATIVA PRIVADA.
 
NEWTON BARROS em 18/05/2011 05:45:01
- Bons tempos eram aqueles em que os bancos abriam as 8 da manhã e fechavam as 16:00, mas isso foi quando o cliente era o mais importante para o banco, e isso hj não é mais a realidade. É um desrespeito total.
 
Zuza Ratier em 17/05/2011 11:01:23
O Banco do Brasil está o CAOS. Funcionários mal treinados, desinformados e gerentes atolados de serviço que não atendem seus clientes. Banco da Vergonha!
 
José Eristides em 17/05/2011 06:04:06
É duro a dor de cabeça que sofremos, o tempo gasto por culpa dos outros; e ainda assim insistem em dificultar as coisas...
 
CHRISTOPHER PINHO FERRO SCAPINELLI em 17/05/2011 04:16:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions