A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

17/11/2013 10:59

Parentes lembram de “caráter” de PM morto e criticam Força Nacional

Leonardo Rocha e Graziela Rezende
Policial Morto em Rondônia está sendo velado em Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio)Policial Morto em Rondônia está sendo velado em Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio)

Parentes do policial Luiz Pedro de Souza, 33 anos, que foi morto durante operação policial em Rondônia, destacaram durante velório, nesta manhã, em Campo Grande, o “caráter” do PM, sempre muito atencioso com os pais e honesto na profissão.

Emocionados, todos elogiaram a postura do soldado como policial, assim como a dedicação à família. “Ele sempre foi uma boa pessoa, que cuidava dos pais, não tinha filho, mas pensava muito na família”, destacou o tio, Antônio Rodrigues dos Santos, de 53 anos.

Rodrigues contou que o Coronel Davi, comandante da PM no Estado, fez questão de dizer que conheceu o seu sobrinho e aprendeu muito com ele. “Comentou sobre sua ótima educação e seriedade no trabalho”. O tio revelou que o último contato de Luiz Pedro com a família foi na quarta-feira (13), em ligação para uma prima que morava na Bahia.

Crítica – Outro tio do policial, Hanoldo Jesus, 47, fez questão de elogiar a atenção e homenagens que a Policia Militar fez a Luiz Pedro aqui no Estado, mas não deixou de criticar a Força Nacional.

“Não gostamos da maneira como ele foi tirado do local, não foi compatível com seu ato de bravura e coragem em nome da corporação”, afirmou ele.

Hanoldo diz que foi informado que a viatura de Luis Pedro foi acionada para prestar socorro a outras duas viaturas surpreendidas por emboscada na área de conflito e que chegando ao local, eles foram recebidos a bala.

“Eles estavam em oito policiais como poderiam se proteger contra 200 que estavam armados”, questionou o tio. Durante todo velório a mãe e a irmã do policial permaneceram ao lado do caixão, com rosas vermelhas nas mãos.

Demora - Luiz Pedro, com nove anos de atuação na Polícia, foi alvejado na quinta-feira passada, com um tiro na altura do ombro. Ele morreu no distrito de Rio Pardo, em Rondônia, durante confronto entre os policiais da Força Nacional e 500 moradores da região.

O policial chegou a ser socorrido pelos colegas da Força Nacional, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos. Ao todo, 146 homens da Força Nacional participavam da operação que tem objetivo de dar início à desocupação da Floresta Nacional de Bom Sucesso. A estimativa do Ministério do Meio Ambiente é que cerca de 200 pessoas ocupem ilegalmente a área.

O corpo só desembarcou em Campo Grande, para o início do velório, na noite de ontem, mais de 48 horas depois do assassinato. 

Parentes reclamaram que nem uma aeronave foi enviada para trazer o policial, mas a justificativa é que houve problema no IML (Instituto Médico Legal) de Porto Velho e uma escala precisou ser feita em Cuiabá.



CRITICAR É MUITO FÁCIL. INFELIZMENTE NADA MAIS PODERÁ TRAZER DE VOLTA À VIDA O CB PMMS PEDRO. EU SÓ GOSTARIA DE RESSALTAR QUE A REPORTAGEM NÃO CITOU A PRESENÇA DE UM PELOTÃO DA FORÇA NACIONAL DURANTE TODO O FUNERAL DO POLICIAL MILITAR TOMBADO EM COMBATE. E DIGO AINDA QUE A FOTO DO FUNERAL QUE APARECE ABAIXO DA REPORTAGEM É REFERENTE AO FUNERAL FEITO NUMA CAPELA, AINDA NO ESTADO DE RONDÔNIA E NÃO DAQUI DE CAMPO GRANDE.
 
RENATA MORAES em 18/11/2013 13:25:51
antes de falarem de barderneiros,os menos informados deveriam se informar sobre as pessoas que estão tentado sobreviver honestamente plantando e produzindo alimentos para suas familias,de repente são interpelados por uma ordem de desocupação de suas terras suas casas ou seja da terra que alimenta suas familias,vcs antes de falarem mal deveriam sentir na pele a truculência com que esta "força nacional"trata pessoas honestas que só tentam sobreviver neste pais sem moral onde só quem tem vez é bandido,negro e indigena!
 
thiago coelho em 17/11/2013 14:10:17
será que a força Nacional esta preparada para isso, eu vi o vídeo do confronto, eu que eu vi foi uma policia encurralada por eles mesmo, será que não apreenderam quando usa a bala de borracha e não a efeito tem que usar a de verdade mesmo, nem que mate um deles se não vc morre guerra e guerra não importa quantos foi tombado e que importa é vc tá vivo, faltou comando naquela operação, os policiais são treinados mas os comandos não, eles só pensão na promoção, e deixa seus policiais a deriva e seja o que deus quiser, infelizmente um companheiro se foi culpa de quem...
 
EDENI BARBOSA em 17/11/2013 13:51:24
CONCORDO COM TODOS OS COMENTÁRIOS CRITICANDO AS ONGS, DIREITOS HUMANOS, PORÉM, NA MINHA HUMILDE OPINIÃO, SINTO MUITO PELOS FAMILIARES QUE PERDEU UM ENTE QUERIDO, MAS QUEM ESCOLHE AS PROFISSÕES TEM CONHECIMENTO DOS RISCOS, DOS EMPECILHOS QUE ELAS TRAZEM, E INFELIZMENTE, OU FELIZMENTE A PROFISSÃO DE POLICIAL É ASSIM, RISCO, SÃO FATALIDADES QUE ACONTECEM. O BANDIDO QUANDO ESCOLHE SER BANDIDO JÁ SABEM DOS RISCOS. O POLICIAL, O MÉDICO, O ENFERMEIRO, ETC... COMO DIZEM SÃO OSSOS DO OFÍCIO, ASSIM COMO OS POLICIAIS MORREM, PODERIA TER SIDO UM SEM TERRA QUE PODERIA TER MORRIDO E A FAMÍLIA ESTARIA CHORANDO TAMBÉM.
 
Milton Martins em 17/11/2013 13:35:25
Triste, lamentável, não se justifica tirar a vida de um trabalhador, cumpridor de ordens, disciplinado, com certeza entre os trabalhadores, existem marginais, bandidos, foragidos, que se ocultam entre os colonos para realizarem manifestações dessa natureza. Os policiais foram altamente equilibrados, resistindo a pressão dos rebelados, não atiraram, e um acabou vindo a óbito. É preciso verificar se por trás de todo esse embate, não existem manobras políticas, interesses outros. O Brasil precisa ser passado a limpo, a corrupção política incentiva invasões, badernas, tumultos, e o povo fica a mercê desses. Isso é uma vergonha!!! Detalhe o local chama-se Floresta Nacional de Bom Futuro, é bom que se diga.
 
Geraldo Magela de Menezes em 17/11/2013 13:26:02
Hoje três dia após a morte do policial Pedrinho menino decente de um caráter limpo.....cresceu junto com meus filhos gostaria muito de ter ido dar nosso ultimo abraço a esse querido amigo e na família mãe irmãos, A fico aqui no meu trabalho pensando a onde estão os direito os humano do Pedrinho que se fala tanto quanto tem malandros aprontando, mas se tratando de um policial ninguém abre a boca, ao parece pra dar um abraço na família mas se marginal lá aparece os direitos, só peço a Deus pra dar muito serenidade ao coração da família. Florianópolis 17.13.2013
 
mari carminatti em 17/11/2013 13:22:46
NÃO TINHA AVIÃO PRA CONDUZIR O PM???? SE FOSSE O JOSÉ DIRCEU, OU O JOSÉ GENUINO AÍ A FAB DISPONIBILIZARIA UM JATINHO. COMO FEZ PARA TRANSPORTAR HONROSAMENTE OS QUADRILHEIROS.
É O BRASIL QUE VALORIZA MAIS BANDIDO DO QUE O POLICIAL. PARABENS À NOSSA POLICIA MILITAR!!!! E OS NOSSOS SENTIMENTOS À FAMILIA.
 
JARY GUASINA DOS SANTOS em 17/11/2013 12:54:35
Cadê as ONGs e os defensores dos direitos humanos, se fosse um bandido, traficante a mídia estava noticiando a todo momento, os direitos humanos estava protestando, só porque e um policial fica todos calados?????
Ele deixou amigos, parentes, família, teve sua trajetória de vida brutalmente interrompida por baderneiros de plantão... que Deus conforte a família e os amigos e que justiça seja feita. Amém.
 
Helson Santin em 17/11/2013 12:20:17
Será que o CIGCOE não tem fardamento de gala fim de homenagear o colega morto em combate?
 
samuel gomes Campo Grande em 17/11/2013 11:55:53
Meus sentimentos a familia e quero dizer principalmente a mãe que me solidarizo com ela pois também sou mãe de um policial militar que inclusive admirava muito este colega morto em combate e que ficou também abalado com esta perda e tento me colocar no lugar dela por um momento e perceber a tristeza imensa ao pensar que estaria recebendo um abraço do filho amado e em vez disso receber o corpo num caixão sei que não há palavras que possam confortar uma mãe neste momento mas acredito num Deus todo poderoso e em Nossa Sra que como mãe que perdeu um filho também de forma trágica irá ampará-la bem como toda a família neste momento tão difícil e e dor. Deus e muito oração é o remédio que poderá consolar este coração ferido.Triste...muito triste
 
Maria das Graças de Souza Fay em 17/11/2013 11:31:51
Meus sentimentos a família e coragem principalmente a mãe deste soldado morto em combate e como mãe e como ela também tenho um filho policial militar tento me colocar no lugar dela por um instante e imaginar a dor de uma mãe ao receber ao invés de um abraço do filho esperado recebe-lo num caixão...que Deus possa confortar esta família e acreditem só Deus e muita oração todos os dias poderá ajudá-los a aceitar esta perda. Muito triste!
 
Maria das Graças de Souza Fay em 17/11/2013 11:18:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions