A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

20/02/2015 17:59

Prefeitura terá que construir 60 salas e pais se preocupam com o ano letivo

Alan Diógenes
Pais e alunos acreditam que construção das salas deveria acontecer bem antes, no período de férias. (Foto: Alcides Neto)Pais e alunos acreditam que construção das salas deveria acontecer bem antes, no período de férias. (Foto: Alcides Neto)

Pais de alunos de alguns bairros de Campo Grande cobram da prefeitura a construção de novas salas de forma imediata para atender a crescente demanda de estudantes. Nesta semana a Semed (Secretaria Municipal de Educação) informou que ainda irá construir 60 novas salas de aula pré-moldadas em 20 escolas municipais e centros de educação infantil, mas alguns moradores acreditam que os empreendimentos deveriam ser feitos no período de férias para não atrapalhar no aprendizado dos alunos.

A dona de casa Viviane Olagas, 31 anos, que tem dois filhos matriculados na Escola Municipal Antônio José Paniago, onde vai receber duas novas salas no Jardim Itamaracá, disse que elas nem começaram a ser construídas. “Todo o bairro ficou sabendo disso, mas até agora a gente não viu nenhuma movimentação. Eles deveriam ter feito bem antes de começar as aulas para não atrapalhar os estudos. Com barulho as crianças não irão aprendem bem”, comentou.

Algumas das salas novas irão servir para aulas de reforço para aqueles alunos que não tiverem bom desempenho escolar. No mesmo bairro, a dona de casa Salete Fátima dos Santos, 55 anos, acredita que esse reforço deveria acompanhar o ensino regular durante o ano letivo. “As crianças deveriam ter esse reforço desde o início das aulas, mas como nem construiram as salas, essa ajuda pode ficar prejudicada”, mencionou.

No Bairro Tijuca, a E.M. Nagen Jorge Saad irá receber 5 novas salas, algumas delas também para aulas de reforço. Como elas ainda não foram construídas, segundo a dona de casa Magda Correia de Azambuja, 33 anos, que tem uma filha matriculada no centro de ensino, a prefeitura teve que alugar um espaço para o reforço. “Já fazem três anos que as crianças têm que subir umas quatro ou cinco quadras distante da escola para ir ao reforço. Já que prometeram construir as salas, deveriam agilizar o serviço por que as crianças precisam”, destacou.

Para o pai de aluno Rogério Lopez Martins, 40 anos, a construção das salas durante o ano letivo irá contribuir para a falta de segurança dentro das escolas. “Vai ter pedreiro passando o tempo todo para lá e para cá com material de construção e isso pode ocasionar algum acidente com criança. Sem falar que vai ter um monte de gente estranha, que a não conhecemos dentro da escola. Eles tinham que ver como vai ser essa construção, por que em minha opinião deveria acontecer nos finais de semana quando não tem aulas”, apontou.

 

Viviane disse que obras ainda não começaram na Escola Municipal Antônio José Paniago. (Foto: Alcides Neto)Viviane disse que obras ainda não começaram na Escola Municipal Antônio José Paniago. (Foto: Alcides Neto)
Pais se preocupam com segurança dos filhos com obras acontecendo durante o ano letivo. (Foto: Alcides Neto)Pais se preocupam com segurança dos filhos com obras acontecendo durante o ano letivo. (Foto: Alcides Neto)

Conforme o o secretário adjunto da Semed, Osvaldo Ramos Miranda, a medida de se construir novas salas foi adotada como uma maneira paliativa para resolver o aumento de crianças que entram na escola, pois não há tempo hábil para solucionar esse problema para o próximo ano. “O ideal seria construir uma escola, mas para erguer uma é necessário pelo menos 18 meses. Nós não podemos deixar nenhuma criança sem aula, por isso construiremos as salas”, explicou.

Cada uma das 60 salas que serão construídas possui 30 metros quadrados e tem capacidade para atender até 30 alunos. No total, 3,6 mil crianças e adolescentes serão atendidas com a medida adotada pela prefeitura. As empresas que venceram licitação para construir as salas estão sendo divulgadas no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) durante o decorrer da semana.

Segundo a assessoria da prefeitura, a contar da data de publicação no Diogrande, as empresas terão até 30 dias para começar a construir as salas. Contudo, elas serão utilizadas de acordo com que forem ficando prontas.

 

E.M. Antônio vai receber duas novas salas. (Foto: Alcides Neto)E.M. Antônio vai receber duas novas salas. (Foto: Alcides Neto)

Relação de escolas e número de salas que serão construídas:

E.M. João Candido - 1
E.M. Hércules Maymone – 2
E.M. Antonio Lopes Lins – 5
E.M. Professor José de Souza - 4
E.M. Santos Dumont - 2
E.M. Fauze Scaff Gattas Filho – 5
E.M. Senador Rachid Saldanha Derzi – 3
E.M. Aldo de Queiroz – 2
E.M. José Mauro Messias da Silva – 6
E.M. Celina Martins Jallad – 6
E.M. Valdete Rosa da Silva – 2
E.M. - Abel Freire de Aragão – 1
E.M. Maria Lúcia Passareli – 3
E.M. Leire Pimentel de Carvalho Correa – 4
E.M. Luiz Cavallon - 5
CEINF. Jardim Carioca – 2

E.M. Nagen Jorge Saad irá receber 5 novas salas. (Foto: Alcides Neto)E.M. Nagen Jorge Saad irá receber 5 novas salas. (Foto: Alcides Neto)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions