A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 25 de Abril de 2019

22/01/2019 15:01

Romero nega acusação de estupro e reclama de vazamento de informações

Crime teria ocorrido em novembro de 2017 na casa do vereador

Kerolyn Araújo
Vereador negou as acusações. (Foto: Divulgação/Assessoria) Vereador negou as acusações. (Foto: Divulgação/Assessoria)

O vereador de Campo Grande, Eduardo Romero (Rede), negou a acusação de estupro de um menino de 13 anos, denunciado pela família do adolescente há 1 ano. O caso teria ocorrido no dia 12 de novembro de 2017.

Até agora o vereador não aceitou conversar pessoalmente com a imprensa. Por meio de nota, Romero declarou que trata-se de uma acusação falsa e indevida, e que o trabalho na política o torna inimigo de muita gente. 

"Trata-se de uma acusação totalmente falsa e indevida. Estar na política te transforma em inimigo de muita gente, e não medem esforços para prejudicar e tirar de cena", alega o vereador.

Sem entrar em detalhes sobre o caso, ele diz estar tranquilo "A Justiça está fazendo seu trabalho e em breve teremos as respostas. Confio na Justiça e em Deus, e tenho a consciência tranquila".

Mesmo assim, parece revoltado com a divulgação do caso. "Mas deixo o questionamento: como um processo sigiloso torna-se público gerando prejuízos incalculáveis, antes mesmo da decisão da própria Justiça? Absurdo.'', disse. 

O caso - O crime foi denunciado à polícia no dia 17 de novembro de 2017, mas o abuso teria ocorrido do dia 12 do mesmo mês.

À polícia, a mãe da vítima relatou que notou que o filho estava com comportamento estranho e perguntou o que havia acontecido. O adolescente, então, relatou que no dia 12 de novembro foi até a casa do vereador acompanhado de um tio que trabalhava na reforma da casa do vereador.

No local, enquanto estava sozinho “passando fios” na laje da residência, o adolescente teria sido abordado por Eduardo e levado para um quarto. No cômodo, o vereador teria perguntado se poderia pegar no pênis do menino, mas teve o pedido negado.

Mesmo assim, o suspeito teria pegado a mão da vítima e colocado no próprio órgão. Ele também teria feito sexo oral no adolescente e obrigado o menino a fazer o mesmo. Ainda conforme o registro policial, o vereador teria convidado o menino para retornar à residência no período noturno.

Os familiares da vítima procuraram o vereador, que a princípio negou os fatos. Porém, minutos depois, o parlamentar teria voltado atrás e confessado o abuso, alegando que agiu sob efeito de drogas.

Desacordada, mulher é levada para UPA e estupro é descoberto por médico
Uma mulher de 29 anos procurou a polícia na quarta-feira (16) para denunciar um estupro sofrido no último domingo (13), no bairro Caiçara, em Campo G...
Assassino confesso de transexual é investigado por estupro de adolescente
Matheus da Silva Oliveira, de 18 anos, assassino confesso da transexual Marcinha Rodrigues, é investigado pela Polícia Civil pelo estupro de uma adol...
Homem de 30 anos morre em hospital após ser espancado no centro
Anderson Gomes Martins, 30 anos, morreu ontem (24) na Santa Casa depois de ser espancado na região da antiga rodoviária, no centro de Campo Grande. O...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions