A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

15/09/2016 11:22

Sequestrada em terminal faz retrato falado e polícia caça casal suspeito

Luana Rodrigues

A polícia já tem o retrato falado do casal que teria sequestrado uma estudante de 17 anos, na manhã desta quarta-feira (14), nas proximidades do Terminal Morenão, em Campo Grande.

Segundo a irmã, a adolescente registrou boletim de ocorrência sobre o caso ontem à tarde. Durante a descrição do crime a polícia, a menina também contou detalhes sobre a aparência dos suspeitos, o que levou os investigadores a um retrato falado. “Eles não se preocuparam em cobrir o rosto em nenhum momento, mesmo assim ela não reconheceu ninguém”, diz a jovem, que não pode ser identificada para que a identidade da vítima, que é menor de idade, seja preservada.

Segundo a moça, a polícia também está investigando a vida de todas as pessoas da família, já que o crime pode ter sido uma represália indireta, e não algo diretamente ligado a adolescente. “Não temos nem idéia do motivo, mas espero que a investigação ajude a polícia a encontrar essas pessoas”, conta.

O Campo Grande News tentou falar com o delegado que apura o caso, mas ele não foi encontrado. O retrato falado, que pode levar aos suspeitos, não foi divulgado pela polícia. 

Rapto - De acordo com a irmã, a jovem esperava um ônibus no Terminal Morenão quando foi abordada por um rapaz. O homem, ainda não identificado, teria dito que “Camila”, sua amiga, a aguardava em um veículo estacionado próximo dali.

“Ela ainda questionou se era uma colega de escola dela e que tem esse mesmo nome. E ele confirmou”, comenta a menina. No carro, uma outra mulher armada com um revólver esperava o comparsa e a garota.

“Quando ela notou que não era a amiga quem estava no veículo, se assustou e tentou fugir, mas foi tarde demais”, completa.

A garota teria ficado três horas em cárcere privado, duas delas passadas presas dentro de um carro no bairro Zé Pereira - região oeste de Campo Grande.

No local, ela conseguiu enviar um pedido de socorro para a mãe e a irmã, às 9h36 de hoje, mas os bandidos pegaram o aparelho dela. A família da jovem chegou a fazer postagens em redes sociais e procurar em hospitais informações sobre ela após receber a mensagem.

Algum tempo depois, ela foi levada para uma estrada vicinal, onde foi liberada, então conseguiu chegar a um endereço, por volta das 12h30, onde ligou para a mãe. Ela prestou depoimento na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) do bairro Piratininga.

A família ainda não sabe explicar o que teria feito os bandidos soltarem a moça. Também não conhece os suspeitos e o que teria motivado o sequestro. A jovem não sofreu nenhum tipo de violência e passa bem.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions