A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2019

11/02/2019 15:17

Transferência de veículos pode agilizar leilões e ampliar receita no Detran-MS

Hoje começou a remoção de 1,8 mil carros e motos para duas terceirizadas na Capital; proprietário pagará diária às empresas

Silvia Frias e Guilherme Henri
Carros começaram a ser catalogados para remoção para empresas (Foto: Guilherme Henri)Carros começaram a ser catalogados para remoção para empresas (Foto: Guilherme Henri)

A partir do dia 15 de março, os veículos apreendidos em blitze vão ser levados para as duas empresas terceirizadas contratadas pelo Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de MS). Hoje, começou o trabalho de remoção de 1,8 mil carros e motos para os pátios.

Com a mudança, a perspectiva é que o Detran-MS possa agilizar os leilões e, com isso, aumentar a receita com a negociação. No total, o pátio do departamento em Campo Grande está com 15 mil veículos. 

Serão transferidos 1,8 mil veículos para as empresas Autotran Transporte e Serviços Rodoviários e a AL Industrial Ltda. Hoje foram catalogados 100 veículos (49 carros e 51 motocicletas), mas, desses, apenas vinte serão levados nesta segunda-feira para os pátios.

“Vai ser trabalho formiguinha”, disse a gerente regional do Detran-MS, Loreta Barbosa Figueiredo. As empresas vão receber valor fixo de R$ 75,00 por moto e R$ 150,00 por carro.

A partir de março, o proprietário que tiver o veículo apreendido deverá ligar para o call center do Detran (154) para saber para qual pátio o veículo foi rebocado.

Depois, deverá ir a um dos Detrans na Capital para acertar o valor da multa e, em seguida, para a empresa em que o carro ou a moto foi rebocado e pagar o custo da diária, orçada em R$ 19,29 de carro e R$ 4,13 por moto.

Segundo o Detran-MS, o prazo entre apreensão do veículo e do leilão é de 60 dias, podendo ser maior em decorrência do trâmite para publicação e organização do certame. Porém, com pátio desafogado, a possibilidade de agilizar as negociações é maior.

Loreta diz que a mudança traz redução de custo ao Detran-MS. "Hoje custa mais deixar aqui do que receber pela diária". Segundo ela, existe gasto com pessoal para fiscalizar e trabalhos e de controle de pragas – como Aedes Aegitpy – é maior.

No próximo dia 21 já está previsto um leilão de sucata. Os apreendidos ainda não tem data prevista.

 

Conforme o Portal da Transparência do governo do Estado, a previsão de receita para o departamento em 2019 é de R$ 374,2 milhões. O valor vai para pagamento de pessoal, investimentos e uma emenda constitucional, que desvincula receita, retira até 30% da arrecadação do Detran para outras destinações.

 

No total, pátio do Detran-MS em Campo Grande está lotado com 15 mil veículos (Foto: Guilherme Henri)No total, pátio do Detran-MS em Campo Grande está lotado com 15 mil veículos (Foto: Guilherme Henri)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions