A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 14 de Novembro de 2018

30/06/2011 12:20

Varredura em comércio do Aero Rancho flagra 5 mil maços de cigarros

Aline dos Santos e Paula Vitorino
Cigarro contrabandeado foi apreendido em 24 locais. (Foto: Marcelo Victor)Cigarro contrabandeado foi apreendido em 24 locais. (Foto: Marcelo Victor)

Operação da Polícia Civil e Vigilância Sanitária apreendeu cerca de 5 mil maços de cigarros contrabandeados em varredura no bairro Aero Rancho, em Campo Grande. Os alvos eram bares e conveniências.

Desde as 8h, 45 locais foram fiscalizados, com apreensões em 24 estabelecimentos. Conforme o delegado da Decon (Delecia Especializada de Repressão aos Crimes contra Relações de Consumo), Adriano Garcia, a operação não prossegue à tarde porque ao saber da ação, os demais comerciantes recolhem os produtos de origem paraguaia.

Desde maio, lei municipal determina multa de R$ 5 mil para donos de locais que vendam cigarro contrabandeado. Em caso de reincidência, a multa dobra. Na terceira vez, o estabelecimento comercial perde o alvará de funcionamento.

Para o fiscal sanitário Reginaldo Souza da Silva, a nova legislação aperta o cerco contra os comerciantes. “Antes, a multa era definida conforme a quantidade. Agora, não importa se é uma ou mil carteiras, a multa é de R$ 5 mil”.

O delegado da Decon enfatiza que o cigarro já é um mau para o organismo, mas os cigarros contrabandeados representam risco dobrado. As mercadorias oriundas do Paraguai não passam por nenhuma supervisão e até pedaços de inseto são encontrados em meio ao produto.

“O cigarro produzido no Brasil é supervisionado desde o plantio até a fabricação”, afirma Adriano Garcia.

A operação foi a segunda deste ano. Em março, foram apreendidos 2.100 maços de cigarros na região do Jardim Aeroporto. Para o delegado, os números mostram que os comerciantes ficaram “mais à vontade” para vender o contrabando. Contudo, avalia que a nova lei com multa de R$ 5 mil deve reduzir a prática.

Delegado conversa com comerciantes em um dos locais vistoriados.Delegado conversa com comerciantes em um dos locais vistoriados.

Além de cigarros, foram apreendidos dois pacotes com envelopes de dipirona sendo vendido em um bar, o que é proibido. Pacotes de erva mate contrabandeada do Paraguai também foram recolhidas.

Gato de energia - Durante a fiscalização, os policiais flagraram furto de energia elétrica, o conhecido "gato", em uma conveniência localizada na rua Charlote, esquina com a Graciliano Ramos.

No local, havia um manual ensinando como fazer o “gato” e colocado na parede, ao lado do disjuntor da rede de energia. O mecanismo permitia mascarar a medição e roubar energia diretamente da rede elétrica.

A Enersul foi acionada pela Polícia Civil e constatou a fraude. De acordo com a assessoria da empresa, o proprietário do estabelecimento terá de reembolsar toda a energia consumida.

Por meio do histórico de consumo, será cálculado o quanto de energia foi roubado. A empresa também registrou boletim de ocorrência contra o comerciante.



Querem acabar com o descaminho do cigarro?? basta o governo retirar os impostos sobre o cigarro que o preço será mais baixo do que vem do paraguay, será que ninguém pensou nisso? kd a administração? acordem! esses policiais usados nesta operação poderiam estar combadento outros crimes. No lugar de estar perdendo tempo com isso.
 
Felipe Salinas em 30/06/2011 07:52:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions