A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

19/04/2015 11:15

Vídeos mostram quebradeira em hotel e prisão de lutador após assassinato

Renan Nucci
Vídeo mostra momento em que lutador é preso por homicídio em hotel. (Foto: Reprodução/Direto das Ruas)Vídeo mostra momento em que lutador é preso por homicídio em hotel. (Foto: Reprodução/Direto das Ruas)

Vídeos divulgados por meio de redes sociais mostram o momento da prisão do lutador Rafael Martinelli Queiroz, 27 anos, e também o rastro de destruição deixado por ele no Hotel Vale Verde, em Campo Grande, onde ele espancou até à morte na noite de ontem (18), Paulo Cézar de Oliveira, 49.

Faixa-preta de Jiu-Jitsu e ex-campeão mundial, o profissional de quase dois metros de altura e aproximadamente 140 quilos utilizou seu porte físico e experiência em combates para matar a vítima que tem a metade de seu peso, segundo informações do delegado plantonista Tiago Macedo dos Santos, da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro. Durante as agressões, Rafael bateu com uma cadeira no rosto de Paulo, provocando graves ferimentos.

Foram publicados três vídeos sobre o caso. Em um deles é possível ver os danos causados pelo agressor no corredor do segundo andar, onde estava hospedado com a namorada. O segundo mostra ele sendo algemado por homens da Força Tática da Polícia Militar, com apoio do Batalhão de Choque – antes, ele tentou evitar sua prisão e por isso foi preciso reforço. O terceiro mostra ele, sob mira de uma arma de choque, sendo transferido da Depac para outra delegacia com segurança reforçada.

 O caso – Rafael é natural de Araçatuba (SP) e radicado em Valparaíso (SP). Ele veio a Campo Grande para participar de um evento de lutas realizado no Círculo Militar. Por motivos que ainda estão sendo apurados, não competiu na noite de ontem como era previsto, e foi para o hotel por volta das 22h, de carona com um amigo.

O lutador foi até o quarto 221, onde estava hospedado com a namorada de 24 anos, quando teve início uma discussão envolvendo traição. Ele bateu na mulher que, amedrontada, fugiu pelos corredores e pediu socorro na recepção. Ao sair enfurecido do quarto , Rafael destruiu tudo o que encontrou pela frente, até se deparar com Paulo que havia acabado de abrir a porta de seu apartamento, o 216, para ver o que estava acontecendo.

Segundo o delegado, sem hesitar o lutador partiu para cima da vítima e a espancou até à morte. “Amigos disseram que ele já estava um pouco alterado. Até onde se sabe, Paulo foi morto deliberadamente, simplesmente por estar no caminho do autor. Do jeito que ele (Rafael) estava, atacaria qualquer um que passasse na sua frente, independente de quem fosse”, explicou.

“Não havia motivo, indícios ou qualquer pista que apontasse algum contato da vítima com o casal. Não há nada que justifique o ocorrido”, completou Dos Santos. Rafael vai responder por homicídio qualificado (por motivo fútil e por dificultar a defesa da vítima), lesão corporal dolosa no âmbito da violência doméstica (por ter atacado a namorada), por dano qualificado (destruição do hotel) e resistência (pois na primeira abordagem tentou evitar sua prisão).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions