A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

25/03/2014 16:56

CCR deve reaproveitar 2 mil demitidos e trabalhadores esperam salário maior

Lidiane Kober
Rodovia vai ser privatizada e duplicada em toda a extensão de 847 quilômetros (Foto: Arquivo/Marcos Ermínio)Rodovia vai ser privatizada e duplicada em toda a extensão de 847 quilômetros (Foto: Arquivo/Marcos Ermínio)

A promessa da CCR ViaMS de gerar 4 mil postos de trabalho no Estado está empolgando trabalhadores da construção pesada. Prestes a perder o emprego, 2 mil funcionários da empresa responsável pela manutenção da rodovia esperam ser reaproveitados pela concessionária, que administrará por 30 anos a via, a partir de abril. Além disso, sindicalistas apostam em melhores salários e não descartam disputa por trabalhadores.

“A CCR é um empresa de grande porte, que administra importantes rodovias. Por isso, acreditamos que desenvolve uma política de valorizar e pagar bem o empregado”, disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada de Mato Grosso do Sul, Walter Vieira dos Santos. “Também esperamos que, com lucro obtido, a CCR pratique essa boa política de salários”, emendou.

Ele, inclusive, acredita que a vinda da empresa ao Estado vai aquecer o mercado de trabalho e gerar até disputa por bons profissionais. “Por acreditar que a CCR paga bem, imagino que vai atrair mão de obra de outras empresas”, arriscou. Hoje, o piso mínimo dos funcionários do setor no Estado é de R$ 1.135,00.

O sindicalista destacou ainda as grandes chances de a concessionária reaproveitar 2 mil trabalhadores, que atuavam na empresa responsável pela manutenção da BR-163. “A expectativa é de que esse pessoal ganhe espaço na CCR”, palpitou.

Por outro lado, Santos manifestou temor com a possibilidade de a empresa não cumprir o contrato, sem deixar de cobrar pedágios. “A maior preocupação do sindicato é a prática de um preço exorbitante e não execução das obras no volume previsto e não geração de empregos aos trabalhadores desta categoria profissional”, disse.

Presidente do SindisCon (Sindicato Intermunicipal da Indústria da Construção de MS), Amarildo Miranda Melo é só pensamento positivo com a vinda da CCR ao Estado. Para ele, além de deixar a BR-163 em condições de bom tráfego, a empresa vai cumprir promessa e gerar 4 mil postos de trabalho no Estado.

“A concessionária é uma das melhores do país e temos tudo para ganharmos uma grande rodovia e é lógico que ela contratará tudo o que puder aqui no Estado, até para reduzir custos”, afirmou.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions