A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

05/04/2011 15:56

Com formatura ameaçada, alunos de História cobram professores à UFMS

Angela Kempfer e Puala Maciulevicius
Manifestantes sairam em passeata na tarde de hoje. (Foto: João Garrigó)Manifestantes sairam em passeata na tarde de hoje. (Foto: João Garrigó)

Depois de um ano de briga, suspensões, troca de ofensas e até exoneração revertida pela Justiça Federal, o curso de História da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) foi motivo hoje de manifestação de estudantes.

Com faixas e muitas palavras de ordens, os alunos saíram em passeata, com apitaço até a reitoria. Frases estampadas mostravam indignação: “A Federal é a vergonha do Brasil”, “Queremos qualidade no ensino superior”, “Queremos professores mestres e doutores”.

A maior reclamação é pela falta de professores. O curso, que deveria ter oito docentes efetivos, só tem 2 em sala de aula.

A pior situação é para quem acabou de entrar e os que estão prestes a sair. No 1º ano, só há aulas uma vez por semana e no 4º e último, a formatura prevista para o meio de 2011 ficará para dezembro, porque não há orientadores para os projetos de conclusão de curso.

Como “remendo” para a situação, a reitoria apelou para professores voluntários, mas nem todos aceitam essa alternativa.

Segundo os alunos, os voluntários são recém formados pela Universidade Católica Dom Bosco.

Na avaliação dos acadêmicos de História, o problema é geral dos cursos da área de Ciências Humana na UFMS.

Em fevereiro, reunião com representantes da reitoria terminou com a promessa de que em 30 dias o problema seria resolvido, mas em março outro prazo foi pedido, de mais um mês.

“Isso se arrasta desde o ano passado e até agora a universidade não resolveu, não se manifesta”, diz a estudante Ana Paula Dias, de 22 anos, do 2º ano do curso.

Recém chegado à instituição, o acadêmico João Pedro Ribeiro, de 20 anos, do 1º ano diz que agora só acredita em compromisso formalizado. “Queremos uma resposta oficial, documentada pela Universidade”.

Estudantes foram até a reitoria. (Foto: João Garrigó)Estudantes foram até a reitoria. (Foto: João Garrigó)

Bagunça - No ano passado, dois professores pediram licença médica, remunerada. Os alunos dizem que investigaram e descobriram que ambos faziam trabalhos particulares, mesmo "doentes".

O descontentamento gerou até um dossiê, que foi encaminhado ao Ministério da Educação.

Existe uma briga de docentes mais antigos com a nova reitora da instituição que provocou o afastamento de dois professores por 90 dias. Eles também foram exonerados, mas a Justiça Federal mandou fazer a reintegração, o que ocorreu neste mês.

Com essa decisão, o curso passou a ter 4 professores efetivos.



Vcs sabiam? ouvi dizer que uma dra de história de corumbá teve a remoçao assinada e até agora espera a vaga pra ir dar aulas no curso de campo grande. Acho importante que ela venha rápido para ajudar nessa situação.
 
Aline Dias em 08/04/2011 12:59:49
Sobre o comentário de Nayane Morais, acho que problemas de professores em universidades particulares, o meu curso nunca teve problema de falta de professores!
Agora se você paga caro e não tem isso você deveria procurar seus direitos!
 
Marlon Cavalcante em 06/04/2011 12:42:55
Que vergonha. Este é o retrato de uma instituição onde a politicagem vale muito mais do que a preocupação com um ensino de qualidade.
 
Victor Barone em 06/04/2011 09:27:23
Curso Administração, onde ocorre o mesmo problema.
 
Iverson Plácido em 06/04/2011 09:06:31
Caro Iverson Plácido
O curso de administração não ocorre a mesma coisa
eu sou academico deste curso e meu irmão faz história
não tem como comparar, pois no curso de administração temos uma coordenação competente e empenhada, alem que falta um ou dois professores no quadro, história está muito complicado, alem de um querer ser mais que o outro, ja teve ameaça de morte, afastamentos, brigas e muita politicarem...
fora que só 4 professores no quadro, para dar aula para 4 anos do curso, é muito pouco
isso que eram só 2
 
Robson Milani em 06/04/2011 01:21:54
A situação é mais que Ruimmm... Toda a FACULDADE está defasada em todos os Sentidos, Tantos professores , como laboratório , Projeto de Pesquisas em tudo... Sou Aluna do 1º ano , e estamos tendo péssima qualidade de ensino com relação aos professores e garanto que toda a UFMS é assim também... Precisávamos é de Fazer um Movimento com todos os Alunos da Faculdade inteira, para promovermos uma Reforma nesta Faculdade porque é um descaso com os alunos que estudam dentro da UFMS...
 
Sabrina Rodrigues Marqeus em 05/04/2011 11:20:46
O problema do ensino superior está em todas as faculdades, até mesmo nas particulares. Pagamos um absurdo para ter um ensino de qualidade mais o que vemos são profissionais incapacitados para tal função. O ensino virou uma bagunça... Triste País... Parabenizo a atitude desses alunos. Se todos se revoltarem com os problemas do Brasil, quem sabe um dia haja uma grande mudança.
 
Nayane Morais em 05/04/2011 11:14:36
A tríade Ensino-Pesquisa-Extensão no conexto a qual se depara o curso de História da UFMS/Campo Grande fica debilitada. Se faz necessário que a gestão da UFMS "reivente" seu discurso, saindo do cunho teórico para a prática propriamente dita. Estamos falando da formação de novas e novos educadores. É uma vergonha tal situação. A UFMS não merece tal descaso. A principal instituição de ensino superior do MS pode e deve ser "reiventada", portanto, precisamos de uma UNIVERSIDADE VIVA!

Orlando de Almeida Filho
Professor Universitário
Doutorando em Ciencia da Informação UNESP/Marília
Ex. Coord. DCE UFMS 2000-2002.
 
Orlando de Almeida Filho em 05/04/2011 10:20:00
CADÊ AQUELE PAPO....A MINHA É FEDERAL?????
 
Gilmar candido em 05/04/2011 10:00:24
O carrinho de cachorro-quente estacionado perto do, ahn, "campus" de Aquidauana da, ahn, Universidade funciona melhor do que isso aí, ó...
 
Wagner Luis Weber em 05/04/2011 09:08:30
É verdade!
Também sou acadêmica de jornalismo, teríamos mais aulas por semana não fosse a divisão por turmas.
Outros cursos enfrentam problemas com a falta de professores, alguns porque não há no departamento, outros porque o professor falta e não repõe as aulas perdidas. No final é como se a carga horária fosse cumprida por completo.
"Professores, cumpram o calendário acadêmico"
 
Cassia Modena em 05/04/2011 07:07:14
A situação é ruim em vários cursos, tanto que no protesto tinham estudantes de jornalismo, ciências sociais, direito, psicologia...
Eu curso jornalismo e, na minha turma, faltam professores para duas disciplinas. Além de laboratórios, temos apenas um laboratório com computadores pra dividir entre quatro turmas.
 
Everson Tavares em 05/04/2011 06:26:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions