A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017

14/08/2017 15:51

Demanda da ouvidoria do TJ só cresce, mas taxa de solução chega a 100%

Enviar comunicado ao canal pode ajudar a acelerar trâmite de processos

Anahi Zurutuza
Gabinete dos desembargadores do TJMS, onde também funciona a ouvidoria (Foto: João Paulo Gonçalves)Gabinete dos desembargadores do TJMS, onde também funciona a ouvidoria (Foto: João Paulo Gonçalves)

Um serviço que poucos conhecem, mas muito eficiente para solucionar problemas em processos, principalmente no que diz respeito a demora na conclusão das ações. Uma das mais antigas do Brasil, a Ouvidoria Judiciária do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) recebe mais pedidos a cada ano. Mesmo assim, a taxa anual de solução beira os 100%.

De 2015 para 2016, o aumento no número de reclamações aumentou 61%, de 1.184 para 1.916. Neste ano, até o dia 4 de agosto, 1.521 pedidos já haviam sido formalizados – média de 7 por dia – e 87% já estavam solucionados.

“Quanto mais você dá conhecimento, mais as pessoas nos procuram. E isso é importante, é termômetro, nos dá a ideia de como estamos funcionando”, explica o ouvidor, desembargador Marcos José de Brito Rodrigues.

Desembargador Marcos Rodrigues, que comanda a ouvidoria (Foto: João Paulo Gonçalves)Desembargador Marcos Rodrigues, que comanda a ouvidoria (Foto: João Paulo Gonçalves)

Há quase dois anos a frente da ouvidoria, o desembargador classifica o setor como o canal de comunicação entre o Judiciário e população, que recebeu não só reclamações, mas sugestões e elogios, que são repassados aos juizados.

Mas, diante do universo de 826.032 processos nas mãos de 146 juizes e 35 desembargadores, as ações entram na fila e demoram a chegar ao fim, o que gera as queixas. “Temos muito processos que estão paralisados, é uma realidade. Nosso grande cliente é sim aquele que procura saber porque que o processo está parado, mas muitas das vezes o processo espicha contra a nossa vontade”, explica.

Além das demandas da população, o setor é responsável por receber as recomendações do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e distribuí-las. “Neste ano, recebemos 119 pedidos do CNJ, do quais só nos restam dois para atender”, revela Marcos Rodrigues.

Fato é, entretanto, que quase sempre, um comunicado enviado à ouvidoria pode ser a solução. “Não somos nós que damos o impulso, mas verificamos cada caso e pedimos para o juiz que ele faça esse impulso”.

O desembargador cita um exemplo recente, de um cidadão que teve uma audiência marcada para o próximo ano, mas queria uma solução mais rápida. “Eu liguei, ele me explicou a situação e nós conseguimos a antecipação. De uma maneira geral, a ouvidoria se preocupa muito em dar atenção a quem nos procura”, conclui.

Serviço - Os interessados podem entrar em contado com a ouvidoria pessoalmente, no prédio do Tribunal de Justiça ou no Fórum de Campo Grande. O contato também pode ser feito via e-mail (ouvidoria@tjms.jus.br) ou por meio do canal “Alô Justiça”, nos telefones 0800-6476161/ (67) 3314-1314. 

Prefeituras e entidades fecham acordo para discutir criação de ouvidorias em MS
Ao todo 23, entre entidades, prefeituras, universidades e hospitais, fecharam acordo com o MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul)...
Ouvidoria do TJ recebeu em 2010 menos reclamações, segundo relatório
A Ouvidoria do Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul recebeu, em 2010, 566 reclamações. Destas, 506 foram solucionadas, de acordo com relatório divu...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions