A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

30/06/2016 17:40

Diferente da A, gripe B ataca apenas humanos e evolui lentamente

João Humberto
Apesar dos mesmos sintomas, gripe B evolui lentamente e seu potencial é pequeno para causar epidemias (Foto: Eliel Oliveira)Apesar dos mesmos sintomas, gripe B evolui lentamente e seu potencial é pequeno para causar epidemias (Foto: Eliel Oliveira)

Do início do ano até agora, três pessoas morreram em decorrência da gripe B em Mato Grosso do Sul, conforme boletim epidemiológico divulgado nessa quarta-feira (29) pela SES (Secretaria de Estado de Saúde). Na última semana foram duas mortes, mas qual a diferença entre os vírus Influenza A e Influenza B?

Conforme o médico infectologista Maurício Antonio Pompilio, que também é professor na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), o vírus Influenza é classificado nos tipos A, B e C e suas variantes. Todos eles podem causar sintomas comuns da gripe, como febre alta de início súbito, dor de cabeça, espirros, coriza, dor de garganta e tosse.

A diferença entre a Influenza A e a Influenza B é identificada apenas por exames laboratoriais, ou seja, clinicamente todas as pessoas apresentam sintomas semelhantes de gripe. O vírus do tipo A infecta seres humanos e animais, como cavalos e aves; a gripe B infecta basicamente pessoas.

Infectologista Maurício Pompilio, só mesmo os exames laboratoriais para identificar tipos de gripe provocadas pelo vírus Influenza (Foto: Luciano Muta)Infectologista Maurício Pompilio, só mesmo os exames laboratoriais para identificar tipos de gripe provocadas pelo vírus Influenza (Foto: Luciano Muta)

Enquanto a gripe A é mais difundida na natureza e tende a causar grandes epidemias, na B o vírus evolui mais lentamente devido a menor variabilidade e por isso é pequeno o potencial para causar epidemias e pandemias.

Pompilio explica que mesmo os sintomas sendo os mesmos em todos os tipos de vírus Influenza, em algumas pessoas podem evoluir para formas mais graves da doença. Alguns grupos de risco já foram identificados, como idosos e crianças pequenas, portadores de imunodeficiência, doentes crônicos (diabetes, doenças neurológicas, reumatológicas, anemia falciforme, entre outras), obesos, usuários de remédios que causam queda na imunidade (corticoide, quimioterapia, etc).

Caso as pessoas percebam sintomas de gripe, devem procurar serviços de saúde para serem examinadas. Conforme Maurício Pompilio, o médico identificará se há fatores de risco ou sinais de gravidade para prescrever o tratamento correto e indicar internação nos casos graves.

Assim como a gripe A, a Influenza B é curada por meio do uso do remédio específico para o vírus, que é o oseltamivir, conhecido popularmente como tamiflu. Automedicação, no entanto, não é recomendada pelo médico.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions