A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

15/08/2018 17:30

Primeira fase do concurso da Polícia Militar teve 14% de faltosos

Ao todo, 5.020 candidatos dos 36.346 inscritos não compareceram na aplicação da prova em Campo Grande e Dourados no domingo passado

Gabriel Neris
Candidatos na chegada para aplicação da prova no domingo em Campo Grande (Foto: Marina Pacheco)Candidatos na chegada para aplicação da prova no domingo em Campo Grande (Foto: Marina Pacheco)

A primeira fase do concurso da PM (Polícia Militar) em Mato Grosso do Sul registrou abstenção geral de 14%. Ao todo, 5.020 candidatos dos 36.346 inscritos não compareceram na aplicação da prova em Campo Grande e Dourados no domingo passado. O índice foi divulgado nesta quarta-feira (15) pela Fapems (Fundação de Apoio ao Ensino, à Pesquisa e a Cultura de Mato Grosso do Sul).

Dos 34.039 inscritos para o cargo de soldado, 4.617 deixaram de comparecer na prova escrita, 13% do total. Já para oficial, dos 2.307 inscritos, 403 faltaram, registro de 17%.

Conforme a Fapems, 22 candidatos foram desclassificados por não desligarem os aparelhos celulares ou equipamentos sonoros durante a aplicação da prova.

O gabarito preliminar da prova escrita foi publicado na edição desta quarta do Diário Oficial do Estado. O gabarito definitivo será divulgado no dia 10 de setembro. Ao todo serão 388 vagas para soldado, 50 para oficial combatente e 12 para oficial especialista. Candidatos que pretendem entrar em recurso têm até amanhã, às 17h (de MS), para solicitar revisão.

Ainda no domingo sete candidatos, entre 19 e 29 anos, registram boletim de ocorrência na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) do Centro por preservação de direito. O grupo alegou falhas na aplicação da prova em uma das salas da Uniderp, na Capital. Os candidatos relataram que a prova começou com 25 minutos de atraso, mas foram informados de que independente do horário as provas durariam quatro horas contadas a partir das 8h, horário marcado.

O secretário de Administração e Desburocratização, Édio Viegas, afirmou que houve falha humana na marcação do cronômetro e os candidatos ganharam 20 minutos a mais.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions