ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 26º

Empregos

Primeira fase do concurso da Polícia Militar teve 14% de faltosos

Ao todo, 5.020 candidatos dos 36.346 inscritos não compareceram na aplicação da prova em Campo Grande e Dourados no domingo passado

Gabriel Neris | 15/08/2018 17:30
Candidatos na chegada para aplicação da prova no domingo em Campo Grande (Foto: Marina Pacheco)
Candidatos na chegada para aplicação da prova no domingo em Campo Grande (Foto: Marina Pacheco)

A primeira fase do concurso da PM (Polícia Militar) em Mato Grosso do Sul registrou abstenção geral de 14%. Ao todo, 5.020 candidatos dos 36.346 inscritos não compareceram na aplicação da prova em Campo Grande e Dourados no domingo passado. O índice foi divulgado nesta quarta-feira (15) pela Fapems (Fundação de Apoio ao Ensino, à Pesquisa e a Cultura de Mato Grosso do Sul).

Dos 34.039 inscritos para o cargo de soldado, 4.617 deixaram de comparecer na prova escrita, 13% do total. Já para oficial, dos 2.307 inscritos, 403 faltaram, registro de 17%.

Conforme a Fapems, 22 candidatos foram desclassificados por não desligarem os aparelhos celulares ou equipamentos sonoros durante a aplicação da prova.

O gabarito preliminar da prova escrita foi publicado na edição desta quarta do Diário Oficial do Estado. O gabarito definitivo será divulgado no dia 10 de setembro. Ao todo serão 388 vagas para soldado, 50 para oficial combatente e 12 para oficial especialista. Candidatos que pretendem entrar em recurso têm até amanhã, às 17h (de MS), para solicitar revisão.

Ainda no domingo sete candidatos, entre 19 e 29 anos, registram boletim de ocorrência na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) do Centro por preservação de direito. O grupo alegou falhas na aplicação da prova em uma das salas da Uniderp, na Capital. Os candidatos relataram que a prova começou com 25 minutos de atraso, mas foram informados de que independente do horário as provas durariam quatro horas contadas a partir das 8h, horário marcado.

O secretário de Administração e Desburocratização, Édio Viegas, afirmou que houve falha humana na marcação do cronômetro e os candidatos ganharam 20 minutos a mais.

Nos siga no Google Notícias