A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

07/12/2009 17:14

Empresário nega exploração e cita prêmios de fábrica

Redação

O empresário Luiz Carlos Mossin, sócio-proprietário da LM Vidros, negou a denúncia de sobrecarga de jornada e exploração de trabalhadores. Além de rebater as acusações divulgadas pela Força Sindical na semana passada, ele citou a política de valorização dos colaboradores, com prêmios concedidos pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e pelo Sesi (Serviço Social da Indústria).

Com 108 funcionários e há 35 anos no mercado, a empresa foi contemplada neste ano com o Prêmio Sesi Qualidade no Trabalho 2009, lembra. Avaliada por uma equipe do órgão, a fábrica campo-grandense obteve a nota 9,33, a terceira maior no País na categoria pequena empresa.

Na consultoria feita pelo Sesi, a LM Vidros teve nota média de 9,7 dada pelos funcionários. Segundo Mossin, eles contam com cesta básica, convênios médico e odontológico, refeitório acompanhado por nutricionista, seguro de vida, ginástica laboral e até lazer (campo de futebol e mesa de bilhar).

Ele destacou ainda que o Ministério do Trabalho e Emprego fiscaliza a empresa e não constatou jornada excessivo. O relógio de ponto usa a digital dos operários para evitar fraude. A denúncia, que teria sido feita por apenas um trabalhador, revoltou Mossin. "Expõe o nome de uma empresa de 35 anos", lamentou.

Jornada

Mega-Sena acumula de novo e prêmio estimado sobe para R$ 43,5 milhões
Mais uma vez a Mega-Sena ficou sem vencedor na faixa principal e, com isso, a premiação acumulou e pode chegar a R$ 43,5 milhões no próximo concurso,...
Mega-Sena pode pagar R$ 39 milhões no sorteio deste sábado
A Mega-Sena deste sábado (16), que está acumulada, pode pagar R$ 39 milhões para quem acertar os seis números. O concurso 1.997 ocorre às 20 horas, h...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions