ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUINTA  26    CAMPO GRANDE 29º

Interior

Agente duplo de facções morto em confronto tinha outra execução encomendada

Juliano dos Santos Ramires, de 28 anos, acumulava 17 anos de condenações na Justiça

Por Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 20/01/2022 21:50
Local onde o suspeito foi morto pelos policiais. (Foto: Adilson Domingos)
Local onde o suspeito foi morto pelos policiais. (Foto: Adilson Domingos)

Morto em confronto com policiais civis nesta noite (20), em Dourados - a 233 quilômetros de Campo Grande -, Juliano dos Santos Ramires, de 28 anos, era considerado um criminoso de alta periculosidade. Ele é apontado como o autor dos disparos que mataram o adolescente Gustavo Belarmino Bogarim, de 17 anos, há 10 dias na cidade.

De acordo com o delegado Erasmo Cubas, chefe do SIG (Setor de Investigações Gerais) em Dourados, Juliano era pistoleiro e "agente duplo" de facções criminosas que atuam na região. "Ele era muito perigoso e, inclusive, tinha mais uma morte encomendada. Ao que tudo indica, ele era membro de uma facção e estava infiltrado em outra. Era um 'agente duplo'. O  pistoleiro responsável pelas execuções", explicou.

Cubas não detalhou em quais facções Juliano estava envolvido, mas o PCC (Primeiro Comando da Capital) e CV (Comando Vermelho) são os grupos que mais disputam território na região de fronteira de Mato Grosso do Sul.

Ainda conforme o delegado, o suspeito acumulava 17 anos de condenações por tráfico de drogas, roubo e comércio ilegal de arma de fogo. Ele se apresentava como Geovane para tentar despistar suspeitas de seu envolvimento com o mundo do crime.

Inicialmente, Luan Vitor dos Santos Bento, de 22 anos, é quem foi apontado como o autor do disparos que mataram o adolescente. No entanto, os próprios sobreviventes do atentado informaram que Juliano era o atirador. Mais detalhes sobre a dinâmica da execução do jovem não foram divulgados.

Confronto - Uma denúncia anônima levou os policiais do SIG ao anel viário de Dourados, onde o suspeito foi morto nesta noite. Juliano estava pilotando uma moto modelo Biz, transportando uma jovem na garupa, quando foi abordado.

Ao descer da moto e receber a voz de prisão, o rapaz teria sacado uma arma e atirado contra os policiais, que revidaram. Juliano ainda foi socorrido pelos policiais ao Hospital da Vida, mas não resistiu aos ferimentos. Não há a confirmação de quantos disparos atingiram o suspeito.

O crime - No último dia 10, Gustavo Belarmino Bogarim, de 17 anos, estava com outros dois rapazes, identificados apenas como Vinicius e Danilo, em uma conveniência na Rua Dom Pedro Primeiro, na Vila Industrial. No local, também estava Luan Vitor dos Santos Bento, de 22 anos, acompanhado da esposa. O grupo conversava, quando houve um desentendimento. Em seguida, Vinicius e Danilo levaram Gustavo para casa, mas o trio foi perseguido.

O atirador invadiu a casa e perguntou qual deles era Danilo e começou a atirar. Conforme as investigações, Danilo e Vinicius conseguiram fugir e como Gustavo ficou para trás, recebeu os disparos. Ele foi ferido com dois tiros no rosto e um no peito, logo abaixo da axila direita, e morreu sentado em uma cadeira. Após o crime, a polícia passou a monitorar a residência de Luan. Ele foi preso nesta segunda-feira em casa e ainda estava com a roupa usada no momento do crime. No local, foi encontrada uma arma .38 especial de 8 tiros.

Com a colaboração de Adilson Domingos.

Nos siga no Google Notícias