ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 24º

Interior

Funcionário de praça de pedágio diz que foi agredido por policiais

Caso aconteceu na manhã deste domingo, no km 533 da BR-163

Por Viviane Oliveira | 03/12/2023 17:02
Praça de pedágio na BR-163 (Foto: reprodução / Google)
Praça de pedágio na BR-163 (Foto: reprodução / Google)

Homem de 28 anos, funcionário da praça de pedágio do km 533 da BR-163, procurou a Polícia Civil para denunciar por agressão dois policiais federais, na manhã deste domingo (3), em Jaraguari, distante 44 quilômetros de Campo Grande, no Km 533 da BR-163.

Conforme boletim de ocorrência, registrado pelo gerente de operações da vítima, as imagens de câmeras de segurança que mostram os policiais agredindo o funcionário foram gravadas pelo CCO (Centro de Controle Operacional) e entregues à Polícia Civil para apuração dos fatos.

O gerente contou que o colaborador estava exercendo suas funções, quando recebeu na cabine de número 5, uma caminhonete descaracterizada, de cor branca. Imediatamente, os ocupantes, tanto o motorista quanto o passageiro, informaram que o veículo era viatura oficial.

Seguindo os procedimentos, o funcionário checou a placa no sistema e não encontrou nada cadastrado. Já o número que constava no CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo) apresentado era totalmente ilegível.

O condutor da caminhonete apresentou a identificação funcional e como se tratava da Polícia Federal, o funcionário explicou que a empresa possui regras para liberação de veículos oficiais e que a caminhonete em questão não se encaixava nas normas.

Segundo o colaborador, apenas os carros da PRF (Polícia Rodoviária Federal) eram liberados com a apresentação da identidade funcional do policial em razão de um convênio firmado entre a empresa e os órgãos.

Os policiais se exaltaram diante da negativa, segundo o registro policial. Um dos ocupantes desceu e tentou quebrar a cancela, mas não conseguiu. Eles, então, voltaram para a cabine e pediram para falar com o responsável, mas o colaborador informou que ele era o responsável pelo local. Foi neste momento que os dois começaram a intimidar o trabalhador falando que ele estava preso.

O colaborador disse que não iria acompanhá-los à delegacia, porque havia feito o procedimento correto, determinado pela empresa. Ele, então, foi imobilizado pelos policiais, jogado ao chão, algemado com as mãos para trás e levado para a caminhonete. Na sequência, apareceu uma viatura da PRF, conforme narrado no boletim de ocorrência.

Após os policiais conversarem entre si, a algema foi retirada do trabalhador. Um PRF então teria dito à vítima: “Bicho, você é burro, se é louco, os caras vão te complicar. Se você não liberar os caras, teremos que te levar e vai complicar a sua vida”. Com medo, o funcionário liberou a passagem dos policiais e acionou a supervisão, que foi à delegacia registrar a ocorrência.

Segundo a vítima, deseja representar criminalmente contra os policiais. A matrícula de um deles foi informada na delegacia. A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Polícia Federal e aguarda retorno.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias