A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 25 de Maio de 2017

18/05/2011 14:09

Homem estéril consegue anular registro de paternidade em Miranda

Angela Kempfer

O Ministério Público Estadual recorreu, mas a 5ª Turma Cível negou por unanimidade anulação de sentença de juiz de Miranda, que atendeu ação de negativa de paternidade a homem em processo por pensão alimentícia.

O suposto pai da criança recorreu à Justiça porque fez exames que comprovavam que ele é estéril. A mãe recorreu, mas perdeu novamente no Tribunal de Justiça.

No entando, o Ministério Público alega que o homem já sabia que não era pai legítimo do menino e mesmo assim fez o reconhecimento da paternidade, que agora pede para ser revogado.

A mãe garante que a paternidade foi algo espontâneo e que a criança estabeleceu relação sócio-afetiva com o ex-marido, sendo assim, este reconhecimento de paternidade de caráter irrevogável.

O relacionamento, segundo o autor da ação, foi rompido um ano após o nascimento, de modo que não houve convivência contínua e duradoura a ponto de criar um vínculo sócio-afetivo.

Durante o relacionamento com a mãe do menino, o homem comprovou ter feito vários tratamentos contra a infertilidade, mas descobriu que eram remotas as chances de ser pai. A confirmação de que a criança não era filho legítimo só veio com o DNA.




Ela poderia pedir agora uma nova identidade e sumir no mapa!!!!
Vacilou grandão!!
 
Roberto Cesar Portilho em 19/05/2011 07:43:18
Chega de gastar com processo a toa ... que tal buscar a pensão com o pai verdadeiro ...
 
Ricardo Lopes em 19/05/2011 07:11:26
Infelizmente a lei Brasileira só proteje pessoas sem escrúpulos e de má fé... Essa mulher deveria ir pra cadeia por falsidade...
 
Jose Humberto Duarte em 18/05/2011 11:28:00
Deveria Existir uma Lei que Assim Que a Criança Nascer ,Seja Obrigatorio Fazer um EXAME DE DNA pois assim ñ existiria duvidas e Ninguem se machucaria no futuro..Pq mae sempre sabe quem é o Pai..Mais o Pai Ñ..
 
Fábio Souza em 18/05/2011 04:20:36
É muita cara de pau a mulher querer exigir que o rapaz continue pagando, literalmente, por uma paternidade que não é responsabilidade sua. Ela que vá atrás do verdadeiro pai da criança, o que deveria ter feito desde o início, ao invés de enganar o ex-marido. Se a criança vai mesmo sofrer com a ruptura do vínculo, a culpada é ela, que o apresentou a alguém que não era - e ela o sabia - o verdadeiro pai.Vai ver que o pai legítimo é pé-rapado, e o ex tinha como pagar uma pensão mais gordinha.
Vá trabalhar!!!
 
Nana Kalil em 18/05/2011 04:10:33
Se queria pensão perdeu, e outra toca a vida pra frente não é preciso arrumar pai pra educar seu filho é só vc ir trabalhar vai a luta.
 
Alex Miguel em 18/05/2011 02:28:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions