ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  11    CAMPO GRANDE 20º

Interior

Venezuelano que perdeu esposa para covid-19 trabalha em frigorífico

Ele trabalha na JBS e, sem sintomas, foi afastado temporariamente para que não corra risco de aumentar transmissão na empresa

Por Izabela Sanchez | 30/05/2020 15:52
Unidade da JBS em Dourados, cidade que tem o segundo maior número de casos de covid-19 em MS. (Foto: Helio de Freitas)
Unidade da JBS em Dourados, cidade que tem o segundo maior número de casos de covid-19 em MS. (Foto: Helio de Freitas)

O marido da jovem venezuelana que faleceu com apenas 27 anos em Dourados, a 233 km de Campo Grande, em decorrência da covid-19, tem 29 anos e é um dos funcionários da JBS em Dourados. Sem sintomas, ele foi afastado do trabalho na terça-feira (26), para que fazer isolamento preventivo.

Uma das hipóteses consideradas pelo coordenador do Núcleo de Emergência Assistencial em Dourados, o médico infectologista Ricardo do Carmo, é que a jovem tenha passado o vírus ao marido e por isso ele segue em isolamento. A evolução do quadro dela, com piora da infecção, foi rápido.

“Ela foi atendida na unidade de síndrome gripal Santo André, foi recomendado isolamento, depois ela procurou a UPA, e foi quando apresentou quadro clínico de piora e foi para o hospital de referência”, disse ele, em alusão ao Hospital Universitário, ligado à UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados).

Ele comenta que também chama a atenção que ela, tão jovem, tenha falecido em decorrência da doença. Rulesis Esther Hernandez, tinha apenas 27 anos e, conforme o médico, não apresentava comorbidade que a colocasse no grupo de risco.

Procurada por meio da assessoria de imprensa, a direção do HU disse que não tem autorização para se pronunciar sobre o tratamento de uma paciente e que as informações sobre a covid-19 estão centralizadas na SES (Secretaria Estadual de Saúde).

Transmissão comunitária em frigoríficos – Os casos de contaminação em cidades de todas as regiões do estado onde a gigante da cadeia da carne espalha plantas - e emprega milhares - tem crescido diariamente, o que provocou a decisão, da empresa, de testar mais de 4 mil funcionários na região de Dourados. Cidades como Rio Brilhante estão com a curva acelerada de casos da doença, todos ligados aos trabalhadores da empresa.

Ainda assim, quando há transmissão comunitária instalada em uma região, é praticamente impossível saber a origem do contágio. O trânsito livre pelo estado de outras atividades não essenciais - que não é o caso daquelas ligadas a alimentação -, também faz com que o acompanhamento se torne ainda mais difícil.

Em Dourados, por exemplo, o índice de isolamento é abaixo dos 30%, o que provocou críticas do secretário estadual de saúde Geraldo Resende, neste sábado, ao dizer que a população que tem a opção de ficar em casa, mas não fica, “parece estar nem aí”.

O que diz a JBS – Em nota, a empresa disse lamentar a morte de Rulesis e afirma que está acompanhando o caso do funcionário que está em isolamento desde o dia 26. “A empresa manifesta seu profundo pesar e solidariedade pelo óbito da esposa do colaborador e presta toda assistência a ele e sua família. O colaborador segue afastado das suas funções desde 26/05/2020, preventivamente, quando comunicou a situação da sua esposa e sem ter manifestado sintomas”, diz a nota.