ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  25    CAMPO GRANDE 29º

Interior

Polícia acompanha exame depois de prisões por aglomeração

Reforço teve de ser chamado para auxiliar no trabalho de coleta de amostra da filha de idosa diagnosticada com coronavírus

Maressa Mendonça | 06/05/2020 13:50
Município de Brasilândia fica a 355 quilômetros da Capital de MS (Foto: Divulgação/Prefeitura)
Município de Brasilândia fica a 355 quilômetros da Capital de MS (Foto: Divulgação/Prefeitura)


Em Brasilândia, a polícia já foi acionada para acompanhar coleta de amostra para detecção do coronavírus em paciente que se recusou a fazer o teste espontaneamente, depois de ser flagrado com outras pessoas em uma festa, contrariando o toque de recolher e o isolamento social. As informações são do prefeito do município, Antônio Pádua (MDB).

À reportagem do Campo Grande News, Pádua comentou que a cidade está com dois casos confirmados e outros 18 suspeitos. Nesta quarta-feira (6), data em que ocorreram as prisões dos “aglomerados”, também foram enviados para a Capital os exames de cinco pessoas que estavam em aglomeração anterior, na última sexta-feira (1º).

Na semana passada, o encontro ocorre na casa de uma idosa de 70 anos. Ela foi visitada por parentes que se reuniram no feriado para comer uma sopa paraguaia, bolo de milho e queijo muito apreciado pelos sul-mato-grossenses.

Dias depois, os testes mostraram o resultado da reunião. A idosa foi diagnosticada com coronavírus e está internada no hospital do município. O genro dela é o segundo caso confirmado da doença. O homem de 57 anos está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em Três Lagoas.

A filha tentou se recusar a fazer o teste, mas acabou aceitando a recomendação da Saúde do município após a Polícia Civil ter sido acionada. O resultado do exame dela e de outras pessoas que estavam na casa deve sair esta semana.

Em relação a aglomeração que começou na noite de ontem e só terminou na manhã desta quarta-feira, o prefeito do município lamentou  o caso e enfatizou a importância da polícia para conter as aglomerações. Segundo ele, um canal para denúncias foi disponibilizado e ele tem orientado sobre o isolamento social diariamente em uma rádio da cidade.

Ele acredita que com a confirmação destes casos a tendência é que a taxa de isolamento na cidade aumente. “A impressão que tenho é essa. Infelizmente estão sentindo na pele. O que estava apenas nas cidades vizinhas chegou na nossa porta”, lamentou.

O isolamento social é a única medida, até  o momento, para conter o avanço do coronavírus. A SES (Secretaria de Estado de Saúde) recomenda 70% de isolamento em cada município, mas a média de Mato Grosso do Sul nunca chegou a este índice.

Nos siga no Google Notícias